Curucaca na calçada, onde costuma encontrar comida. (Fotos: Hugo Lopes Júnior/Gazeta Informativa)

Algumas figuras chamam a atenção em São Mateus do Sul pelo seu tamanho e também por circularem próximo às pessoas sem medo. Elas apareceram na cidade há apenas alguns anos e vem se multiplicado, aparecendo sempre em vários pontos da cidade e já fazendo parte da paisagem, seja nos gramados, no alto de alguns edifícios da cidade, como também nas altas árvores.

As curucacas, também conhecidas como curicacas, foram chegando discretamente, se reproduzindo e estão, aos poucos, aumentando o número da família que está por nossa cidade. Para quem não conhece, são aves que apesar de estarem recentemente se destacando na nossa região, são comuns em toda a América do Sul, e não estão na lista das aves em perigo de extinção.

Com 69 cm de comprimento e 43 cm de altura em média, tem o nome científico de Theristicus caudatus e o nome pelo qual é conhecida em boa parte do Brasil, que é curucaca ou curicaca, acredita-se ter origem indígena no tupi-guarani, onde kuri significa “araucária” e akã quer dizer “copa”, pois é uma ave que costuma fazer ninhos sobre pinheiros e outras árvores altas. Nos países andinos, o nome popular é “onomatopeico”, já na região norte do Brasil é conhecido como “despertador”, pelo costume do canto forte pela manhã. São aves sociáveis, chamam atenção quando se reúnem para dormir ou quando se deslocam em grupo para lugares distantes, e geralmente são vistas em casal.

Curucaca na rua Eduardo Sprada em busca de comida.

Curucaca andando tranquilamente na rua.

Casal de curucacas comendo ração dos animais de rua.

Casal de curucacas num gramado na rua João Bettega.

É uma ave de belo voo e consegue ficar planando por um bom tempo, pelas suas largas asas. Também é resistente, o que lhe permite viver desde os campos secos na Colômbia, até no frio da Terra do Fogo e dos Andes, ou no calor do pantanal, onde encontra um maravilhoso habitat e é muito comum, apesar de poder viver por todo o Brasil.

As curucacas são admiradas pela população por serem mansas, passearem junto às pessoas e, em alguns casos, chegarem a se alimentar nas mãos das pessoas. São aves que os fazendeiros protegem em todos os lugares, pois ajudam a controlar as populações de pequenos animais, considerados nocivos. Elas alimentam-se de gafanhotos, aranhas, centopeias, lagartixas, pequenas cobras, ratos e sapos. Também usam o seu grande bico curvo para extrair larvas de besouro e outros insetos, mergulhando-o na terra até a base.

Em São Mateus do Sul, são geralmente vistas no parque do Rio Iguaçu, no Cepe, junto ao ginásio do Polacão e diversos locais urbanos que possuem campos e gramados. Em alguns pontos da cidade, onde os moradores acabam mantendo comida para animais de rua, em locais mais tranquilos e com pouco tráfego de automóveis, as curucacas costumam repartir as rações disponibilizadas. Essa aparente docilidade das aves e o tamanho delas, em relação às outras mais comuns pela cidade, fazem com que, além de admiradas, sejam também respeitadas tanto pelas pessoas como pelos animais de rua. Devido a abundância de alimentos e também as matas e campos existentes, mesmo os campos cultivados, além do Rio Iguaçu que provoca muitos pontos de áreas alagadas, acabam se tornando um atrativo a mais para que as curucacas se sintam em casa e proporcionam belos espetáculos ao voar sobre o rio, concorrendo em beleza com as gaivotas e dividindo com elas a admiração.

Hugo Lopes Júnior
Últimos posts por Hugo Lopes Júnior (exibir todos)

Comentários

Compartilhe:


MATÉRIAS RELACIONADAS
CÃOcurso Julho Dourado
A superação através da alegria
Com formação em colégios públicos de São Mateus do Sul, profissionais se destacam na Bahia e Canadá