As eleições do Conselho Tutelar acontecem de maneira unificada em todo o Brasil no dia 4 de outubro (domingo). Em São Mateus do Sul são 12 candidatos, sendo 09 mulheres e 03 homens.

Muitas das regras para as eleições do Conselho Tutelar são parecidas com as eleições para presidente, prefeito e governador. Para votar, é preciso ter pelo menos 16 anos e possuir título de eleitor do município. O voto é secreto e, neste ano, cada eleitor poderá votar em apenas um(a) candidato(a). A particularidade nas eleições para o Conselho Tutelar é que o voto não é obrigatório. No entanto, o Conselho Municipal da Criança e Adolescente salienta que é importante a ampla participação da população na escolha dos conselheiros, que terão atribuições e competências para promover, defender e proteger crianças e adolescentes que estão com seus direitos violados. Direitos esses assegurados pela Constituição Federal, Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA) e demais leis infraconstitucionais.

A Secretária Executiva dos Conselhos, Romilda Ribeiro, destaca a importância da participação de todos na campanha e nas eleições para o Conselho Tutelar. “Apesar de o voto ser facultativo, é preciso que tenhamos consciência que estamos escolhendo as pessoas que vão cuidar das nossas crianças e adolescentes. Precisamos acompanhar o processo e escolher com consciência pessoas capacitadas, preparadas e comprometidas com essa atuação no Conselho”, explica.

Depois da eleição
Serão eleitos cinco membros titulares para o Conselho Tutelar – e seus cinco respectivos suplentes. Os conselheiros eleitos vão passar ainda por duas importantes atividades antes da posse, marcada para 10 de janeiro. Eles vão acompanhar os trabalhos dos atuais conselheiros tutelares durante seus últimos dias de mandato por, no mínimo, duas horas diárias e sem direito à remuneração. Além disso, os eleitos e seus suplentes participam ainda neste ano de uma capacitação em União da Vitória, com duração de 40h, sobre aspectos gerais e a importância da atuação dos Conselhos Tutelares.

OS CANDIDATOS DE SÃO MATEUS DO SUL:

01 – Bianca Zene Vila

“Sou Assistente Social, tenho 28 anos, casada, mãe de uma filha e possuo bacharel em Serviço Social, com curso de pós-graduação em nível de especialização na área de “Trabalho Social com Famílias”.
Atuei como Assistente Social no Abrigo e Proteção à Criança e ao Adolescente – Casa Lar, trabalhando com acolhimento institucional e familiar, elaboração e execução de projetos. Logo como Coordenadora e Assistente Social no CREAS (Centro de Referência Especializado em Assistência Social), com a realização de atendimento ao público alvo, abordagens individuais e de grupo e encaminhamentos para programas corporativos. E também como Assistente Social na Instituição Lar São Mateus.
Vejo neste trabalho a oportunidade de poder zelar pelos Direitos Humanos de nossas crianças e adolescentes, com as propostas de atuar junto a família e a rede de proteção, construindo e garantindo assim um futuro melhor. Tenho muito a contribuir com a minha formação e experiência, para atuar junto às crianças e adolescentes, famílias e sociedade em geral. Como Assistente Social pude compreender impasses cotidianos com outros olhos, almejar situações favoráveis e promovê-las sempre que possível. Venho de uma família de educadores, que sempre mostraram o quanto é importante além da formação e experiência, o amor pela educação. Caminho que oportunizou minha escolha profissional, a qual exige doação, discernimento e atitude. Acredito que ainda há muito a ser feito em prol dos Direitos Humanos das Crianças e Adolescentes, desta forma quero fazer a minha parte, contribuindo para este trabalho.”


