Junto do empresário Adão Staniszewski, Fernanda Sardanha foca desenvolvimento, trabalho,
renda e atendimento humanizado. (Foto: Acervo Pessoal)

Fernanda Garcia Sardanha (PSD) é assistente social concursada da prefeitura de São Mateus do Sul. Foi secretaria de Saúde na gestão de Clóvis Ledur. Adão Brudnicki Staniszewski é empresário e compõe como pré-candidato a vice-prefeito pelo PROS na majoritária. A dupla tem, pelas duas siglas, o total de 28 pré-candidatos ao cargo de vereadores, 14 em cada partido.

“O que me leva prioritariamente a disputar uma eleição, é retribuir o acolhimento e o amor que esta cidade tem dedicado a mim e minha família. Nesse meu primeiro mandato eletivo como vereadora busquei demonstrar eficiência e contribuição ao município, num processo participativo junto a comunidade e seus anseios”, afirma a pré-candidata sobre os motivos que lhe inserem na disputa.

Tendo a possibilidade de ser a 1ª prefeita mulher com “condição de demonstrar representatividade política juntamente com meu grupo, junto às esferas do governo federal e estadual, para trazer de fato e de direito os recursos e investimentos necessários para geração de trabalho emprego e renda para os são-mateuenses”. Ela considera a dificuldade, mas diz estar focada na vontade de ‘contribuir para transformar’.

Desenvolvimento e desafios

“Temos projetos e temos sonhos! Projetos com base em dados estatísticos para melhorar os indicadores de geração de trabalho emprego e renda, saúde, educação e desenvolvimento social e econômico. Temos projetos de promover o bem-estar da sociedade de São Mateus do Sul, em especial dos que mais precisam de políticas públicas”, cita, sustentada na experiência política, formação e grupo constituído.

“Sabemos que vamos enfrentar uma situação pós-pandemia com impactos econômicos e sociais, principalmente na área de saúde, educação, trabalho, emprego e renda”, analisa. Buscando o fortalecimento, a proposta é de criar ações com base nas vocações municipais para atrair novas empresas. O objetivo é de agregar valor aos produtos primários, integrando empresas locais, agronegócios e agricultura familiar.

Para isso, alinhada com o poder público, “contando com parcerias do governo estadual e nossos representantes na esfera federal”, explica. “Somos pré-candidatos do partido do governo estadual, onde temos um bom alinhamento e apoio, não só com o governo estadual, mas também com deputados estaduais e federais, os quais já priorizaram investimentos em nosso município”, acrescenta.

A pré-candidata entende que é importante alternar o comando político dentro de um município. “A falta de alternância da gestão municipal acarreta desgaste, pois os serviços públicos precisam de oxigenação juntamente com uma renovação de ideias e projetos de desenvolvimento local, industrial e agronegócios”, opina sobre a manutenção de mesmos grupos na prefeitura.

“Citamos como exemplo nossos municípios vizinhos que deram ênfase ao desenvolvimento social e econômico através de gestões inovadoras e participativas”, exemplifica. Neste sentido, avalia São Mateus do Sul. “Entendemos que é uma gestão marcada por uma falta de diálogo junto à população, também junto a grupos organizados de representatividade em nosso município”.

Isso, conforme Fernanda Sardanha, leva às decisões centralizadoras que, ao seu ver, não priorizamos interesses da população. “Vemos também uma grande dificuldade nos relacionamentos políticos, institucionais e governamentais. Observamos ainda que não houve priorização para o desenvolvimento econômico e social do município na área de geração de trabalho emprego e renda”, observa.

Diferenciais e proposições

A pré-candidata enumera seus diferenciais numa perspectiva de gestão. Enfrentar o desafio da representatividade da mulher no espaço político é o 1º. Seguido da responsabilidade de compor grupo com formação específica em cada setor, ouvir as necessidades da população e dar valor, ter uma ‘banca de projetos’ para captação de recursos, tanto federais quanto estaduais.

“Priorizo a geração de trabalho emprego e renda, o fortalecimento da Agricultura familiar e agronegócios, como riquezas locais atribuindo valores e reconhecimento a nossa cultura local procurando a nossa vocação”, acrescenta. Focando atender demandas, dar apoio técnico aos agricultores e desenvolver programas. Fernanda destaca, ainda, políticas públicas para mulheres, crianças e adolescentes.

Outro diferencial é descentralizar o pátio de máquinas e regionalizar o atendimento nas localidades para escoar as safras, “de forma planejada, eficiente e igualitária para todos”, frisa. Saber a real situação fiscal antes de tomar uma decisão é um dos pontos chaves para a pré-candidata. Projetando ajuste fiscal e novos planejamentos, mas tendo ciência dos gastos públicos por conta dos impactos na gestão.

“Deve ser prioritariamente assistidos de forma técnica e juntamente com a comunidade”, acrescenta. Sendo transparente e divulgando as informações. Mantendo secretarias importantes e que têm programas, projetos e serviços. Ao passo que, Fernanda entende que uma gestão eficiente, com planejamento e banca de projetos, trabalha ao longo de quatro anos, independente de calendário eleitoral ou não.

Observações e entendimentos

“Sabemos que a saúde deve ter prioridade nos investimentos e observamos várias queixas com relação a atendimentos e acesso a serviços, bem como, a distribuição de medicação, dando destaque a falta de serviços específicos na saúde da mulher e demais projetos/programas de responsabilidade do município”, opina a pré-candidata elencando série de proposições para o setor.

Fortalecer e reestruturar o sistema de saúde na atenção básica, prevenção, promoção da vida saudável e autocuidado. Buscar melhorar indicadores de saúde do pré-natal, parto e puerpério, através da implantação de programa específico. Junto de outro para remédios. Além de programas e projetos voltados à saúde da mulher, pessoa com deficiência, saúde bucal e do homem. É o que ela propõe.

No campo educacional, melhoria nos índices e investimentos. “Com relação à educação, conforme o resultado do IDEB [Índice de Desenvolvimento da Educação Básica], houve quedas nos índices. Outro problema, devido à pandemia, foi a falta de investimento e de estrutura nas escolas municipais com questões tecnológicas de informática para auxiliar os profissionais da educação.”

Quanto à mobilidade urbana, o intuito proposto é de ouvir o povo e avaliar tecnicamente. “Sabemos da importância dos investimentos em mobilidade urbana, mas entendemos que há necessidade de novos projetos para continuidade do atendimento conforme necessidade do município, após avaliação técnica e audiências públicas juntamente com a população”, afirma a pré-candidata.

Sobre a previdência municipal, Fernanda defende estudo mais amplo. Contudo aponta equilíbrio financeiro atual e déficit à longo prazo. Também foca valorizar os servidores. “Postura de diálogo de forma participativa, respeitando direitos adquiridos, promovendo aperfeiçoamento e capacitação continuada para garantia da prestação de serviços com qualidade, eficiência, efetividade e humanizada junto a nossa população.”

Sidnei Muran

Sidnei Muran

Jornalista (MTB 7597 DRT/PR), formado pelo Centro Universitário de União da Vitória (Uniuv), pós-graduado em História e Cultura pela Unespar – campus de União da Vitória e Licenciado em História pela Unespar – campus de União da Vitória.
Sidnei Muran

Comentários

Compartilhe:


MATÉRIAS RELACIONADAS
Câmara Municipal de Vereadores aprova projeto de lei que havia levado dezenas de servidores à Casa de Leis
Câmara Municipal de Vereadores de São Mateus do Sul divulga resultado de concurso público
Câmara Municipal de Vereadores inicia ano legislativo em São Mateus do Sul e define comissões parlamentares