Conheça a rotina de quem trabalha e frequenta as feiras promovidas por produtores rurais. (Fotos: Cláudia Burdzinski/Gazeta Informativa)

O sol ainda não havia nascido e as primeiras estacas das barraquinhas já estavam sendo montadas na Rua Dom Pedro II, no Centro de São Mateus do Sul. Há 33 anos a comunidade do município e de toda a região prestigia a Feira Livre do Produtor, principal ponto de encontro para quem busca produtos orgânicos/artesanais, uma boa conversa e o saboroso pastel com caldo de cana. Atualmente, cerca de 30 feirantes participam semanalmente da feira que já virou tradição entre famílias e amigos. O segredo é chegar cedo e passar de barraquinha em barraquinha para conferir as novidades e hortaliças fresquinhas da época.

“Meu sábado não é o mesmo se eu não der pelo menos uma passadinha aqui na feira”, afirma Rosi Trindade, moradora da área urbana e que dispensa as filas de supermercados. Com duas sacolas cheias em mãos, a são-mateuense – que passou parte de sua vida no interior –, usa a feira como uma forma de lembrar do “gostinho” de sua infância. “Tem produtos aqui que é difícil de encontrar nos supermercados. Ao menos uma vez ao mês o almoço de sábado na minha casa é frango caipira com polenta, com todos os produtos aqui da feira”. O suco natural de laranja e as saladas coloridas também fazem parte do cardápio de toda a família. “Meus netos adoram”, comenta.

O relacionamento de infância com a feira também faz parte da vida de Pedro Lemos Licheski, feirante desde 2012. “Quando eu tinha 7 anos de idade, época em que a feira estava localizada em outro ponto da cidade, já ajudava minha família nas vendas”, conta. Com o passar do tempo, Licheski participou de um curso de empreendedorismo realizado em sua comunidade. O estudo proporcionou uma nova oportunidade de crescimento econômico para toda a família. “Comecei com a venda de plantas ornamentais. Em algumas semanas trazia alguns produtos que tinham de sobra lá em casa, como ovos e verduras. Depois fui percebendo que a procura estava aumentando e passei a me dedicar na venda orgânica”, explica. Hoje na barraquinha de Licheski os moradores encontram variedades de feijão, frutas, verduras, bolachas caseiras e até a conhecida ora-pro-nóbis triturada, planta rica em proteína recomentada por nutricionistas. “Aqui na feira as pessoas compram saúde.”

Seja da venda orgânica à produtos artesanais de decoração, quem passa pela feira tem um contato – mesmo que indireto –, com a vida dos pequenos proprietários rurais e também empresários da área urbana. “Aqui um ajuda o outro”, expressa a jovem Mariane Krulikoski Pietzack, que colabora com seu padrinho – Pedro Lemos Licheski –, no atendimento da feira. A interação da família com a comunidade interfere positivamente na relação de compra e venda. “Um produto ajuda vender o outro.”

De acordo com Vilson Macuco, atual coordenador e feirante mais antigo do espaço, a feira é um local que compartilha muito mais que produtos alimentícios: ela leva a cultura para os moradores de São Mateus do Sul e visitantes. “Contamos com uma tenda aberta para cantores do município estarem participando. Há também parcerias com empresas e instituições locais, que usam do espaço para divulgar sua atuação aqui na cidade”, explica. A feira dos produtores em São Mateus do Sul iniciou em 1986 incentivada por Ederval Farias (Zé Carioca), que começou com a venda de batatas entre as ruas Tenente Max Wollf Filho e Paulino Vaz da Silva. Chamando mais colegas do ramo rural, a feira foi se estendendo e somando mais produtos oferecidos aos consumidores. Atualmente a atividade possui uma equipe de diretoria responsável por toda a organização e atividades de incentivo.

Seja no sábado ou em outros dias da semana, as feiras fazem parte da identidade de inúmeras cidades brasileiras, que demonstram o seu diferencial na gastronomia e regionalismo em produtos personalizados. A potencialização da agriculta familiar no sul do país une-se ao entretenimento e interação entre grupos sociais. O espaço agradável junto do sentimento de sair da rotina são as principais características mencionadas por quem frequenta as feiras. Qualidade de vida e apoio moldam a continuidade da atividade em toda a região.

A Feira Livre do Produtor acontece todo sábado na Rua Dom Pedro II, no Centro de São Mateus do Sul. Produtos orgânicos são vendidos pelos produtores rurais de diversas comunidades do município.
Estudante de Jornalismo que adora escrever e conhecer um pouco sobre a vida e a história de cada pessoa envolvida. Preza pela essência que é repassada na produção de cada matéria, valoriza os pequenos gestos e apoia o ativismo ambiental. E-mail para contato: claudia@gazetainformativa.com.br

Compartilhe:


MATÉRIAS RELACIONADAS
Grupo Conviver da terceira idade empossa nova diretoria
Jovem são-mateuense rompe as fronteiras brasileiras e assina contrato com time profissional de futebol de salão italiano
Da pecuária leiteira à pesca e artesanato

Deixe seu comentário

*