Administração e Negócios

Diagrama de pareto, ou simplesmente curva ABC

Foto: Do Autor, Eleandro Soares

Imagem: Do Autor, Eleandro Soares

Na edição passada iniciamos uma abordagem de como garantir um bom gerenciamento de estoque. Hoje daremos sequência ao tema falando sobre uma ferramenta utilizada para fazer a classificação do mesmo.

A Curva ABC, também conhecida como regra 80-20, é baseada no teorema do economista Vilfredo Pareto, onde num estudo sobre a renda e riqueza ele observou que uma pequena parcela da população, cerca de 20%, concentravam a maior parte de toda a riqueza, cerca de 80%.

Nas empresas a curva ABC é amplamente utilizada na administração de materiais. É uma ferramenta de análise que permite reconhecer e controlar o estoque definindo níveis de controle de acordo com a importância e prioridade de cada classe, que são três, a classe A, B e C.

Na Classe A da curva, estão os principais itens em estoque e de altíssima prioridade, são itens com maior valor devido à sua importância econômica, e pelo princípio de Pareto, estima-se que 20% do total de itens correspondem a 80% do valor em estoque.

Na Classe B, estão os itens intermediários, que ainda são financeiramente relevantes, pois seus valores econômicos são considerados preciosos, por isso recebem cuidados medianos e ficam classificados na sequência de prioridade logo após os produtos da classe A. Estima-se que na classe B, 30% dos itens correspondem a 15% do valor do estoque.

Na Classe C, os itens não deixam de ser importantes, no entanto o critério estabelece que seu impacto econômico não é drástico, o que exige menos esforços, pois aqui 50% dos itens correspondem a apenas 5% do valor total do estoque.

Os parâmetros desta ferramenta não são uma regra matematicamente fixa, porém são estatísticos, ou seja, os valores podem variar de empresa para empresa nos percentuais descritos para cada classe, entretanto os valores são sempre muito próximos do modelo de Pareto que atua como balizador neste processo.

O importante é que a análise dos parâmetros propicia o trabalho de controle de estoque, cuja decisão de compra pode se basear nos resultados obtidos pela curva ABC. Os itens considerados de Classe A merecerão um tratamento preferencial. Assim, a utilidade desta técnica resultará na otimização da aplicação dos recursos financeiros, evitando desperdícios ou aquisições indevidas e favorecendo o aumento da lucratividade.

Com a avaliação dos resultados da curva ABC, é possível perceber o giro dos produtos, bem como sua incidência em um determinado período, o nível de lucratividade e o grau de representação no faturamento da empresa.

Uma ferramenta antiga, porém, muito eficiente, e que pode ser empregada a qualquer tipo de estoque, seja de matéria-prima, produto semiacabado, produto acabado ou materiais de consumo. Sua correta aplicação permite a qualquer empresa uma enorme contribuição para eficiência em custos, prática de melhores preços, agilidade no atendimento ao cliente, além de permitir uma atuação com extrema qualidade.

Nos encontramos na próxima edição! Bons Negócios.

Últimos posts por Eleandro Soares (exibir todos)

Comentários

Compartilhe:


MATÉRIAS RELACIONADAS
O.S.M.: Organização, Sistemas e Métodos
A importância das metas para os negócios
Cargos, salários, remuneração e carreira