Educação e Cultura

Conheça a história do grupo dedicado a tradições gaúchas que está encantando a população são-mateuense

Diego José Vaz Popoaski esteve na Gazeta Informativa para relatar sobre sua experiência como professor de dança do grupo. (Foto: Cláudia Eduarda Burdzinski/Gazeta Informativa)

A cultura gaúcha é bastante visível na região sulista brasileira, onde o amor por uma tradição é fortificada em músicas, vestimentas, jeitos e maneiras de falar. Essa paixão na maioria dos casos é repassada de geração para geração, resgatando e mantendo viva a reverência cultural.

Em parceria com o Centro da Juventude, Secretaria da Educação, Secretaria de Assistência Social e Prefeitura Municipal de São Mateus do Sul, crianças e adolescentes aprendem de perto a convivência com a cultura gaúcha com um grupo de dança formado especialmente com esse intuito.

Diego José Vaz Popoaski e a esposa Ingrid Ramos são os professores voluntários do Grupo de Dança Resgate Gaúcho, que está ante atividade em São Mateus do Sul desde 22 de agosto de 2015. O projeto busca apresentar gratuitamente o tradicionalismo gaúcho na maneira de dança. “Procuramos ensinar para os jovens a maioria dos ritmos da cultura gaúcha: ritmos de salão (chamamé, bugio, milonga, valsa, rancheira, marchinha, vaneira, vaneirão e o xote), e também 15 ritmos tradicionalistas que possuem passos registrados que não podem ser mudados”, conta o professor.

Os professores possuem uma graduação preparatória para trabalhar com esse tipo de público, Diego e Ingrid são Docentes, onde conseguiram uma grande base para qualificar crianças e adolescentes nas atividades propostas. “Trabalhei por quatro anos como professor de dança e teatro voltado para a expressão corporal, e isso me trouxe uma gama de experiência para ensiná-los”, diz Diego.

Logo após, o casal passou por um curso de dança gaúcha com um professor vindo do Rio Grande do Sul, o qual lhes repassou uma grande metodologia para o ensinamento no início dos passos nos diferentes estilos da dança, que são aplicados para as crianças e adolescentes do curso.

Iniciando com 12 jovens, hoje o grupo Resgate Gaúcho conta com mais de 60 alunos, e de acordo com o Diego, “hoje o projeto está ganhando fortes proporções, as quais, eu não esperava que chegasse um dia”.

Não é só o resgate pela cultura gaúcha que é repassado pelo grupo, mas sim o aprendizado para aprender a lidar com a vida e as inúmeras barreiras que elas podem apresentar um dia. “Além da interação com os colegas, a expressão corporal, fisionômica e toda parte cênica fazem com que eles levem isso para a vida, tornando-os menos retraídos em algumas situações”, ressalta o professor.

Acompanhando as notas escolares, comportamento dentro e fora da sala de aula, Diego brinca, “começamos como um Curso Resgate Gaúcho, que virou o Grupo Resgate Gaúcho e hoje somos a Família Resgate Gaúcho”.

Como faço para me tornar parte do grupo?

Os ensaios acontecem todo sábado no Centro da Juventude, iniciando às 17h com duração de três horas, e a partir do próximo ano, a idade será de 6 a 17 anos para participação do curso, idade esta que antes era limitada até 14 anos.

O curso é gratuitamente possuindo o único custo a roupa de uniforme do grupo, que segue os padrões da cultura gaúcha. As vagas são ilimitadas, mas atenção: em caso de desistência, o aluno não poderá voltar a participar, o comprometimento é uma das principais ligações que remetem ao reconhecimento do grupo.

Crianças, adolescentes e pais interessados em conhecer um pouco mais sobre o curso em uma aula experimental, pode entrar em contato no telefone (42) 98809-4718 falar com o Diego, ou diretamente no 3532-5761, no Centro da Juventude do município. Os números dos telefones também se estendem em convites para apresentações do grupo.

A formatura da dança

Todo ano, desde seu início de atividade no município, o Grupo de Dança Resgate Gaúcho realiza a formatura para os alunos que estavam realizando o curso, usando a normalização de “colação de grau” para a passagem dos dançarinos para o grupo oficial.

No dia 2 de dezembro de 2017, 46 alunos passarão por essa colação de grau. “Procuramos seguir os parâmetros de uma formatura de colégio, com toda a parte cerimonial e a entrada dos alunos com os padrinhos”, informa o professor.

O evento será apenas para convidados, com uma estimativa de 800 pessoas para o baile após a formatura, e o único fim lucrativo será a venda de bebidas pela equipe dos Anjos de Plantão, em que a arrecadação será revertida para ajudar o menino Rafael, portador de Siringomielia, que afeta a medula espinhal.

“O que era um sonho, hoje está se tornando realidade. Estendo meu convite a todos que tiverem interesse em conhecer o Grupo de Dança Resgate Gaúcho, que hoje é a minha segunda família”, encerra Diego.

Comentários

Compartilhe:


MATÉRIAS RELACIONADAS
Evento cultural reunirá as escolas municipais de São Mateus do Sul para contar a história de suas comunidades
Casa Familiar Rural de São Mateus do Sul vence fase regional do prêmio “Respostas para o Amanhã”
Alunos da Escola Pedro Effco aprendem a história do mate e o preparo do chimarrão