Política e Cidadania

Eleitores vão às urnas e exercem o direito do voto na 12ª Zona Eleitoral em São Mateus do Sul e Antonio Olinto

Os eleitores que não estavam em sua cidade durante a votação, puderam fazer a sua justificativa durante as eleições. (Fotos: Thaís Siqueira/Gazeta Informativa)

Núltimo domingo (7), eleitores a partir de 16 anos de idade participaram do processo eleitoral 2018 em todas as cidades do Brasil e puderam escolher 6 canditados aos cargos legislativos e executivos, para os representar durante os próximos 4 anos, salvo os eleitos às vagas ao Senado, que tem mandato de 8 anos.

O tempo mais curto de campanha não impediu que o 1º turno das eleições deste ano fosse um dos mais movimentados da história política recente do país, com atentado, substituição de candidatos no pleito federal, candidatos com recorde de votos e a renovação tão esperada por grande maioria dos eleitores.

Este ano os candidatos se viram obrigados a repensar suas campanhas por causa de uma mudança aprovada em 2015 na chamada minirreforma eleitoral: o tempo de campanha. Se antes os candidatos tinham 90 dias para apresentar suas propostas aos eleitores, este ano foram apenas 52 dias. Além disso, ficou mais curta a duração da propaganda eleitoral na TV e no rádio, que passou de 45 para 35 dias.

Segundo a chefe do cartório eleitoral, Ana Cláudia Neumann Cabral, já se tinha a expectativa das demoras ocorridas em grande maioria das sessões eleitorais da 12ª Zona Eleitoral (ZE), a qual compreende os municípios de São Mateus do Sul e Antonio Olinto, havendo a existência de filas e a espera dos eleitores, em alguns casos, por mais de 1 hora para exercer o direito ao voto. “As intercorrências da formação de filas e a demora para votar aconteceram por ser a primeira eleição com a utilização do sistema da biometria e os eleitores terem de escolher 6 candidatos”, explica.

A chefe do cartório elenca que a equipe desenvolveu campanhas intensas, com divulgações e ações com a disponibilização da urna eletrônica para os eleitores treinarem e se adaptarem ao novo sistema, fosse no cartório ou mesmo em eventos do município, além dos mesários serem fielmente capacitados para colaborar com o processo do pleito. “As demoras ocorreram devido ao reconhecimento biométrico, onde os eleitores eram identificados de acordo com suas digitais e seguindo as regras eram efetuadas 4 tentativas”, diz. Se essas tentativas não dessem certo, o eleitor assinava um documento que comprovava sua presença no momento do voto.

Segundo o Cartório da 12ª ZE, o município de Antonio Olinto teve 1 urna substituída na comunidade de Lagoa da Cruz e a substituição de bobinas de papel devido à obstrução nas seções das comunidades do Pedroso e Imbuial. No Colégio Estadual Duque de Caxias do município, a urna da sessão nº 103 no momento do encerramento travou e a mesma teve de ser levada ao Fórum Eleitoral para a recuperação de dados.

Em São Mateus do Sul, foram registradas a substituição de urnas nas comunidades de Turvo de Baixo e Divisa. E também, já no encerramento da votação, 2 urnas no Colégio Estadual São Mateus e na comunidade de Estiva travaram e tiveram de ser encaminhadas ao Fórum Eleitoral para a recuperação de dados.

“A nossa conclusão quanto a votação foi de que ela aconteceu de forma tranquila, não havendo maiores incidentes, apesar das demoras e de alguns problemas que serão sanados a partir do segundo turno. Agradecemos aos mesários, secretários de prédios e auxiliares, aos motoristas e a equipe do cartório eleitoral que desempenharam brilhantemente suas funções”, completa Ana Cláudia.

Comentários

Compartilhe:


MATÉRIAS RELACIONADAS
Fórum Eleitoral promove reunião relativa à propaganda de candidatos políticos e suas formas
Professor Pabis Tadico é pré-candidato a prefeito pelo Partido dos Trabalhadores
Câmara Municipal de Vereadores tem nova Mesa Diretora definida