Pela falta de sinalização, podem ocorrer acidentes durante o trajeto realizado por motoristas que não conhecem o local. (Fotos: Assessoria DNIT)

Foi implantada na BR-476, no quilômetro 270 ao quilômetro 273, a obra de terceira faixa, realizada pela empresa Castilho, totalizando cerca de 3.200 metros. Segundo o Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (DNIT), a obra iniciou no dia 28 de setembro de 2018 e foi finalizada no dia 17 de janeiro. Desde a sua conclusão, a pintura e o emplacamento de finalização da terceira faixa não foi realizada, gerando preocupação aos motoristas que passam pelo o local, muitos transitando diariamente entre comunidades do interior à área urbana de São Mateus do Sul.

Os benefícios de uma terceira faixa são muitos, dentre eles, agilidade e redução do tempo de viagem, economia de combustível e em especial, mais segurança para os usuários nas ultrapassagens. Porém, a falta de sinalização não foi aplicada de maneira adequada no local. A pista foi pintada, mas não existe placa informando quando inicia ou termina a faixa adicional, afetando os caminhões que não conhecem o caminho recém finalizado. “Como não tem placa e uma das faixas adicionais termina na curva e na subida, os caminhões acham que a faixa continua, fazendo assim com que eles voltem na faixa normal ‘por cima’ dos carros menores”, expressa Micheli Olbre, moradora que transita diariamente pelo local. Ela conta que quase se envolveu em um acidente dias atrás, em que um caminhão foi no sentido de seu veículo. “Vi que ele não teve culpa pois não conhecia o trajeto”, diz.

Entramos em contato com a assessoria de comunicação do DNIT, e eles informaram que no momento o trajeto encontra-se com sinalização horizontal provisória implantada. Segundo eles, os termos “sinalização provisória” são usuais no jargão rodoviário para referir-se a pinturas que possuem uma durabilidade mais reduzida relativamente à “sinalização definitiva”, sendo que em geral esse prazo de validade corresponde a um ano desde a aplicação, que no caso foi recém executada em janeiro de 2019. Apesar da diferença de terminologia, todas as características físicas, geométricas e de qualidade dos materiais devem atender normalmente às normas técnicas vigentes, dentre elas a NBR 14.723 – Sinalização horizontal viária – Avaliação da retrorrefletividade, a Resolução nº 160 do CONTRAN e demais legislações aplicáveis. “Não há qualquer decréscimo em seu desempenho para a finalidade à qual foi projetada. Nossa fiscalização de todo modo seguirá com o pertinente acompanhamento quanto aos serviços executados”, informam.

Para a construção foram investidos R$ 1.848.193,60 na implantação da terceira faixa.

Pontos de ônibus

No trajeto que liga São Mateus do Sul ao município de Antonio Olinto, no sentido onde a faixa adicional foi construída, Micheli comenta que foram colocados alguns pontos de ônibus no trajeto. “Alguns ainda estão sem telhado, com esse tempo chuvoso fica difícil para quem precisa dos ônibus para ir às escolas”, expressa a moradora que entrou com contato com a Gazeta Informativa demonstrando sua preocupação.

Estudante de Jornalismo que adora escrever e conhecer um pouco sobre a vida e a história de cada pessoa envolvida. Preza pela essência que é repassada na produção de cada matéria, valoriza os pequenos gestos e apoia o ativismo ambiental. E-mail para contato: claudia@gazetainformativa.com.br

Compartilhe:


MATÉRIAS RELACIONADAS
Confira o horário do comércio são-mateuense para o fim de ano
Dia da Liberdade de Impostos em São Mateus do Sul é sucesso absoluto
Influência arquitetônica polonesa é resgatada em construção de casa na chácara

Deixe seu comentário

*