Cidade

Culinária feita à base de erva-mate é destaque em evento alusivo ao aniversário de São Mateus do Sul

O evento, alusivo ao aniversário de 108 anos do município, realizado pela IG-Mathe (Associação dos Amigos da Erva-Mate de São Mateus do Sul), contou com o apoio do Sebrae/PR, do Sindicato da Indústria do Mate do Estado do Paraná (SindiMate) e da Prefeitura Municipal de São Mateus do Sul. (Fotos: Gazeta Informativa)

Com o objetivo de divulgar o trabalho que está sendo desenvolvido dentro do Projeto de Indicação Geográfica (IG) da Erva-Mate da Região de São Mateus do Sul e de qualificar produtores com relação ao manejo do produto, a IG-Mathe (Associação dos Amigos da Erva-Mate de São Mateus do Sul) realizou no dia 21 de setembro, em São Mateus do Sul, o 1º Encontro da Associação dos Amigos da Erva-Mate de São Mateus. O evento, alusivo ao aniversário de 108 anos do município, contou com o apoio do Sebrae/PR, do Sindicato da Indústria do Mate do Estado do Paraná (SindiMate) e da Prefeitura Municipal de São Mateus do Sul.

De acordo com Helinton Lugarini, membro da IG-Mathe, mais de mil pessoas prestigiaram o evento que foi gratuito e aberto à comunidade. O evento foi idealizado, organizado e realizado em menos de 30 dias. “Tínhamos como foco pessoas que estejam de alguma forma ligadas à erva-mate, produtores, ervateiras, comércio e pessoas em geral. Com esse propósito e com a união impecável de esforços de diversas pessoas conseguimos realizar este primeiro encontro que foi sucesso absoluto. Em relação ao público presente já havia superado nossas expectativas antes do almoço onde pessoas não só da cidade como também do interior prestigiaram os expositores como os palestrantes e a culinária ofertada”, comenta Helinton.

As indústrias ervateiras de São Mateus do Sul expuseram seus produtos e o Serviço Nacional de Aprendizagem Comercial (Senac) exibiu as melhores fotos referentes à Rota do Mate, que é a primeira rota turística cultural e rural do município, inaugurada em junho deste ano. Já a Associação dos Amigos da Erva-Mate de São Mateus divulgou o trabalho realizado para resgatar a história da erva-mate da região e para a obtenção da IG junto ao Instituto de Propriedade Industrial (INPI).

A programação começou às 9h30 com a Roda de Chimarrão promovida pelas ervateiras do município. Às 10h30 aconteceu a palestra técnica “Produzir com responsabilidade e sustentabilidade – Nutrição e intervalo de colheita da erva-mate”, com o engenheiro florestal, doutor em Solos e Nutrição de Plantas, Delmar Santin, com foco nos produtores de erva-mate, para que melhorem seus rendimentos de produção. Às 11h30 foi lançado o prato típico da IG-Mathe, que consiste em um pão de erva-mate, com creme de ricota e charque desfiado. Às 12 horas foi servido almoço com gastronomia à base de erva-mate. Às 14 horas foi apresentado o prato típico da IG-Mathe, onde o chefe de cozinha e turismólogo, Guilherme Guzela, pode explicar o porquê de cada ingrediente que compõe este prato (inclusive testado e aprovado pela grande maioria dos participantes), tendo as principais evidencias no charque (utilizado na navegação e pelos tropeiros), no creme de ricota (muito utilizado na culinária polonesa), o pão verde (que utiliza a erva-mate como um dos ingredientes) e por final o vinagrete para “abrasileirar “ o prato.

Por fim, às 16 horas, o engenheiro agrônomo, doutor em Tecnologia Pós-Colheita, da Universidade Federal do Paraná, Agenor Maccari Junior, ministrou uma palestra com o tema “São Matheus – A indicação geográfica como estratégia de mercado e visão de futuro”. “Consideramos que o Maccari é nosso mentor de todo este projeto de IG (Identificação Geográfica). Na palestra, ele contou como surgiu esta ideia de IG, benefícios que isto pode trazer à todos da região, citou exemplos de outras regiões que tiveram um grande crescimento depois de obter a IG (caso do vale do vinhedos – RS) e deixou claro que todos podem e devem participar desta associação que tem por objetivo mostrar o porquê devemos ser reconhecidos como detentores da ‘melhor erva-mate do mundo’, destaca Helinton.

