Administração e Negócios

Empowerment: melhoria no processo de tomada de decisão

Imagem Ilustrativa

Imagem Ilustrativa

O conceito de empowerment é bem comum para muitos profissionais e estudantes de administração. Mas se para você, amigo leitor, é algo desconhecido, bem-vindo ao assunto.

Trata-se de uma ação estratégica que visa um melhor aproveitamento do capital humano nas organizações, e ocorre por meio da delegação de poder no sentido de dar autoridade para que os funcionários possam agir e decidir.

Na prática, o empowerment significa delegar a tomada de decisão para seus colaboradores, de modo a promover a flexibilidade, rapidez e melhoria no processo de tomada de decisão da empresa.

O empowerment permite que os funcionários sejam capazes de tomar decisões com base nas informações fornecidas pelos gestores, aumentando sua participação e responsabilidade nas atividades empresariais. Torna-se uma estratégia positiva quando aplicado em empresas que possuem uma cultura participativa.

O empowerment jamais terá eficiência em empresas que possuem cultura de tomada de decisões centralizada.

Os gestores que pretendem trabalhar com o empowerment, além de proporcionar uma cultura organizacional favorável, devem preparar suas empresas treinando e doutrinando seus funcionários para que estejam aptos a receber tais responsabilidades de forma correta.

Essa estratégia possui vários princípios estruturais, dos quais podemos destacar quatro deles. O primeiro é justamente o desenvolvimento, que é oferecer continuamente recursos às pessoas em termos de capacitação e desenvolvimento pessoal e profissional. Isso sinaliza para a necessidade constante de treinar, proporcionar informações e conhecimento e ensinar novas técnicas.

O segundo é o poder, no sentido de delegar autoridade e responsabilidade em todos os níveis da empresa. Isso significa dar importância e confiar nas pessoas, além de dar a elas liberdade e autonomia de ação.

O terceiro princípio é a motivação, no sentido de incentivar as pessoas de maneira contínua. Também envolve reconhecer o bom desempenho e recompensar resultados.

A liderança, quarto princípio, sinaliza para a orientação das pessoas, definição de objetivos e metas e expansão de novos horizontes.

Uma vez aplicado e mantido, o empowerment modifica a estrutura organizacional diminuindo os níveis hierárquicos e substituindo os subordinados por intraempreendedores, pois terão plenas condições de agir como se fossem donos do negócio, passando a pensar como empresários.

O feito também proporciona o aumento da motivação e satisfação dos funcionários, aumentando assim a taxa de retenção de talentos, além é claro, de estimular o aparecimento de novos líderes dentro das empresas.

Nos encontramos na próxima edição! Bons Negócios.

Últimos posts por Eleandro Soares (exibir todos)

Comentários

Compartilhe:


MATÉRIAS RELACIONADAS
Preço e Valor não se confundem, mas se completam
Programa de retenção de talentos
Controladoria