Profissões

Delegado de São Mateus do Sul explica um pouco mais sobre sua profissão

Jonas Eduardo Peixoto Amaral atua como Delegado de Polícia há cerca de 15 anos. Em São Mateus do Sul há 3 anos está à frente da 3ª Subdivisão da Polícia Civil. (Foto: Alexandre Müller/Gazeta Informativa)

Você já pensou em ser Delegado de Polícia? Essa é uma das profissões mais cobiçadas entre os bacharéis em Direito. Para conquistar o cargo, tanto na Polícia Civil como na Federal, é necessário ser aprovado em concurso público.
Também conhecido como Autoridade Policial, o Delegado tem a função de comandar a investigação de crimes, desvendando delitos e com isso permitindo a responsabilização dos infratores. A apuração das infrações penais é, via de regra, documentada em um inquérito policial.

O Delegado tem o poder de, em certas situações, prender indivíduos, apreender bens e acessar dados sigilosos. Ou seja, a depender da deliberação do Delegado de Polícia, um cidadão pode ter sua liberdade, patrimônio e intimidade restringidos.

Tem também a possibilidade de conceder liberdade provisória com fiança, realizar indiciamento, buscas em indivíduos, requisitar de perícias e documentos, nomear peritos e escrivães, expedir mandados de intimação e de condução coercitiva, determinar ação controlada, fazer acordo de colaboração premiada, ordenar destruição de plantações ilícitas e a incineração de drogas, dentre outros poderes.

O protagonista do quadro profissões da Gazeta Informativa nesta edição, é o Delegado da 3ª Subdivisão da Polícia Civil de São Mateus do Sul, Jonas Eduardo Peixoto Amaral, 42 anos, nascido em Itapetininga, interior do estado de São Paulo e residindo no município há cerca de 3 anos. O Delegado se formou no curso de Direito em janeiro do ano 2000 pelas Faculdades Integradas Itapetininga.

Jonas comenta, que ainda enquanto acadêmico, teve uma aptidão muito grande na disciplina de direito penal e realizou seus estágios obrigatórios no Ministério Público e em algumas delegacias de polícia. Isso foi um grande motivador para a escolha da sua futura área de atuação.

Logo após formado, advogou por um período de 2 anos na cidade natal e conciliou esse tempo com sua preparação para realizar concursos públicos nos estados de São Paulo, Santa Catarina e no Paraná, sendo aprovado em 2002 no Paraná e convocado em 2004, nomeado como Delegado em fevereiro do mesmo ano.

Assumindo o cargo, atuou nas Comarcas dos municípios de Pinhão, Coronel Vivida, Cornélio Procópio, União da Vitória, Telêmaco Borba e agora na chefia da 3ª Subdivisão da Polícia Civil em São Mateus do Sul, totalizando quase 15 anos na profissão.

Jonas relata que os concursos públicos na área são bastante concorridos, não sabendo precisar a proporção das vagas, mas salienta que existem muitas vagas em aberto em todo o estado e país, e que muitos Delegados estão em processo de aposentadoria e exonerações. Só no Paraná nos anos que acumula enquanto Delegado, foram realizados três outros concursos.

A Polícia Civil que é comandada pelo Delegado, é a principal porta de entrada para as notícias de crimes e outras decorrências que são trazidas pela Polícia Militar, cabendo à Polícia Civil apurar todos os fatos e a materialidade de cada uma das questões, ou seja, um trabalho de investigação. Toda a investigação demanda da busca de informações, relato de testemunhas, analise de laudos periciais, para se fechar a convicção de uma determinada investigação, muitas vezes sendo necessário bastante tempo para isso.

Ainda segundo o delegado, um dos maiores facilitadores aos interessados em engrenar nessa profissão é o acesso aos cursos preparatórios, muitos deles disponíveis online e que são de excelente qualidade para os Bacharéis em Direito se prepararem para os concursos. “É um trabalho extremamente gratificante e empolgante, mesmo diante às várias dificuldades ocorrentes no dia a dia.”

Jonas explica que atua com agentes que auxiliam o trabalho, como escrivães, peritos, papiloscopistas e investigadores, que colaboram com a atuação do Delegado.

De acordo com Peixoto, não há motivos para reclamar do salário da profissão, apenas de que há tempos existem reinvindicações da classe para sua melhoria.

Dentro da carreira profissional, o Delegado é dividido em classes de acordo com seu tempo de atuação e que determinam suas promoções, sendo que quando inicia engloba a 4ª classe e assim por diante, chegando ao Delegado de 1ª Classe. Essa hierarquia é analisada além do tempo de atuação, pelos fatores como especializações, cursos da Secretaria Nacional de Segurança Pública, participação em determinados trabalhos e pontos por parte das chefias.

Ao questionado sobre a questão da aposentadoria da profissão, o Delegado norteia que com 30 anos de atuação, sendo 20 no mesmo cargo, os profissionais conseguem se aposentar com o valor integral.

Acerca dos objetivos profissionais almejados pelo Delegado, ele relata que já atua há 3 anos em uma subdivisão policial, dentre as 22 existentes no interior do estado e honra-se por isso, mas tem como objetivo com o passar dos anos, assumir a chefia de delegacias maiores ou mesmo atuar em uma das divisões da capital, evoluindo dentro de sua carreira e somando experiências na área.

“Não há segredo! A pessoa tem de focar em seus objetivos e se optou em seguir uma carreira policial, sendo Delegado ou não, foque nisso e busque metas de estudo e preparação. Não esmoreça diante as dificuldades e tropeços, pois algum dia você chegará lá com toda a certeza, basta querer e se preparar”, conclui Jonas.

CHARGE:

Alexandre Müller
Alexandre Müller

Últimos posts por Alexandre Müller (exibir todos)

Comentários

Compartilhe:


MATÉRIAS RELACIONADAS
O trabalho voluntário dedicado ao Bazar do Hospital
O constante aprendizado de quem contribui e faz a história
Medicina Anestesiologista: o cotidiano de quem trabalha diretamente na área

Os comentários estão fechados