02 – Cléber dos Santos Guimarães – Prof. Binho

“Meu nome é Cléber Guimarães, – mais conhecido como Professor Binho – tenho 28 anos, sou casado, tenho uma filha e sou graduado no curso de Licenciatura em Educação Física e acadêmico do último período de História.
Atualmente leciono nas séries de Ensino Fundamental e Ensino Médio, sou professor do Adolescentro, e ainda atuo como tutor do curso de Educação Física da Faculdade Unopar. Iniciei minha carreira de educador no ano de 2007 tendo os primeiros contatos com o trabalho humanitário em prol dos direitos da criança, instituição da qual ainda por um período atuei como voluntariado, no longo desta jornada fui professor de series iniciais, contribuindo diretamente no desenvolvimento físico, social e cognitivo das crianças da Escola Companhia da Criança e contribui diretamente na formação intelectual e moral dos adolescentes do Colégio Echo Continental. No Adolescentro pude ter contato com realidades que afloraram o desejo de lutar mais apegadamente pelos direitos da criança e do adolescente. Por ser de formação Cristã, acredito piamente que todas as pessoas merecem uma oportunidade, chances de crescimento e principalmente de pessoas que acreditem nelas, que sirvam de inspiração, motivação e acima de tudo que lhes transmitam amor e solidariedade.
Me candidatei a membro do conselho tutelar por sentir-me preparado a continuar um legado de defesa dos direitos da criança e do adolescente, tal legado que clama por mudanças, e acredito ser peça fundamental neste novo tempo, nesta nova promessa de tornar esta instituição em um novo modelo da qual a comunidade se orgulhe e confie, por tanto me elegendo, buscarei contribuir diretamente em prol da educação, da qual por sacerdócio creio ser a base de uma sociedade, levarei os princípios dos meus mestres, que me prepararam para poder adentrar em cada lar que por minha pessoa for assistida, sempre com respeito, dedicação e busca pela excelência, isto é o que ofereço ao conselho tutelar e a comunidade são-mateuense. Saber ouvir, compreender e discernir são habilidades imprescindíveis para o trabalho de receber, estudar, encaminhar e acompanhar os casos que chegam até o conselho tutelar, me sinto habilitado, minha profissão me encaminhou para isso, por isso cada eleitor pode confiar seu voto em mim.”


03 – Eva Maristela Kurydlowski – Mari

“Meu nome é Eva Maristela Kurzydlowski, tenho 38 anos, sou pedagoga, trabalho também como promotora de vendas. Na área da educação trabalho há mais de 6 anos. Moro em São Mateus do Sul há 23 anos e tenho 2 filhos.
Me candidatei porque acredito no trabalho do Conselho Tutelar, acho de suma importância para infância, juventude e família. Um dos principais projetos que tenho é a prevenção, trabalhar os problemas junto das escolas e famílias, antes deles iniciarem, através de palestras, acompanhando as reuniões de pais, conhecendo a realidade das famílias.
Se eu for eleita, quero unir cada vez mais pais e filhos, porque a família é a base de tudo. A minha proposta é trabalhar sempre em equipe estar sempre se atualizando e se capacitando para buscar cada vez mais melhorias.”


04 – GISELE ZABLOCKI MENDES

“Meu nome é Gisele Zablocki Mendes, tenho 24 anos e sou formada em Pedagogia. Atuo como Educadora Social.
Sou casada, trabalho na área social, diretamente com crianças e adolescentes, há mais de cinco anos. Considero ser uma pessoa competente e determinada, portanto, capacitada para assumir o cargo de conselheira tutelar.
Meu objetivo é trabalhar junto às comunidades com intuito de orientar sobre os direitos das crianças e adolescentes, buscando estratégias para melhorar e ampliar as garantias de seus direitos, zelando pelas famílias que procuram o Conselho Tutelar, transmitindo a elas orientação através de um atendimento de qualidade, pontualidade e ética.
Se eu for eleita, vou contribuir para que as crianças e adolescentes do município de São Mateus do Sul tenham pleno atendimento visando seus direitos fundamentais, para que esse cumprimento seja efetivo junto à sociedade, poderes públicos e instituições. Faça a diferença, vote 04!”


05 – Kamilla Noernberg Holler

“Meu nome é Kamilla Noernberg Holler, tenho 24 anos, sou formada em Licenciatura e Bacharel em Educação Física e sou profissional de educação física. Sou natural de Canoinhas (SC).
Fui nomeada para assumir o cargo público na prefeitura de São Mateus do Sul, em 2012, quando fui empossada como Profissional de Educação Física. Sou funcionária da Secretaria Municipal de Assistência Social de 2012 até agora. Atuo com a Oficina de Esportes no Centro da Juventude e PETI (Programa de Erradicação do Trabalho Infantil) trabalhando com crianças e adolescentes.
Eu me candidatei a conselheira tutelar porque trabalhar diariamente com crianças e adolescentes me fez perceber o quanto ações efetivas e projetos sociais podem mudar a realidade de muitos jovens, acredito ainda que o trabalho de Conselheira Tutelar é capaz de mudar a sociedade e transformar a comunidade onde vivemos.
Tenho como objetivo efetivar as ações do Conselho Tutelar em prol das nossas crianças e adolescentes colaborando para o fortalecimento dos vínculos familiares.
Como Conselheira Tutelar poderei atuar em prol da infância e da juventude do município.
É uma função nobre onde quem está a sua frente deve ter em mente a primazia no atendimento a criança e ao adolescente fiscalizando se a família, a comunidade, a sociedade em geral e o Poder Público estão assegurando com efetivação seus direitos, cobrando de todos esses que cumpram com o Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA) e com a Constituição Federal.
Acredito que devemos atuar na proteção integral da criança e do adolescente zelando pelos seus direitos, pois o Conselho Tutelar deve ser a ferramenta do município para proteger a infância e a juventude. Além das competências do cargo, algumas das minhas propostas são: Aproximar a sociedade do Conselho Tutelar; Atuar de forma preventiva; Trabalhar articulado com a rede de proteção da criança e do adolescente e Assessorar o Poder Executivo local na elaboração de proposta orçamentária para planos e programas de atendimento dos direitos da criança e do adolescente.”


