Cidade

Empresas ervateiras e produtores de Cruz Machado conhecem o processo de Indicação Geográfica da erva-mate são-mateuense

Empresas ervateiras de Cruz Machado se inspiram na IG São Matheus para iniciar a busca do selo de indicação de seu produto. (Foto: Alexandre Müller/Gazeta Informativa)

A Associação dos Amigos da Erva-mate (IG-Mathe), recepcionou na quinta-feira (17), um grupo composto por 15 empresários ervateiros, produtores e membros da Prefeitura de Cruz Machado para repassar alguns conhecimentos sobre a obtenção do selo de Indicação Geográfica (IG).

Os cruz-machadenses pretendem iniciar um estudo para analisar a viabilidade de um pedido de reconhecimento de IG de seus ervais e devido a isso, procuraram os membros da IG-Mathe para buscar um norte sobre o funcionamento do processo, além de conhecer a realidade do município após a conquista do selo.

Os integrantes da comitiva foram recepcionados com um saboroso café da manhã no Sadas Hotel, local onde ocorreram as discussões. No primeiro momento puderam experimentar alguns pratos à base da erva-mate. No decorrer da manhã, alguns dos membros da IG-Mathe apresentaram as fases do processo que São Mateus do Sul encarou para a obtenção do selo.

(Foto: Divulgação)

O almoço, servido pelo Restaurante Veneza também contou com alguns pratos que levam em sua composição a erva-mate, e segundo os organizadores do encontro, serviu para que o grupo percebesse o quanto essa cultura e a conquista da IG mudou o cenário local e como a comunidade são-mateuense abraçou essa identidade.

Um dos organizadores da recepção, Helinton Lugarini, enfatizou a parceria e o interesse dos produtores e empresários da cidade vizinha. “Ficamos contentes em saber que outras cidades e regiões estão buscando a IG da erva-mate e vamos fazer de tudo para tentar ajudar. Nos orgulhamos muito de termos sido a primeira do Brasil. Uma IG não concorre com outra, pelo contrário, só agrega!”

No período vespertino do mesmo dia, os envolvidos conheceram alguns dos pontos turísticos da cidade que englobam a cultura, como a Cuia e o Chimarródromo, e se surpreenderam com o envolvimento da cidade como um todo, até pela criação da promoção comercial Chimarrão da Sorte que envolve o mate e é promovida pela Câmara de Dirigentes Lojistas (CDL).

O tour encerrou com uma visita temática na propriedade da Ervateira Baronesa, que conta com espaço alusivo à produção e resgate histórico da cadeia produtiva, onde a professora Hilda Joceli Digner Dalcomuni explanou sobre a história do município, que está intimamente ligada ao ouro verde.

Helinton comenta que quando São Mateus do Sul iniciou o processo para a conquista da IG, recebeu todo o suporte do Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae), e isso foi crucial para o desenvolvimento. “Mas naquele momento não contamos com o apoio de um grupo que já havia passado pelo processo, pois fomos os primeiros da região e a primeira do país. Hoje estamos à disposição para ajudar e compartilhar nossas experiências.”

Toda a dinâmica contou com a participação do gerente regional da Empresa Paranaense de Assistência Técnica e Extensão Rural (Emater), Cleacir Junior Dall Agnol que acompanhou os integrantes da comitiva e está apoiando o grupo nesse trabalho.

Comentários

Compartilhe:


MATÉRIAS RELACIONADAS
II Congresso da Erva-Mate é realizado em São Mateus do Sul e reúne mais de 600 membros da cadeia produtiva regional
DER abre edital de licitação para pavimentação da PR-364
Instituto Histórico comemora dois anos com posse das primeiras cadeiras