Administração e Negócios

Eficiência e eficácia, qual a diferença?

Eficiência e eficácia são dois conceitos amplamente utilizados na administração de empresas, que embora parecidos, a ponto de gerar muitas confusões e dúvidas, são duas coisas totalmente diferentes.

Podemos dizer que a eficiência consiste em fazer corretamente as coisas. Já a eficácia, consiste em fazer as coisas certas.

Neste entendimento, quando falamos de eficiência, estamos falamos de algo que está ligado ao nível operacional, ou seja, como realizar as operações com menos recursos, com menos tempo, com menos movimentos, e assim por diante. Para tanto, existe a preocupação e ênfase nos meios, ou seja, em como as coisas serão feitas. Fazer as coisas da maneira mais otimizada possível, significa promover a eficiência.

Já a eficácia, está relacionada ao nível tático ou gerencial, pois tem ênfase direta com os resultados das operações. Isso significa fazer o que for necessário para alcança-los. O simples fato de atingir a meta, indica que houve eficácia.

Uma atividade empresarial pode ocorrer com eficiência, porém sem eficácia, ou vice-versa.

Imagine uma empresa que fabrica sapatos. Tendo os parâmetros já definidos, ela sabe que em uma hora deve produzir um par de sapatos, e o produto final deve sair de acordo com o projeto.

A maneira em que os sapatos serão produzidos está ligado com a eficiência do processo. Já o par de sapatos como produto final, saindo conforme o projeto, está ligado com a eficácia, pois o mesmo será o resultado do processo.

Em um primeiro momento, a empresa conseguiu fabricar o par de sapatos no tempo certo, e ainda atendendo todos os requisitos do projeto. Com base em seus parâmetros, significa que houve eficiência no processo e eficácia no resultado.

Em um segundo momento, a empresa conseguiu fabricar o par de sapatos em menos de uma hora. Porém um sapato ficou maior do que o outro. Isso significa que houve a eficiência no processo, porém não houve eficácia, visto que o produto (o resultado) não atendeu os requisitos desejados.

Em um terceiro momento, a empresa produziu o par de sapatos em uma hora e meia. Porém, o par de sapatos ficou melhor do que estava previsto, sinalizando então que não houve eficiência no processo, pois o tempo de produção foi totalmente extrapolado. Entretanto houve eficácia, visto que o resultado esperado foi atingido.

E por fim, além da empresa extrapolar o tempo, obteve um sapato bem diferente do outro. Neste caso, não houve eficiência e nem eficácia, pois além do processo não ocorrer da melhor forma, o produto final não gerou o resultado esperado.

Ser eficiente, significa ter vantagens competitivas em relação aos concorrentes ineficientes, e deixar de ser eficaz significará que os resultados comprometerão a empresa de maneira negativa.

O ideal é promover a ocorrência tanto da eficiência quanto da eficácia, pois em conjunto garantem a maximização dos resultados. Mas é preciso empenho, dedicação e comprometimento para manter a sincronia e o sucesso empresarial.

Nos encontramos na próxima edição! Bons Negócios.

Últimos posts por Eleandro Soares (exibir todos)

Comentários

Compartilhe:


MATÉRIAS RELACIONADAS
Comércio eletrônico: uma grande tendência
Empreendedorismo, uma ideia bem sucedida
Preço e Valor não se confundem, mas se completam