Cidade

Empresas ervateiras e produtores de Cruz Machado conhecem o processo de Indicação Geográfica da erva-mate são-mateuense

Empresas ervateiras de Cruz Machado se inspiram na IG São Matheus para iniciar a busca do selo de indicação de seu produto. (Foto: Alexandre Müller/Gazeta Informativa)

A Associação dos Amigos da Erva-mate (IG-Mathe), recepcionou na quinta-feira (17), um grupo composto por 15 empresários ervateiros, produtores e membros da Prefeitura de Cruz Machado para repassar alguns conhecimentos sobre a obtenção do selo de Indicação Geográfica (IG).

Os cruz-machadenses pretendem iniciar um estudo para analisar a viabilidade de um pedido de reconhecimento de IG de seus ervais e devido a isso, procuraram os membros da IG-Mathe para buscar um norte sobre o funcionamento do processo, além de conhecer a realidade do município após a conquista do selo.

Os integrantes da comitiva foram recepcionados com um saboroso café da manhã no Sadas Hotel, local onde ocorreram as discussões. No primeiro momento puderam experimentar alguns pratos à base da erva-mate. No decorrer da manhã, alguns dos membros da IG-Mathe apresentaram as fases do processo que São Mateus do Sul encarou para a obtenção do selo.

(Foto: Divulgação)

O almoço, servido pelo Restaurante Veneza também contou com alguns pratos que levam em sua composição a erva-mate, e segundo os organizadores do encontro, serviu para que o grupo percebesse o quanto essa cultura e a conquista da IG mudou o cenário local e como a comunidade são-mateuense abraçou essa identidade.

Um dos organizadores da recepção, Helinton Lugarini, enfatizou a parceria e o interesse dos produtores e empresários da cidade vizinha. “Ficamos contentes em saber que outras cidades e regiões estão buscando a IG da erva-mate e vamos fazer de tudo para tentar ajudar. Nos orgulhamos muito de termos sido a primeira do Brasil. Uma IG não concorre com outra, pelo contrário, só agrega!”

No período vespertino do mesmo dia, os envolvidos conheceram alguns dos pontos turísticos da cidade que englobam a cultura, como a Cuia e o Chimarródromo, e se surpreenderam com o envolvimento da cidade como um todo, até pela criação da promoção comercial Chimarrão da Sorte que envolve o mate e é promovida pela Câmara de Dirigentes Lojistas (CDL).

O tour encerrou com uma visita temática na propriedade da Ervateira Baronesa, que conta com espaço alusivo à produção e resgate histórico da cadeia produtiva, onde a professora Hilda Joceli Digner Dalcomuni explanou sobre a história do município, que está intimamente ligada ao ouro verde.

Helinton comenta que quando São Mateus do Sul iniciou o processo para a conquista da IG, recebeu todo o suporte do Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae), e isso foi crucial para o desenvolvimento. “Mas naquele momento não contamos com o apoio de um grupo que já havia passado pelo processo, pois fomos os primeiros da região e a primeira do país. Hoje estamos à disposição para ajudar e compartilhar nossas experiências.”

Toda a dinâmica contou com a participação do gerente regional da Empresa Paranaense de Assistência Técnica e Extensão Rural (Emater), Cleacir Junior Dall Agnol que acompanhou os integrantes da comitiva e está apoiando o grupo nesse trabalho.

Comentários

Compartilhe:


MATÉRIAS RELACIONADAS
Confira os horários de ônibus da Viação Santa Rita
Escolas de Futebol se unem em prol do Lar de Idosos Anjos da Guarda
Mapa da Lei complementar sugere alteração de sentido nas ruas centrais