Administração e Negócios

Erros fatais que destroem qualquer empreendimento | Parte 01

Imagem Ilustrativa

Imagem Ilustrativa

Ser dono do próprio negócio é um sonho para muitas pessoas. A maioria dos profissionais que decidem pelo empreendedorismo, até ingressam no mercado com uma ideia favorável, mas infelizmente com um perfil conservador e estático. Essa postura ocorre pelo desconhecimento da essência necessária para empreender.

Seguir com um negócio próprio é sempre um desafio, pois além da enorme dedicação é necessário conhecimento em técnicas de gestão e análise comportamental do mercado. A ausência da preparação administrativa para gerenciar os negócios é um dos grandes fatores que contribuem para que mais de 50% das novas empresas fechem as portas em até quatro anos, conforme aponta o IBGE.

Saber o que fazer é essencial, mas saber o que não fazer também pode ser decisivo para garantir um negócio de sucesso, então separei alguns erros que devem ser evitados para que os negócios não se inclinem em uma negativa.

NÃO TER UM PLANO DE NEGÓCIOS: Antes de iniciar suas atividades empresariais, o empreendedor deve elaborar um plano de negócios. É com essa ferramenta que o empresário definirá as ações e metas que deverão ser cumpridas no curto, médio e longo prazo. Ao previamente “definir a empresa no papel”, a visão dos custos e prazos irão dar a dimensão das dificuldades existentes, assim será possível determinar os passos para atingir as metas com maior precisão. As estatísticas também indicam que uma em cada três novas empresas brasileiras fecham antes de completar um ano de atividade, justamente por falta de planejamento. Traçar um bom plano de negócios é uma ótima maneira de eliminar essa margem de erro e iniciar com o pé direito.

ATUAR NA INFORMALIDADE: A intensão de um novo empreendimento atuar de maneira informal é para fugir dos impostos, mas a verdade é que essa atuação deixa o negócio estagnado e impedido de crescer. É por meio da formalidade que a empresa poderá emitir nota fiscal, abrir conta bancária para a pessoa jurídica, usar máquinas de cartão de crédito e ter acesso a empréstimos com juros mais baixos. Além disso, a atuação informal é sempre vista como algo pouco profissional, o que prejudica a participação no mercado e compromete a capacidade de vendas.

AUSÊNCIA DE CAPACITAÇÃO: Você é um ótimo vendedor e decidiu abrir uma loja? Isso é ótimo, a experiência no ramo de atuação é de extrema importância, mas não é tudo. Apenas o conhecimento técnico não é suficiente para levar a empresa adiante. Conhecer e saber aplicar as técnicas corretas de administração é mandatório para não ver a empresa afundar. Portanto, é preciso se capacitar para ser também um bom gestor.

CONFUNDIR OS RECURSOS: Esse é um erro muito comum e presente nas empresas de pequeno porte. Ele acontece quando o empresário usa o dinheiro da empresa para bancar seus gastos pessoais, o que além de não ser justo, prejudica a capacidade de giro da empresa. O empreendedor deve fixar um valor para retirada mensal, o que é chamado de pró-labore e que deverá ser visto como um salário. Deve ser descartada a possibilidade de retiradas extras, pois os recursos devem ser aplicados na empresa de modo que ela tenha condições de crescer.

Na próxima edição continuaremos com mais alguns erros que impedem o progresso de vários novos empreendimentos. Até lá, e Bons Negócios.

Últimos posts por Eleandro Soares (exibir todos)

Comentários

Compartilhe:


MATÉRIAS RELACIONADAS
A importância de analisar (matematicamente) os resultados
Preço e Valor não se confundem, mas se completam
Gerenciando o estoque