A ação voluntária faz parte do projeto “Leite Fraternal”, organizado pela 6ª regional do Movimento Tradicionalista Gaúcho. (Foto: Cláudia Burdzinski/Gazeta Informativa)

A jovem Thamyres Menezes da Silva, de 16 anos, 1ª prenda adulta do Centro de Tradições Gaúchas (CTG) Tropeiros de São Mateus do Sul, da 6ª regional do Movimento Tradicionalista Gaúcho (MGT) do Paraná, realizou mais uma doação através do projeto “Leite Fraternal”, organizado na 6ª regional. Dessa vez, 147 litros de leite foram doados para o Lar São Mateus, entidade filantrópica que possui quase 100 anos de existência. Os leites foram entregues na quarta-feira (3).

Para arrecadar fundos na compra das caixas de leite Thamyres realizou um bazar nas dependências do Salão Comunitário da Vila Americana, na terça-feira (2), em colaboração com a Fanfarra do bairro, que organiza tardes do pastel no Salão. A jovem aproveitou a oportunidade para realizar a ação social e vender as peças doadas pela equipe do CTG e amigos da família.

O projeto “Leite Fraterno” tem o objetivo de arrecadar caixas de leite e realizar a doação dos produtos à uma entidade como asilos, creches, hospitais, albergues, entre outros, para complementar o alimento dado às pessoas dessas entidades. Thamyres comenta que a escolha pelo Lar São Mateus aconteceu porque a família realiza semanalmente trabalhos voluntários na entidade.

Na imagem, Thamyres Menezes da Silva, de 16 anos.

De acordo com Rosenara Menezes da Silva, mãe da jovem, ela junto da filha e do sobrinho Jhonatan Felipe Camargo dos Santos, são conhecidos pelas crianças do Lar como “os gaúchos”, pois toda terça-feira, no período da tarde, eles levam um pouco da tradição gaúcha para os alunos com atividades diferenciadas, danças e brincadeiras. “Realizamos a ação há 4 anos. Apresentamos a indumentária gaúcha, brincadeiras antigas e lendas. Fazemos o resgate de nossa tradição em uma tarde diferenciada”, ressalta.

Para Rita de Cássia Rosa Portella Furtado, diretora do Lar, a ação voluntária feita pela família é fundamental para o desenvolvimento cultural das crianças que frequentam a entidade. “Eles dedicam o seu tempo com o trabalho voluntário, e as crianças se empolgam esperando a visita ‘dos gaúchos’”, diz. A diretora reforça que a doação do leite colaborará para os lanches das crianças, como cafés e bolos.

O Lar São Mateus

Trabalhando com atividades através de oficinas (dança, literatura e teatro, informática, artes manuais e educação física), em período diferenciado ao turno escolar, o Lar São Mateus prioriza trazer para o cotidiano das crianças proteção social básica, qualidade de vida, desenvolvimento pessoal e de cidadania, com uma equipe de profissionais capacitados para suprir todas as necessidades educacionais e sociais, através da afetividade e carinho com as crianças.

Estudante de Jornalismo que adora escrever e conhecer um pouco sobre a vida e a história de cada pessoa envolvida. Preza pela essência que é repassada na produção de cada matéria, valoriza os pequenos gestos e apoia o ativismo ambiental. E-mail para contato: claudia@gazetainformativa.com.br

Compartilhe:


MATÉRIAS RELACIONADAS
José Maria França: o ícone da música são-mateuense deixou saudade, mas sua história continua viva no coração de familiares e amigos
O dom da cura por orações
Da pecuária leiteira à pesca e artesanato

Deixe seu comentário

*