Especial

De passeio histórico ao ecoturismo: dicas de viagens para as férias no Paraná

Listamos cinco lugares para você aproveitar as suas férias. (Foto: Cheila Anja)

Estamos nas férias de verão, e junto disso, passeios que ligam o homem e a natureza fazem parte da listagem das viagens de muitos turistas para lugares diferentes e que marquem ainda mais esses dias. Existe também aqueles que optam por lugares históricos para conhecerem um pouco mais da regionalidade da cidade visitada, e trazem de volta na mochila uma bagagem de conhecimento.

Pensando nesses quesitos e incentivando o turismo do nosso estado, mostraremos a seguir dicas de alguns lugares pelo Paraná que unem todos esses quesitos em passeios e visitas diferentes e que deixarão as férias ainda mais divertidas. Confira!

Museus, batalhas e coxinha de farofa

A Casa Lacerda, localizada na Lapa, é toda decorada com móveis antigos. (Foto: Cláudia Burdzinski/Gazeta Informativa)

Chegando no município da Lapa, que fica a cerca de 84 km de São Mateus do Sul, o grandioso quartel do exército brasileiro é um dos principais destaques logo na entrada, mas o que poucos sabem é que dentro da cidade existe uma história local rica em boa gastronomia, batalhas e museus que trazem um pouquinho do século passado para nossa realidade.

O município é conhecido por ser um dos centros das batalhas da Revolução Federalista em 1894, onde os pica-paus e maragatos lutaram por ideologias políticas. Marcando essa história paranaense, a cidade com mais de 45 mil habitantes abriga museus que contam sobre os acontecimentos do Cerco da Lapa. Teatro, Museu das Armas, Casa Lacerda e Panteão dos Heróis estão entre os lugares mais visitados pelos turistas, que encontram ali a história local.

Quem curte o contato com a natureza, o município possui uma vasta extensão interiorana. A conhecida “Gruta do Monge” é um dos pontos de encontro de familiares, amigos e turistas nos fins de semana, e é uma ótima pedida para quem quer conhecer lugares novos pertinho de São Mateus do Sul.

Para os apaixonados em uma boa gastronomia, a tradicional coxinha de farofa criada pelos lapeanos são comercializadas em diversos estabelecimentos da cidade. Se visitar a Lapa, não saia de lá sem essas delícias.

O 6º maior cânion do mundo é paranaense

Essa dica é para aqueles aventureiros que procuram viagens ligadas ao ecoturismo. O cânion Guartelá, localizado em Tibagi, que fica a cerca de 210 km de São Mateus do Sul, é uma das belezas do nosso estado. Considerado o 6º maior cânion do mundo, o local possui uma extensão de 30 km e desníveis de até 450 metros. Além da beleza visual, o lugar contempla um importante patrimônio arqueológico do Paraná, com pinturas rupestres e formações rochosas.

A cidade possui várias opções para turismo e atividades que unem trilhas bem sinalizadas com níveis moderados de dificuldade. Você também pode aproveitar o ecoturismo com passeios de rafting – descida no rio e corredeiras em botes infláveis.

O ecoturismo em Tibagi possui cachoeiras e trilhas para mostrar ainda mais a natureza do local. (Foto: Reprodução/Matraqueando)

Praia? Não! Vou descer a serra de boia cross

A Serra da Graciosa é uma das vistas mais apreciadas de quem está viajando para o litoral paranaense. Um dos municípios que fazem parte desse trajeto é Morretes, que fica a cerca de 203 km de São Mateus do Sul. Para quem quer fugir um pouco da rotina de aproveitar o verão na praia, no município de Morretes existe a opção de descer o Rio Nhundiaquara de boia cross. Há vários pontos de locação de boias, coletes e equipamentos de proteção. O preço é acessível e a descida leva em média 3 horas. Não esqueça de conferir a previsão do tempo antes desse passeio: as chuvas na serra podem ser perigosas.

Descida de boia cross em Morretes. (Foto: Cheila Anja)

A cultura alemã em Witmarsum

Pertinho de São Mateus do Sul, a 78 km, a Colônia Witmarsum, pertencente ao município de Palmeira, é um resgate a cultura alemã em nosso estado. Líder na produção de leites e queijos, os deliciosos cafés coloniais são destaques na gastronomia do local que possui uma arquitetura típica do país europeu. O sotaque e a culinária também remete a essa tradição. Se você quer passar um dia diferenciado, leve sua máquina fotográfica e aproveite as paisagens do local.

A arquitetura na Colônia Witmarsum que pertence ao município de Palmeira. (Foto: Reprodução/Matraqueando)

Não é só o Jardim Botânico…

Vista da lagoa na Universidade Livre do Meio Ambiente, em Curitiba. (Foto: Cler Eloiza Burdzinski)

Quem opta por viajar para a capital paranaense gosta de aproveitar as inúmeras atrações curitibanas. Shoppings, museus e os diversos lugares gastronômicos são o que o não faltam na cidade.

Mas se você quer passar uma tarde diferenciada – e cansou de ir até o tradicional Jardim Botânico –, Curitiba possui um parque dedicado especialmente para a natureza: a Universidade Livre do Meio Ambiente (Unilivre). O local que também serve para estudos, possui gramados e um lago que já foi cenário para ensaios fotográficos e gravações. Há também a confecção de materiais recicláveis e aquele delicioso café feito na hora. Anote o endereço: Rua Victor Benato, 210, Pilarzinho – Curitiba.

Estudante de Jornalismo que adora escrever e conhecer um pouco sobre a vida e a história de cada pessoa envolvida. Preza pela essência que é repassada na produção de cada matéria, valoriza os pequenos gestos e apoia o ativismo ambiental. E-mail para contato: claudia@gazetainformativa.com.br

Compartilhe:


MATÉRIAS RELACIONADAS
Desapego: a qualidade das peças de garimpo
Posse da nova diretoria da subseção da OAB em União da Vitória, na qual São Mateus do Sul faz parte, é realizada
A originalidade da arquitetura são-mateuense – Parte IV

Os comentários estão fechados