Reflexão com Padre Marcelo S. de Lara

Corpus Christi: Jesus Vivo na Eucaristia

Situando:
Na quinta-feira, 04 de junho, a Igreja Católica celebrou a Solenidade de Corpus Christi, expressão em latim que significa: Corpo de Cristo. Corpus Christi é sempre lembrada como a celebração em que se enfeitam as ruas com os tapetes confeccionados com diversos materiais. Claro que, o mais importante nesta Festa não são os tapetes, mas o motivo deles que é Jesus Cristo presente na Hóstia Consagrada na Missa que antecipa a procissão. Os tapetes são “estendidos” pelas ruas com todo o carinho, zelo e com toda arte para poder passar sobre eles o Próprio Filho de Deus, Jesus Cristo, que quis continuar presente entre nós no Sacramento da Eucaristia.
Com base nas palavras de Jesus na Sua última ceia com os discípulos: (Lc. 22, 19.20), a Igreja acredita e professa que Jesus se faz presente vivo no pão e no vinho consagrados na Missa. Já por uma antiga tradição, a Celebração de Corpus Christi é o único momento do ano em que a Hóstia Consagrada sai publicamente em procissão pelas ruas da cidade.

Origem da Celebração:

A Festa de Corpus Christi surgiu no séc. XIII, na diocese de Liège, na Bélgica, por iniciativa da freira Juliana de Mont Cornillon, (†1258) que recebia visões nas quais o próprio Jesus lhe pedia uma festa litúrgica anual em honra da Sagrada Eucaristia.

Aconteceu que quando o padre Pedro de Praga, da Boêmia, celebrou uma Missa na cripta de Santa Cristina, em Bolsena, Itália, ocorreu um milagre eucarístico: da hóstia consagrada começaram a cair gotas de sangue sobre o corporal após a consagração. Dizem que isto ocorreu porque o padre teria duvidado da presença real de Cristo na Eucaristia.

O Papa Urbano IV (1262-1264), que residia em Orvieto, cidade próxima de Bolsena, onde vivia S. Tomás de Aquino, ordenou ao Bispo Giacomo que levasse as relíquias de Bolsena a Orvieto. Isso foi feito em procissão. Quando o Papa encontrou a Procissão na entrada de Orvieto, pronunciou diante da relíquia eucarística as palavras: “Corpus Christi”.

Em 11/08/1264 o Papa aprovou a Bula “Transiturus de mundo”, onde prescreveu que na 5ª feira após a oitava de Pentecostes, fosse oficialmente celebrada a festa em honra do Corpo do Senhor. São Tomás de Aquino foi encarregado pelo Papa para compor o Ofício da celebração. O Papa era um arcediago de Liège e havia conhecido a Beata Cornilon e havia percebido a luz sobrenatural que a iluminava e a sinceridade de seus apelos.

Em 1247, realizou-se a primeira procissão eucarística pelas ruas de Liège, como festa diocesana, tornando-se depois uma festa litúrgica celebrada em toda a Bélgica, e depois, então, em todo o mundo no séc. XIV, quando o Papa Clemente V confirmou a Bula de Urbano IV, tornando a Festa da Eucaristia um dever canônico mundial.

Em 1317, o Papa João XXII publicou na Constituição Clementina o dever de se levar a Eucaristia em procissão pelas vias públicas. A partir da oficialização, a Festa de Corpus Christi passou a ser celebrada todos os anos na primeira quinta-feira após o domingo da Santíssima Trindade.

Relato de um Milagre:

No século VIII, na freguesia de Lanciano (Itália), um dos monges de São Basílio tomado de grande descrença duvidou da presença de Cristo na Eucaristia. Para seu espanto, na mesma hora a Hóstia consagrada transformou-se em carne e o Vinho consagrado transformou-se em sangue.

Esse milagre tornou-se objeto de pesquisas e estudos nos séculos seguintes, mas o estudo mais sério foi feito entre 1970/71 e revelou ao mundo resultados impressionantes:

A Carne e o Sangue continuam frescos e incorruptos, como se tivessem sido recolhidos no presente dia, apesar dos doze séculos transcorridos.

O Sangue encontra-se coagulado externamente em cinco partes; internamente o sangue continua líquido.

Cada porção coagulada de sangue possui tamanhos diferentes, mas todas possuem exatamente o mesmo peso, não importando se pesadas juntas, combinadas ou separadas.

São Carne e Sangue humanos, ambos do grupo sanguíneo AB, raro na população do mundo, mas característico de 95% dos judeus.

Todas as células e glóbulos continuam vivos.

A carne pertence ao miocárdio, que se encontra no coração (símbolo de amor!).

Referência:
http://cleofas.com.br/qual-a-origem-da-festa-de-corpus-christi/ 

Últimos posts por Pe. Marcelo S. de Lara (exibir todos)

Comentários

Compartilhe:


MATÉRIAS RELACIONADAS
Advento: Tempo de Espera
Semana Santa: expressão do verdadeiro amor
Redes Sociais, sob nosso controle