Reflexão com Padre Marcelo S. de Lara

Feliz Oitava da Páscoa

Imagem Ilustrativa

Imagem Ilustrativa

Se civilmente já nem desejamos mais Feliz Páscoa uns aos outros, porque o Domingo de Páscoa já passou, bem diferente, os cristãos em suas orações estão ainda celebrando o Domingo da Páscoa. É a chamada Oitava da Pascoa, em que os cristãos celebram e vivem na liturgia a experiência da Ressurreição durante oito dias após o Domingo próprio da Páscoa.

Uma celebração de tamanha importância para o cristianismo e verdadeiramente para a humanidade inteira, não poderia ser celebrada em apenas um dia. Oitava da Páscoa tem o sentido de a Igreja celebrar como que, um oitavo dia da semana, que no sentido litúrgico expressa o dia da nova criação. A primeira criação se deu em sete dias, assim, este oitavo dia celebra a nova criação trazida por Cristo com sua Ressurreição. O ser humano salvo por Ele na cruz agora é uma Nova Criatura, criatura do céu.

Na Oitava da Páscoa se recorda nos evangelhos o grande drama dos discípulos e de algumas mulheres que desejam encontrar o Mestre. O sepulcro de Jesus vazio no domingo de manhã gera desespero, preocupação e medo por parte das primeiras mulheres que foram ao túmulo.

É a escuridão da falta de Deus, da falta de sentido, de norte para a vida. A comunidade dos discípulos estava sólida, entusiasmada, com projetos quando estava com o Mestre. Agora sem Ele, o medo, o desespero, a falta de sentido toma conta de cada um. Falta a alegria, falta a felicidade, falta o sentido.

Maria Madalena, a primeira quem vê o Mestre, muda. O choro vira em sorriso, ao ponto de ir anunciar aos próprios discípulos que viu Jesus e falou como Ele.

Muito mais que um feriado no calendário civil, que uma data que mobiliza o comércio, que se saúda com um Feliz Pascoa, que se falam de renovação, mas sem ao menos citar o responsável por tudo isto, a Pascoa é garantia de vida plena para todos, é garantia do céu para nós, garantia da felicidade eterna em Deus.

A Morte e a Ressurreição de Jesus trouxe a redenção para o mundo. Pelo amor de um inocente veio a liberdade, a salvação para os culpados. Páscoa é lembrar o quanto Deus nos ama, é celebrar seu amor, vivendo esse amor para com o outros. É o mínimo que podemos fazer, e é só isto que Deus espera em troca, o amor; não cumprido motivados por uma regra moral, mas sim, por que só o amor testemunhado por Jesus nos torna melhores, nos realiza e gera redenção para o mundo.

Ao desejarmos ainda uma Feliz Páscoa nesta Oitava da Páscoa, e vivermos os cinquenta dias do Tempo Pascal, possamos verdadeiramente colaborar para que aconteça Vida Nova em quem encontrarmos.

Últimos posts por Pe. Marcelo S. de Lara (exibir todos)

Comentários

Compartilhe:


MATÉRIAS RELACIONADAS
Vocação: Uma Missão!
Os Sustos da Natureza
A experiência me renovou