Na última quinta-feira (4), a equipe do Colégio Orlanda iniciou a entrega das apostilas para aqueles alunos que necessitarem. (Fotos: Colégio Estadual Orlanda Distéfani Santos)

A pandemia do novo coronavírus (Covid-19) continua refletindo no dia-a-dia de todos os brasileiros. A educação é um dos setores mais afetados, pois as atividades escolares continuaram acontecendo, agora de maneira remota. Os educadores e as equipes de funcionários dos colégios estão se dedicando ainda mais para que a acessibilidade dos alunos seja garantida. Uma atitude tomada pela equipe gestora do Colégio Estadual Professora Orlanda Distéfani Santos é bastante inspiradora nesse sentido.

A ideia do “drive-thru de apostilas”

Os drive-thru surgiram como uma alternativa de consumo da indústria alimentícia, especialmente das redes de restaurantes fast-food. A equipe gestora do Colégio Orlanda incrementou essa atividade, criando um sistema semelhante para entregar as apostilas destinadas aqueles alunos que solicitaram o material, em decorrência da acessibilidade às plataformas de ensino virtual que estão sendo utilizadas. As apostilas são uma alternativa para sanar essa questão. De acordo com Emiliana Lemes, diretora do Colégio, essa ideia promove mais um meio de acesso aos alunos e começou a ser realizada na última quinta (4), atendendo as localidades do Jardim Santa Cruz e Vila Verde. “Levando as atividades impressas nas áreas mais próximas de suas residências, auxiliamos a manter o distanciamento social e na prevenção do coronavírus”, explicou.

Ela ainda comentou sobre as potencialidades dessa atividade pedagógica na rotina vivida por educadores e alunos. “Esta ação tem como objetivo, não apenas a entrega das atividades impressas, mas manter a interação professor/aluno, pois junto com as entregas, há o grupo de WhattsApp de cada turma. Ali se desenvolve diariamente um processo de troca de informações, tira-dúvidas e repasse de atividades, que permitem ao professor o encurtamento de distâncias nesse momento atípico. O conteúdo é complementado e as atividades realizadas pelos alunos são definidas”, pontuou ela.

As atividades do Colégio Orlanda Distéfani em meio à pandemia

O Colégio Orlanda está situado na Vila Palmeirinha, em São Mateus do Sul. Os alunos que frequentam a escola são oriundos de diferentes localidades, ressaltando a importância do trabalho pedagógico desenvolvido pela equipe de profissionais e educadores. “Recebemos alunos de várias localidades do nosso município, como o Jardim Santa Cruz, Vila Palmeirinha, Loteamento, Vila Verde e algumas situadas na zona rural, como o Santana, Vargem Grande, Terra Vermelha, Arroio da Cruz, Lagoa da Cruz, Lageadinho e Tesoura”, evidenciou a diretora.

Atualmente, o Colégio conta com 323 alunos matriculados no Ensino Fundamental e 153 no Ensino Médio. A proposta pedagógica desenvolvida em função da pandemia é bastante ampla e completa, abrangendo a realidade e as necessidades do perfil das crianças e jovens que frequentam a instituição. 164 deles são inscritos no Programa Bolsa Família, iniciativa do Governo Federal e muitos não possuem acesso à internet ou são detentores de aparelhos eletrônicos. A entrega de apostilas é uma atividade que fortalece o papel educador e democrático da escola, tão necessário nos dias atuais.

Distribuição do kit merenda escolar

Em conformidade com o Decreto Estadual nº 4316, que dispõe sobre a manutenção do abastecimento e distribuição de produtos necessários e essenciais, inclusive merendas escolares da rede pública de ensino, o Colégio irá realizar nesta sexta-feira (5), das 08h às 10h, a distribuição dos kits alimentares. A ação irá ocorrer nas dependências do Colégio e se destinará aos alunos regularmente matriculados, inscritos no Programa Bolsa Família.

O Colégio Orlanda atende às demandas de alunos oriundos de diversas localidades do município. (Foto: João Vitor Bedim Silva)

Comentários

Compartilhe:


MATÉRIAS RELACIONADAS
“Empresa Amiga do Karolinka”: colabore com o grupo folclórico para viagem à Polônia
Democratização do acesso ao cinema no Brasil é tema da redação no Enem
Instituto Histórico e Geográfico elege as primeiras cadeiras