Para o estudante, Felippe Kauã Guimarães, a idealização deste evento por parte dos empresários e outras entidades, foi muito gratificante para as pessoas que frequentaram e benéfica para a valorização cultural da cidade. “O ambiente estava muito aconchegante, com pessoas se divertindo nas rodas de chimarrão, entretidas nas palestras, degustando os produtos à base de erva-mate, com certeza, o prato típico está aprovadíssimo! Sem contar, o suco, cocadas entre outros produtos… Espero que nas próximas edições, outras pessoas possam degustar desses pratos, e possamos levar o nome de São Mateus do Sul para outras regiões, e consequentemente atrair turistas afim de usufruir de toda essa estrutura da IG-Mathe”, opina.

O produtor rural, Esaú Paul, afirma que o evento foi espetacular e torce para que o evento reúna ainda mais setores nas próximas edições pra que possa abrir novos caminhos desenvolvendo grandiosamente o município. “A exposição com a presença de várias ervateiras de nossa cidade contribuiu para tornar ainda mais bonito o evento. As palestras foram muito explicativas e de fácil entendimento. Foi algo muito produtivo e organizado. Parabéns a todos que de uma forma ou outra contribuíram para que ocorresse um evento de tanta relevância”, conclui Esaú.

O arquiteto, Ricardo Guth, acredita que o evento teve um caráter bem esclarecedor para os produtores terceirizados de erva-mate, para que todos saibam da real responsabilidade ambiental e fiscal que cada um deles tem perante o selo de qualidade da IG-Mathe. “E quanto à culinária, achei interessante a proposta de criar alternativas pro uso da erva-mate, pois o sorvete e o sanduíche (que foi o que eu experimentei), possuem um sabor agradável e sutil, sem ser enjoativo”, diz.

Durante o evento, além das qualificações voltadas aos produtores, a comunidade em geral teve a oportunidade de obter informações sobre o processo para a obtenção do registro de IG, que teve início em 2013, ocasião em que o Sebrae/PR realizou um diagnóstico no Estado para identificar possíveis regiões com produtos potenciais de obter o registro, sendo que a erva-mate de São Mateus do Sul e municípios vizinhos como Antonio Olinto, Mallet, Rio Azul, Rebouças, Paulo Frontim e São João do Triunfo, foi uma delas.

De acordo com o consultor do Sebrae/PR, Fernando Pizani, o projeto de IG da Erva-Mate da Região de São Mateus do Sul está sendo desenvolvido desde 2014. “Neste período foi formalizada a Associação dos Amigos da Erva-Mate de São Mateus, pela qual foi possível encaminhar o pedido de IG junto ao INPI, protocolado em novembro de 2015”, explica.

Neste ano, os trabalhos se voltam também para a estruturação do Conselho Regulador da associação, e a preparação dos produtores e indústrias para atenderem as exigências do Regulamento de Uso. As propriedades agrícolas e as ervateiras produtoras da erva-mate São Matheus são avaliadas quanto a origem e qualidade, boas práticas agrícolas e de fabricação, rastreabilidade, responsabilidade social e respeito ao meio ambiente.

As expectativas dos envolvidos no processo, é que ainda em 2016 a IG possa ser concedida pelo INPI. “O reconhecimento da Indicação de Procedência São Matheus como indicação Geográfica traz sustentabilidade social e ambiental, agrega valor e estimula o desenvolvimento regional”, cita o consultor do Sebrae/PR. Além disso, a IG é o reconhecimento da história e tradição da região de São Mateus do Sul, que é conhecida como um centro produtor e comercializador de erva mate há mais de um século.

Para o presidente da Associação dos Amigos da Erva-Mate de São Mateus, Ronaldo Toppel, o objetivo é mobilizar além do setor produtivo os proprietários de hotéis, bares, restaurantes, entre outros estabelecimentos, para que valorizem a erva-mate. “Nossa erva-mate é diferenciada e conhecida pelo toque suave, pois é sombreada pelas Araucárias. O clima e o solo da região conferem ao produto uniformidade do sabor ao longo da bebida”, atesta Toppel.

Comentários

Compartilhe:


MATÉRIAS RELACIONADAS
Prefeitura suspende estacionamento de ré no Centro
Município conquista selo de identificação geográfica
Legislação determina que ciclistas e pedestres que não cumprirem as regras sejam multados