Arquitetura, Urbanismo e Design

Espaços de lazer instalados em vagas de automóveis – Os Parklets

Imagem Ilustrativa

Imagem Ilustrativa

Os parklets são espaços temporários destinados ao lazer, áreas próximas às calçadas, localizados em vagas de estacionamento de automóveis. O primeiro projeto oficial dos parklets foi implantado em São Francisco, nos Estados Unidos, no ano de 2010.

Essas minipraças buscam criar ambientes mais agradáveis. São estruturas geralmente de madeira, que ocupam uma ou duas vagas de estacionamento em uma determinada rua, contendo bancos, mesas, floreiras e plantas, guarda-sol e outros itens que tornam esses ambientes muito aconchegantes, atrativos, geradores de convívio social, que humanizam e democratizam o uso do espaço urbano.

No Brasil, os parklets chegaram através da ONG Instituto Mobilidade Verde, no ano de 2013. Em São Paulo – SP, os parklets podem ser instalados pela iniciativa pública ou por qualquer munícipe, seja ele pessoa física ou jurídica, bastando o interessado entrar com sua solicitação na prefeitura com um termo de compromisso, se responsabilizando por esse espaço. Geralmente as minipraças são patrocinadas pela da iniciativa privada, através das empresas e dos lojistas do local onde será feito a instalação. Os parklets são permitidos em vias onde a velocidade máxima é de até 50 km/h.

Os parklets são ótimos para a cidade, eles podem ser instalados em frente a um restaurante ou bar, por exemplo, deixando o espaço mais atraente, trazendo mais clientes e gerando um sentimento de comunidade e com isso, deixando a via mais segura.

Vemos o exemplo da instalação desses espaços em uma cidade grande, mas o parklets não precisam se limitar apenas ao grandes centros, pois são espaços muito interessantes para qualquer cidade, seja ela de grande, médio ou pequeno porte. Vamos tonar as cidades mais interessantes, mais convidativas aos pedestres e aos ciclistas, muito mais boas de se viver.

Últimos posts por Rafael Ribacz Ramos (exibir todos)

Comentários

Compartilhe:


MATÉRIAS RELACIONADAS
Novas linhas de crédito para financiamento imobiliário
Reforma residencial – Dicas e planejamento
Plano Diretor