06 – Larissa Regina Wenclaw

“Me chamo Larissa Regina Wenclaw, tenho 42 anos, sou formada em Assistente Social e trabalho na área. Sou uma pessoa batalhadora, qual trabalha 40 horas semanais, gosto da minha profissão, sou extrovertida, religiosa. Tenho uma família maravilhosa e muitos amigos que amo muito.
Me candidatei a uma das cadeiras de Conselheira Tutelar porque penso que posso realizar um bom trabalho dentro do Conselho Tutelar, tendo como objetivo fazer valer o direito como também os deveres tanto de uma criança quanto de um adolescente.
Vou dar o melhor de mim para realizar um bom trabalho em prol do Conselho Tutelar, principalmente ter um bom relacionamento com meus colegas de profissão.
Tenho como proposta que o Conselho esteja mais próximo da comunidade, para que todos passem a ver a entidade como parceira da busca de direitos e não como órgão repressor, posto que a atribuição do Conselho Tutelar é de orientação e auxílio.”


07 – Luciane do Rocio Ribeiro

“Meu nome é Luciane do Rocio Ribeiro, tenho 46 anos de idade, sou formada em Serviço Social e trabalho como Assistente Social.
Sou formada desde 2002, pela Universidade do Contestado (UNC), campus de Canoinhas (SC) com Especialização em Família na Visão Sistêmica.
Trabalhei no Serviço Social da saúde pública na prefeitura e atualmente trabalho na Instituição Adolescentro.
Me candidatei ao Cargo de Conselheira Tutelar pelo fato de ser uma ótima oportunidade de contribuir com a Política do Sistema das Garantias dos Direitos das Crianças e Adolescentes.
Minha Proposta enquanto membro do Conselheiro Tutelar é desenvolver ações em rede na área da prevenção, resgate e fortalecimento dos vínculos familiares.
Deixo aqui o meu agradecimento à todos que confiarem seu voto em mim, no número 07.”


08 – Marcos Cesar Soares Padilha – Professor Marquinho

“Eu sou o Marcos Cesar Soares Padilha, – Professor Marquinho – tenho 31 anos, sou natural de São Mateus do Sul, Licenciado em Pedagogia, pós-graduado em Educação do Campo e Pós Graduando em Gestão Escolar e Pedagógica.
Sou candidato porque acredito que sempre é possível transformar a vida de uma criança e do adolescente, e sabendo que a base da sociedade é a criação e a convivência saudável da criança com o meio, devemos fazer um trabalho preventivo, e com amor, além das demais atividades inerentes a um Conselheiro Tutelar.
O eleitor pode confiar em mim, porque tenho 14 anos de experiência com crianças e adolescentes, tanto no meio pedagógico como social e cultural, amo o que faço, e faço da melhor forma para beneficiar a formação saudável do aluno, e assim acredito que serei um Conselheiro atuante, porque tenho conhecimento de causa no dia a dia como Coordenador Pedagógico.”


