Jornal de São Mateus do Sul (PR) e região

Dia Mundial de Conscientização da Violência Contra a Pessoa Idosa é celebrada em São Mateus do Sul

Dia 15 de junho marca o Dia Mundial da Conscientização da Violência Contra a Pessoa Idosa. Em São Mateus do Sul anualmente é promovida a passeata que reúne centenas de idosos que objetivam chamar a atenção da comunidade à garantia de seus direitos. A foto mostra a ação realizada no ano passado. (Foto: Alexandre Müller/Gazeta Informativo)

A violência contra a pessoa idosa é um problema que se agrava e se estende, gradativamente, nos dias atuais. O idoso se torna uma vítima fácil, por muitas vezes ter que depender de seus familiares em diversos aspectos, seja nos cuidados da saúde, nas relações sociais, dependência financeira ou até mesmo pela simples convivência familiar.

Dia 15 de junho marca o Dia Mundial da Conscientização da Violência Contra a Pessoa Idosa. A data foi instituída pela Organização das Nações Unidas (ONU), e pela Rede Internacional de Prevenção à Violência Contra à Pessoa Idosa, com o objetivo de serem preservados os direitos desses cidadãos e cidadãs.

Os maus-tratos contra o idoso representam uma grave violação de seus direitos, demonstrando assim, o retrocesso da evolução social quanto às afirmações dos direitos humanos. Atualmente no Brasil temos 26 milhões de pessoas idosas com 60 anos ou mais, o que representa 13% da população brasileira. Sendo que a maior parte, cerca de 20,95 milhões, vive em áreas urbanas e é composta por mulheres, 13,84 milhões. O País atingiu também a marca de 49.177 centenários (as), segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE2013).

As projeções apontam também, que em 40 anos, o percentual de pessoas idosas deve triplicar no Brasil, aproximando-se de 29,7% da população. Segundo essas projeções, em 2050 haverá duas vezes mais idosos do que crianças na sociedade brasileira.

A cor violeta é o símbolo da luta contra a violência ao idoso, e é definida para representar a campanha de conscientização em todo o Brasil. Segundo os órgãos que atendem a rede de proteção às pessoas idosas, o tema alusivo à campanha é chamativo, em que, ao invés de violentar um idoso, que tal darmos uma violeta em forma de gratidão por eles existirem?

O lema chama atenção para que possamos tratar os idosos com dignidade e respeitá-los da forma que merecem, pois, viveram uma vida árdua para chegarem onde estão. A cor violeta, representando a flor, traz à tona o pensamento de que temos que ter muito cuidado e que não precisamos de muita coisa para que elas floresçam, mas sim de carinho e atenção diário.

A Pastoral da Pessoa Idosa na luta contra a violência

O objetivo da Pastoral da Pessoa Idosa (PPI), é formar redes de solidariedade humana, fortalecendo o tecido social, contribuindo assim para melhorar a qualidade de vida das pessoas idosas na família, buscando a compreensão das dimensões do envelhecimento, gerando uma cultura que cuida do ser humano em sua plenitude.

As denúncias no Disque 100 mostram que a maior parte das agressões contra as pessoas idosas, que vão desde o abuso financeiro, a negligência e até maus tratos físicos e psicológicos, são cometidas por seus próprios familiares.

Para garantir o envelhecimento de forma saudável, tranquila e com dignidade, os líderes da PPI são capacitados para identificar possíveis casos de violência e também como abordar o assunto, tanto com a pessoa idosa agredida, como com a família que provoca a violência.

Segundo a PPI, em São Mateus do Sul, durante a visita domiciliar, realizada mensalmente, o líder fica atento aos principais sinais de violência, tais como: falta de higiene das roupas, existência de lesões cutâneas, presença de hematomas, cortes em região de cabeça, pescoço e tronco, e lesões nos punhos e calcanhares. Ao identifi car casos de violência contra a pessoa idosa, o líder da PPI pode compartilhar o caso com um profi ssional da Assistência Social, pois eles podem realizar a avaliação e o acompanhamento do caso relatado.

O Conselho Municipal dos Direitos da Pessoa Idosa

A equipe da Gazeta Informativa contatou a presidente do Conselho Municipal dos Direitos
da Pessoa Idosa (CMPI), Michele Rodrigues Koga, que atua como assistente social do Centro de Referência Especializado de Assistência Social (CREAS), e ela norteou alguns dos objetivos do conselho, dentre: a participação da sociedade civil e do poder público; a realização de encontros bimestrais dos conselheiros; a fiscalização das propostas aprovadas na conferência municipal dos direitos da pessoa idosa; a fiscalização dos serviços ofertados no município ao público idoso; e a defesa dos direitos da pessoa idosa e o papel consultivo, normativo, deliberativo e fiscalizador.

Michele enalteceu que a violência enquadrasse não somente a violência física e sim, a violência sexual e psicológica, englobando os maus tratos, a negligência e o abandono contra à pessoa idosa.

Formas de denúncia

O CMPI orienta que todos os casos de violação dos direitos das pessoas idosas devem ser relatados às profissionais da rede de proteção. Uma outra opção também é a denúncia anônima via disque 100, canal direto de defesa aos direitos humanos.

As denúncias recebidas são analisadas e encaminhadas aos órgãos de proteção, defesa e responsabilização em direitos humanos, no prazo máximo de 24 horas, respeitando a competência e as atribuições específicas, priorizando qual órgão intervirá na proteção da vítima.

As denúncias também podem ser realizadas na sede do CREAS, localizada na Rua Pedro Effco, nº 1868, Vila Prohmann, ou através do telefone (42) 3912-7112. O CREAS oferece serviço de atendimento especializado a pessoas idosas vítimas de violações de direitos, tais como violência física, sexual e psicológica, maus tratos, negligência, exploração da imagem, isolamento, confinamento, atitudes discriminatórias e preconceituosas no seio da família, falta de cuidados adequados por parte do cuidador, desvalorização da potencialidade/capacidade da pessoa, dentre outras que agravam a dependência e comprometem o desenvolvimento da autonomia.

Outro serviço público de proteção aos direitos do idoso é o Centro de Referência de Assistência Social (CRAS), localizado na Rua Agenor Nascimento, nº 872, Centro de São Mateus do Sul, telefone (42) 39127085.

O CRAS trabalha na prevenção de situações de risco social e fortalecimento da convivência familiar e comunitária, promove acessos a benefícios e serviços socioassistenciais, fortalecendo a rede de proteção de assistência social nos territórios; promove acessos a serviços setoriais, em especial das políticas de educação, saúde, cultura, esporte e lazer existentes no território, contribuindo para o usufruto dos usuários aos demais direitos; oportuniza o acesso às informações sobre direitos e participação cidadã, estimulando a convivência familiar e comunitária.

Compartilhe esta reportagem...Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on LinkedInShare on Google+Print this page


Comentários: