As atividades de panfletagem encontram-se mais escassas devido à pandemia do Covid-19, fato que não desmotiva Silvio
perante as dificuldades encontradas. (Éber Deina/Gazeta Informativa)

O desenvolvimento da publicidade acompanhado pela dinamização dos meios de comunicação, transformou muito a maneira através da qual as pessoas alcançam determinados serviços e produtos. No entanto, o aprimoramento tecnológico desses meios não atinge a todos de maneira democrática e ainda existem veículos de comunicação mais tradicionais que ocupam seu espaço dentro da sociedade. A panfletagem é uma dessas atividades, estando amparada pelo princípio da livre iniciativa, inscrito na ordem econômica institucional, no art. 170 da Constituição Brasileira. Conheça a filosofia e o trabalho de Silvio Miranda, um dos profissionais que atuam nessa área no município de São Mateus do Sul.

Silvio nasceu no município e passou toda a sua vida residindo na cidade. Ele tem 36 anos de idade e é oriundo de uma família composta por dois irmãos e uma irmã, que vivem com ele ao lado de seu pai na Vila Palmeirinha. O falecimento de sua mãe uniu ainda mais os irmãos em torno da estrutura familiar. “Nossa família cresceu e viveu em São Mateus do Sul, que sempre nos ofereceu o que precisamos. Hoje em dia moramos todos juntos ao lado do meu pai que está com 70 anos, além de alguns animais de estimação que nos fazem companhia. É um prazer poder estar em família”, ressalta ele.

Primeiras experiências profissionais

Assim como vários jovens residentes no município, Silvio encontrou dificuldades para se estabelecer no início de sua vida profissional. Ele acumulou experiências diversas e iniciou sua carreira aos 18 anos atuando como padeiro. A escassez de empregos e a falta de oportunidades com vínculo empregatício e registro ainda permanecem em sua memória. “No período entre 2006 e 2008 eu chegava a ir cinco vezes por dia até a Agência do Trabalhador, em busca de vagas de trabalho que demoravam a aparecer. Nossa cidade é muito hospitaleira e agradável, mas acabam faltando algumas oportunidades melhores para que os jovens possam continuar estabelecidos aqui”, salienta ele.

O primeiro envolvimento com a panfletagem ocorreu em 2008, através de um profissional que já atuava no município. “Meu primeiro trabalho distribuindo panfletos publicitários foi entregando jornais do antigo Baú da Felicidade, uma empresa que já não existe mais. Comecei a trabalhar como encarregado, mas a falta de organização e controle nesse ramo me motivaram a abrir meu próprio negócio”, relembra Silvio.

Abrindo uma empresa

Após dois anos de experiência com panfletagem, os anseios de Silvio em formalizar a atividade e abrir uma empresa se tornaram realidade. A operação de entrega de panfletos muitas vezes ocorre de maneira informal, mas ele fez questão de tornar tudo mais profissional através da abertura de um MEI (Microempreendedor Individual). Em 2010 Silvio Miranda abriu sua própria empresa de prestação de serviços, que já nos seus anos iniciais atendeu várias empresas localizadas em nosso município.

O início da prestação de serviços individualmente, também ficou marcado por uma pausa na atuação com a panfletagem. “Nesses últimos 10 anos, após a formalização da empresa, não desempenhei mais outros tipos de atividades. A única coisa que me afastou desse trabalho foi uma cirurgia de úlcera nervosa, realizada logo após a abertura da minha empresa. Graças a Deus foram três meses de recuperação e na sequência eu já voltei à distribuição dos panfletos, inclusive dando oportunidades a alguns jovens para me auxiliar nas funções”, rememora Silvio.

Os desafios da profissão e a cordialidade

Os serviços desempenhados por Silvio, seja distribuindo panfletos diretamente nas residências ou nos semáforos da Avenida Ozy Mendonça de Lima, se tornaram conhecidos da sociedade são-mateuense. Sua simpatia e cordialidade na entrega dos mesmos, além da competência através da qual ele conduz suas atividades, fizeram com que várias empresas solicitassem sua mão-de-obra ao longo dos anos. A cadeia do mercado engloba diversas atividades e o papel executado por Silvio é muito importante na divulgação de produtos e do comércio locais.

Uma das características mais marcantes é o bom-humor através do qual Silvio aborda os pedestres e os moradores da cidade na prática de seu ofício. “Independentemente do meu trabalho, procuro ser muito gentil e atencioso com todos. Não sabemos o que cada um passa e muitas vezes um bom-dia e uma saudação podem fazer a diferença no dia daquela pessoa. Além de cumprir minhas obrigações eu também tento espalhar um pouco mais de gentileza e felicidade por onde ando”, ele completa.

Os principais desafios da profissão estão relacionados à maneira através da qual as pessoas reagem ao serviço de panfletagem. “Saio de casa preparado para tudo, nada pode me abalar. Nos últimos anos percebi que algumas pessoas andam sem paciência e acabam desrespeitando minha condição profissional. Apesar disso, sigo em frente pois acredito que a energia negativa de poucos, não pode me afetar em meio ao cotidiano”, encerra Silvio.

Comentários

Compartilhe:


MATÉRIAS RELACIONADAS
Maria Colaço: as cores são vidas!
O amor ao ensinar que é demonstrado até depois de partir
“Nos embalos da sanfona, faço o sentido e o ritmo da minha vida”, diz Selma Silva