09 – Marcelo Pelegrini Staniszewski

“Meu nome é Marcelo Pelegrini Staniszewski, tenho 42 anos, minhas formações são: Bacharel em Comunicação Social pela Universidade Tuiuti do Paraná, Técnico de segurança do trabalho pelo Ensitec de Curitiba e Inglês pela Federação Espírita do Paraná.
Trabalho com assessoria em segurança do trabalho, formação de brigada de incêndio e dou curso de máquinas pesadas.
Sou natural de São Mateus, sou de família tradicional daqui, aliás uma das primeiras a desbravar essa cidade, já fui embora daqui e voltei, gosto das coisas certas, sou contra qualquer tipo de violência contra qualquer ser vivo e tenho muita vontade de fazer algo de bom para nossa cidade e nossa sociedade.
Quando abriu as inscrições para o conselho, houve a sugestão de alguns amigos, já que havia dado aula no Adolescentro durante um pequeno período e dado aula de inglês para alguns adolescentes principiantes e como a algum tempo já venho dando sempre que solicitado, palestras em instituições e igrejas para crianças e idosos de forma gratuita sobre prevenção de acidentes; a ideia acabou me agradando.
Meu objetivo é manter as coisas boas que o atual conselho faz e procurar trazer novos conceitos.
Vou procurar ajudar a desenvolver novos projetos sociais juntamente com outros órgãos competentes e fazer um trabalho em conjunto para ajudar no combate da violência infantil.
Minha proposta é ajudar a quebrar alguns paradigmas sobre o trabalho do conselho e trazer a importância da família na formação de uma pessoa, que se inicia na infância.”


10 – Nilcélia de Oliveira – Nega

“Me chamo Nilcélia de Oliveira, meu apelido é Nega, tenho 40 anos, sou formada em Assistente Social e trabalho como cuidadora de idosos.
Gosto de conversar, ouvir as pessoas e ajudar quem está necessitado. Sou muito apegada com a minha família e acredito que a família é a base de tudo. Tenho duas filhas maravilhosas, a Renata, que têm 20 anos e a Bruna, de 13.
Tenho experiência na área da criança e do adolescente, já atuei como conselheira entre os anos de 2010 a 2013, assumindo a suplência no ano de 2014 (5 meses), 2015 (2 meses), gostaria de ter a oportunidade de dar continuidade aos serviços prestados, pois é uma coisa que eu adoro fazer.
Quero me qualificar cada vez mais na área da criança e do adolescente para ajudar aquele que precisar do serviço do Conselho Tutelar com ética, respeito e responsabilidade à comunidade são-mateuense.
Vote em mim! Nega, número 10.”


11 – Olívia Esmeralda de Souza Castilho

“Eu sou a Olívia Esmeralda de Souza Castilho, tenho 26 anos, sou formada em Psicologia e trabalho como Psicóloga e Professora de Educação Infantil. Nasci em Wenceslau Braz, cidade ao norte de Paraná, morei um tempo da minha vida em São Paulo e Curitiba. Meu pai é funcionário da Petrobras e por esse motivo é transferido de cidade, sendo em uma dessas transferências para São Mateus do Sul, lugar que moro há 16 anos. Gosto de trabalhos voltados ao meio social e quando trata-se de crianças ou adolescentes me fascina esse universo, a quantidade de conhecimento que adquiro com essas faixas etárias é enorme.
Me candidatei pela curiosidade de saber como funciona o trabalho do Conselho Tutelar e porque a sociedade olha para esse serviço como um inimigo e não como um apoio e parceiro para as soluções existentes à proteção da criança e do adolescente. Meu objetivo é a longo prazo, mas que se não iniciado agora jamais será alcançado, quero mostrar para a sociedade são-mateuense os pontos positivos de existir um Conselho Tutelar na cidade e tentar fazer com que essas pessoas tornem-se parceiras na contribuição para a proteção da criança e do adolescente.
Acredito que trabalhar no Conselho Tutelar é juntar peças de um grande quebra-cabeça, o qual cada um fazendo um pouco e trabalhando junto só beneficiará o Conselho Tutelar.
Possuo no momento apenas uma proposta, transmitir mais informações a respeito do Conselho Tutelar a comunidade de São Mateus do Sul.
Para me eleger basta votar no nº 11.”


12 – Valéria Fernandes da Conceição

“Eu me chamo Valéria Fernandes da Conceição, tenho 40 anos, sou formada em Psicologia e tenho Especialização em Gestão em Saúde, pela Universidade Estadual Centro Oeste (UNICENTRO). Trabalho como Psicóloga da APAE de São Mateus do Sul.
Me candidatei porque acredito que poderei contribuir muito com o trabalho realizado pelos conselheiros tutelares do município. Meu principal objetivo é realizar o trabalho da melhor forma possível. Trabalharei para garantir a segurança e os direitos das crianças, jovens, adolescentes e familiares.
Pretendo realizar um trabalho comprometido, atendendo todas as demandas que forem surgindo com clareza, objetividade e ética.”

 Fotos: Assessoria PMSMS

Comentários

Compartilhe:


MATÉRIAS RELACIONADAS
Governador do Paraná reestrutura a secretaria da agricultura
Jovem são-mateuense morre vítima de câncer
Paróquia Nossa Senhora Aparecida e Czestochowa comemora 10 anos