Agricultura

Feira Livre do Produtor de São Mateus do Sul completa 30 anos

Fotos: Alexandre Müller

Fotos: Alexandre Müller

A famosa e tradicional Feira Livre dos Produtores, realizada aos sábados na rua Dom Pedro II, no Centro de São Mateus do Sul completa neste ano, trinta anos de atuação na cidade. Vários agricultores ao longo dos anos passaram por ali e alavancaram suas economias e a economia municipal, além de firmarem a arrecadação de suas famílias e as sustentarem, graças ao trabalho rotineiro e árduo através da agricultura familiar.

Além dos agricultores, atuantes diretamente na agricultura familiar, a Feira Livre conta também com piscicultores, apicultores, suinocultores, profissionais de vários ramos alimentícios e culturais com a venda de seus artesanatos.

Para compreendermos a contextualização histórica destes 30 anos de atuação, temos de viajar no tempo e irmos direto para o ano de 1986, onde a Feira Livre dos Produtores Rurais de São Mateus do Sul nasceu na esquina entre as ruas Tenente Max Wollf Filho e Paulino Vaz da Silva, atrás do Salão Paroquial. Uma ação do Sr. Ederval Farias, popularmente conhecido como Zé Carioca que pensou em propiciar aos agricultores de nossa região uma oportunidade para mostrar seu trabalho e agregar a seus recursos, desde então se tornou uma excelente alternativa para os trabalhadores do campo e afins. No início da década de 90, os feirantes receberam a doação de cinco barracas do então prefeito Dr. Enéas Distéfano que veio a colaborar com os produtores que sofriam com a ausência de infraestrutura e recém haviam se mudado para a Rua Barão do Rio Branco, em frente ao Banco do Brasil. A história não parou por ai, por volta de 1998 os feirantes transferiram suas atividades para o atual local na rua Dom Pedro II e no inicio dos anos 2000 mudaram-se para a antiga Praça do Carvalho, localizada até então atrás da Prefeitura Municipal, espaço criado especificamente para a Feira. Porém, alguns anos depois, devido a não aceitação por parte da comunidade e a falta de infraestrutura no espaço, os feirantes decidiram organizar suas atividade no local onde seguem até hoje, trecho que compreende a rua Dom Pedro II, entre as ruas Barão do Rio Branco e João Gabriel Matins. Em 1994, os feirantes escolheram através de eleição o Sr. Vilson Macuco, popularmente conhecido como Polentão e morador da comunidade de Colônia Taquaral para representá-los diante a comunidade e ser o coordenador geral da Feira Livre do Produtor. Vilson Macuco iniciou suas atividades em 1990 e atua até os dias de hoje como um dos principais feirantes de nossa cidade.

Vilson destaca que além dele, os Srs. Vilson Kachorowski, Teófilo Cuba e o Sr. Vicente lutaram e resistiram bravamente a todas as dificuldades no decorrer de anos. Dificuldades estas, muitas vezes impostas pela própria administração municipal e ausência de apoio dos órgãos competentes.

Durante o ano comemorativo os feirantes preparam diversas ações alusivas aos 30 anos, algumas delas já foram realizadas: O Dia das Mães Especial que contou com sorteio de prêmios, música ao vivo e diversas outras atividades e a Festa Junina realizada no último dia 11/06 que contou com apresentações artísticas de quadrilha, decoração específica junina, música ao vivo e muito entretenimento aos presentes. A Coordenação da Feira já prepara a organização do Dia dos Pais Especial em agosto, que também será alusivo às comemorações.

Para a maioria da comunidade é quase que indispensável dar uma passadinha aos sábados na feira, comer um delicioso pastel, provar as guloseimas caseiras das feirantes, comprar frutas e verduras direto dos produtores e encontrar os amigos e bater papo enquanto aprecia um chimarrão num dos locais mais democráticos e autenticamente são-mateuense.

Dentre várias comunidades são-mateuenses e de diversas outras localidades que já tiveram representatividade na Feira Livre do Produtor, destacamos as seguintes: Distrito de Fluviópolis, Carqueja (Lapa), Colônia Taquaral, Taquaral do Bugre, Paiol Grande, Arroio da Cruz, Lageado, Água Azul (Lapa), Bonito (Lapa), Jaboticabeira, Fazendinha, Emboque, Vila Prohmann, Centro, entre outras comunidades que tiveram seus representantes ao longo destes 30 anos.

De acordo com o atual Coordenador, a maioria dos feirantes atua com a agricultura familiar e alguns com a agricultura orgânica, totalizando cerca de 23 feirantes rotineiros e ainda possuem um total de 27 barracas possíveis de serem utilizadas. Barracas estas que foram doadas pela atual administração municipal. Vilson Macuco, afirma que a Feira Livre dos Produtores é independente à Prefeitura Municipal e age diretamente de acordo com os interesses dos produtores e participantes. A prefeitura cede as barracas e apoio com a energia elétrica, porém os feirantes contratam equipe técnica e especializada para a montagem das barracas.

No decorrer dos anos, alguns projetos foram apresentados para a revitalização do espaço a ser utilizado pelos feirantes, tendo em vista que vai além de ser apenas um local para a comercialização de produtos e sim um espaço sociocultural, democrático e cidadão, onde ocorrem diversas manifestações culturais, sociais, beneficentes e principalmente solidárias. Porém os projetos nunca passaram de manifestações políticas que objetivavam apenas interesses eleitorais.

A comemoração dos 30 anos também motivou os feirantes a criar uma marca para a feira, uma logomarca que assimilou todas as características das atividades e inovou o processo de trabalho dos participantes com a utilização de sacolas personalizadas e camisas especiais aos produtores.

Hoje a coordenação da Feira Livre dos Produtores possui em mãos um Projeto de Revitalização e almeja algum dia ser colocado em prática por parte da administração municipal. Hoje um projeto tramita lentamente no Ministério da Agricultura, de acordo com o Secretario Municipal de Agricultura, Beto Volochen. Projeto este que é baseado em outras ideias de feiras, realizadas em diversas partes de nosso país, com um local definitivo que possa acontecer em mais de um momento por semana, com infraestrutura para os feirantes e para as pessoas que prestigiam o trabalho como: sanitários e uma praça de alimentação, além de contar com palco e estrutura para a realização de eventos correlacionados e em parceria com os agricultores.

Há trinta anos, sábado a sábado, nossos cidadãos vêm demonstrando seu trabalho nas diversas áreas e afins, de forma honesta e organizada, encantando gerações e sustentando suas famílias. De fato, os feirantes merecem nosso respeito e nosso apoio. O Jornal Gazeta Informativa parabeniza todos os trabalhadores que direta ou indiretamente atuam na Feira Livre do Produtor e fazem da Tradicional Feira são-mateuense, uma das melhores em todo o estado.

Redação do jornal Gazeta Informativa

Compartilhe:


MATÉRIAS RELACIONADAS
Orgulho de seu trabalho e muita força para enfrentar os desafios: conheça a realidade das mulheres no campo
Patrocínio da Petrobras ajuda na instrução de jovens produtores rurais e suas famílias
Novos produtores de erva-mate estão sendo qualificados para atender as necessidades do Selo da IG em suas propriedades

Os comentários estão fechados