Nem tão simples assim...

Feriado para pensar no que fazer

Imagem Ilustrativa

Todo mundo anunciando por aí que é feriado como se ninguém soubesse, a Tv Globo passando a propaganda de Tartarugas Ninja a cada cinco minutos no domingo dizendo “Amanhã é feriado, a família toda pode assistir”, e o Facebook lotado de compartilhamentos de frases como “Hoje é a primeira vez no ano que eu fico feliz por ser segunda-feira” foram coisas que realmente marcaram meu feriado. Assim como o fato de eu ter passado o domingo e a segunda inteiros tentando estudar, mas quando eu percebia, estava com o celular na mão. Pelo visto, teletransporte é possível e celulares são capazes de fazê-lo.

Embora estejamos todos mal-acostumados por causa dessas últimas quatro semanas maravilhosas com feriado em três delas, deixando a única semana que teve todos os dias úteis parecendo infinita, normalmente não damos muita importância para o porquê de ser feriado. Eu, por exemplo, só penso “Que maravilha! Mais uma oportunidade para ficar acordada até às 4:00 horas da madrugada fazendo completos nadas e acordar 10:00 horas no outro dia com uma dor de cabeça insuportável! Weeee! ”

Dormindo como eu, ou fazendo como alguns amigos meus que vão dormir às 21:00 horas e conseguem acordar depois de mim na outra manhã, o dia que deixou nossa vida mais alegre esta semana foi o Dia do Trabalho ou do Trabalhador. Alguma vez a professora de história falou sobre o que fez este dia se tornar feriado, mas no momento estou concentrada apenas na Civilização Romana, na Primeira Revolução Industrial e no Período Pré-Independência Brasileira. Por quê? Porque minha prova essa semana foi sobre esses assuntos.

Sendo assim, fui obrigada por mim mesma a pesquisar qual a causa no nosso fim de semana prolongado. De acordo com www.suapesquisa.com.br “A história do Dia do Trabalho remonta o ano de 1886 na industrializada cidade de Chicago (Estados Unidos). No dia 1º de maio deste ano, milhares de trabalhadores foram às ruas reivindicar melhores condições de trabalho, entre elas, a redução da jornada de trabalho de treze para oito horas diárias. Neste mesmo dia ocorreu nos Estados Unidos uma grande greve geral dos trabalhadores.”

Piriri, pororó, cá estamos nós com um dia livre e tendo que ganhar hora extra se trabalharmos mais de oito horas por dia. Parece que deu certo, não é mesmo? Mas meu foco não é esse. Meu foco é que, nesse dia “de varde”, como dizem, pensei que mesmo tendo diversos programas como Jovem Aprendiz, é certo que muitos adolescentes ainda estão com a cabeça na ideia de Escola -> Faculdade -> Procurar emprego. Okay, cada um com a sua opinião, mas como meus pais sempre me disseram: enquanto você fica em casa mexendo no celular tem alguém com a sua idade fazendo algo a mais para colocar no currículo.

Verdade? Verdade. Embora eu sei que é difícil procurar algo para fazer durante o ensino médio se você pensa em fazer medicina, ou odontologia, coisas assim, como é o caso de muitos, a maioria dos outros cursos possibilita algum tipo de “aprendizado” prévio. Nem que seja um cursinho pago, como o Senai, que oferece aulas com contexto de tecnologia ou de mecanismos necessários, por exemplo, em uma faculdade de administração, ou mesmo um estágio/emprego em qualquer área. Olhe para mim, eu pretendo fazer Jornalismo, por isso eis-me aqui.

Enfim, quando estavam me empurrando para fazer alguma coisa eu não achei que fosse preciso, mas agora sei que, mesmo depois de pouco tempo, já me foi muito útil em diversos aspectos, como ter pontualidade, responsabilidade e compromisso, o que geralmente não temos em abundância na adolescência. Portanto, ninguém vai chegar em você e lhe oferecer uma ocupação, essa parte fica por conta de cada um. Vamos lá?!

Beijos, Anna.
annajulia.reginato@yahoo.com.br

Anna Julia Reginato
Últimos posts por Anna Julia Reginato (exibir todos)

Comentários

Compartilhe:


MATÉRIAS RELACIONADAS
Coleção para a vida toda
Vendam seus ingressos!
Com que roupa eu vou?