Jornal de São Mateus do Sul (PR) e região

Família procura cartas dos anos 10 e 20 e oferece R$ 10 mil para quem encontrá-las

Bruno J. reside há 18 anos em Barcelona – Espanha, e procura esses registros para escrever um livro sobre a genealogia de sua família. Ele oferece R$ 10 mil para quem encontrar e escanear estas cartas. (Fotos: Arquivo Pessoal)

Se você gosta de investigação, essa semana traremos uma ótima busca a ser feita pela comunidade de Água Branca ou nos entornos de São João do Triunfo. O médico Bruno Jakubowski, de 36 anos, procurou a equipe da Gazeta Informativa com a proposta de recompensar com R$ 10 mil a pessoa que encontrar e escanear as cartas datadas entre 1910 e 1920, com temas e histórias que pertencem a família Jacubowski. As cartas são escritas pelo irmão de Antônio Jacubowski, que era bisavô de Bruno.

O pai do médico, Paulo Cesar Jacubowski nasceu em São João do Triunfo, e mudou-se para Pitanga com o passar dos anos. Bruno nasceu em Florianópolis – Santa Catarina, e há 18 anos reside em Barcelona – Espanha, onde possuí uma clínica médica. “Sempre tive curiosidades pela genealogia de minha família e nossas origens. Tenho ascendência polonesa do meu pai e da minha mãe e já pesquisei muitas coisas sobre meus antepassados. Com essas cartas poderei resolver algumas pendências de nossa história aqui no Brasil e por fim escrever o meu livro sobre esse tema”, explica.

Na imagem, Antônio Jakubowski. As cartas que estão sendo procuradas foram escritas pelo irmão mais velho de Antônio, nos anos de 1910 e 1920.

De acordo com pesquisas já realizadas por Bruno, ele possui as seguintes informações que poderão ajudar durante a busca dessas cartas: a família Jacubowski veio da Polônia em 1891 à colônia polaca da Água Branca. Os Jacubowski’s não chegaram sozinhos, vieram unidos à família Tomaszewski e Gordya. Outras famílias polonesas foram se unindo no decorrer da vida e formando a comunidade. “Quero tratar de desvendar e relatar todos esses acontecimentos que começaram há mais de 100 anos nessa colônia interessante do Paraná”, afirma Jacubowski.

Na chegada no Brasil, a família estava composta a princípio por Alberto (Wojciech) Jakubowski, com 52 anos, casado com Marianna Baranowska de 50 anos e seus três filhos: Petronela com 17 anos, casada com Grzegorz Tomaszewski, Leonora com 10 anos que casou-se com Ladislau Gryczynski no Brasil em 1897 e Antônio, com 10 anos, que casou-se duas vezes.

A primeira esposa de Antônio foi Helena Brockel, com casamento realizado no ano de 1902, em São Mateus do Sul. Eles tiveram três filhos: Petronella, Wadek (Wladislau) e Valentim. O segundo casamento foi com Ana Karnowski, em 1908. Os filhos foram: Antonina, Francisco, Henrique, Luciano, Marcelina, Sofia, Helena, Filomena e José Cassimiro.

“O Antônio Jakubowski era meu bisavô, supostamente ele tinha um irmão mais velho que não veio pro Brasil, mas foi para os Estados Unidos. Eles trocavam cartas”, explica Bruno. A existência dessas cartas foi relatada pela filha de Helena Patek Jakubowski, que mora perto da cidade de Palmeira. “Também soube que os descentes mais velhos de Antonina Jakubowski Milcharski também devem saber sobre isso”, diz. Antônio Jakubowski possuía um armazém que era conhecido como “Armazém do Kubiak”, em São João do Triunfo.

Bruno comenta que já esteve na comunidade da Água Branca duas vezes para visitação, e conta com o apoio e a colaboração de familiares e conhecidos dos Jakubowski. “Já fiz de tudo para achar as cartas mas nunca encontrei, e essa é a minha última esperança. Os mais jovens terão que revirar as gavetas das vovós para encontrar alguma coisa”, comenta.

Caso você saiba alguma informação sobre o paradeiro das cartas, entre em contato com Bruno através do e-mail: bjacoh@gmail.com. Você poderá ser recompensado por essa importante ajuda.

Antônio Jakubowski possuía esse armazém em São João do Triunfo, em frente ao Banco. O local era conhecido como “Armazém do Kubiak”.

Cláudia Burdzinski

Cláudia Burdzinski

Estudante de Jornalismo que adora escrever e conhecer um pouco sobre a vida e a história de cada pessoa envolvida. Preza pela essência que é repassada na produção de cada matéria, valoriza os pequenos gestos e apoia o ativismo ambiental. E-mail para contato: claudia@gazetainformativa.com.br
Cláudia Burdzinski
Compartilhe esta reportagem...Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on LinkedInShare on Google+Print this page


Comentários: