Histórias de Terra e Céu

Ei vizinho, tem alguém em casa?

Imagem ilustrativa de um exoplaneta.

Após várias semanas falando sobre as “histórias da Terra”, alguns leitores que me acompanham há tempo me cobraram que esta coluna também deve ser sobre as histórias do céu, assuntos que tratam de astronomia, tema da minha coluna original aqui na Gazeta. Então, para atender a estes amigos, vamos falar sobre uma recente descoberta que agitou o nosso “quintal” estelar. Embarque comigo nesta história!

Talvez você, quando criança, tenha sonhado em encontrar tesouros escondidos… Utilizar mapas e pistas, até encontrar o baú enterrado em algum local distante… Mas se você descobrisse que o baú estava no terreno do vizinho, certamente essa sua ansiedade aumentaria. Foi isso que aconteceu na pesquisa astronômica na última semana… Encontramos um tesouro “ao lado de nossa casa”. Para entender isso, deixe-me explicar o que é um exoplaneta.

Nosso Sistema Solar tem oito planetas e já temos certeza que eles não guardam vida igual à nossa. Mas há pouco mais de 25 anos os astrônomos começaram a descobrir planetas fora do Sistema Solar, os chamados “exoplanetas”. Dezenas deles, centenas e depois milhares. Só que a grande maioria destes objetos apresentava três problemas: eram gigantes gasosos (como Júpiter), ficavam fora da “zona habitável” (proximidade da estrela mãe que poderia dar condições adequadas à vida) e ficavam muito longe de nós (quando falamos muito longe, em astronomia, tenha certeza que é bem distante mesmo).

Bom, mas no último dia 24 os astrônomos do projeto Pale Red Dot surpreenderam o mundo ao anunciarem a descoberta de um planeta girando em volta de Proxima Centauri, a estrela mais próxima do nosso Sistema Solar. Se você olhar para o céu noturno, em direção ao sul, verá o Cruzeiro. Note que há duas estrelas brilhantes que “apontam” para o Cruzeiro. São alfa e beta do Centauro. Bom, a tal Próxima Centarui não é visível a olho nu, mas fica junto de Alfa do Centauro, aquela mais distante entre as duas que apontam para a cruz.

Mas o que esse planeta tem de especial? Além de ficar a apenas 4,3 anos-luz de nós, ele é muito semelhante à Terra (massa de 1,3 vezes a do nosso planeta) e fica dentro da zona habitável. A próxima pesquisa que os astrônomos devem realizar, segundo James Jenkins, da Universidade do Chile, é buscar vestígios de água na atmosfera do planeta. A água é condição essencial para a vida, como conhecemos.

Este assunto ainda vai evoluir muito nos próximos dias. Muita gente de peso apontará seus equipamentos para iniciar pesquisas sérias em relação a este irmão da Terra. Mas para nós, fica a notícia que há um tesouro na vizinhança… Ou melhor: há vizinhança! Agora é esperar para bater na porta da casa do vizinho e perguntar: “Tem alguém aí?”

Até a próxima semana e céus limpos para todos nós!

Gerson Cesar Souza
Últimos posts por Gerson Cesar Souza (exibir todos)

Comentários

Compartilhe:


MATÉRIAS RELACIONADAS
A Estrela de Belém
O mês da Lua!
Papai Noel, quero um telescópio!!!