A festividade tradicional na região contou com a celebração da missa rezada em polonês. (Fotos: Cláudia Burdzinski/Gazeta Informativa)

Quem chegou cedo para acompanhar a celebração para Nossa Senhora de Czestochowa, na igreja da comunidade de Água Branca, já ouvia de longe os cantos poloneses que estavam sendo ensaiados pelo coral do Grupo Folclórico Polonês Karolinka. O encerramento das atividades da 27ª Tradycje Polskie – mês dedicado às ações da cultura no município –, aconteceu no último domingo (25), na Igreja Centenária. O coral foi responsável pelos cantos da missa rezada em polonês.

A tradicional carreata que caminha os trechos entre a Paróquia Nossa Senhora do Perpétuo Socorro e Água Branca reúne fiéis anualmente. Alguns dos bairros da área urbana e até moradores de outras cidades também se unem aos cavaleiros e tratores que seguem o caminho até a igreja, localizada no alto da comunidade. Segundo a organização, em 2019 o número de cavaleiros na cavalgada chegou aos 128. “Todo ano eu me emociono mais com a fé do povo que acompanha a nossa cavalgada”, afirma orgulhoso Amauri Toporowicz, responsável pela organização dos cavaleiros.

A celebração também contou com a participação das Rainhas e Princesas da Tradycje Polskie, Festa do Agricultor e Grupo de Jovens, que demonstram seu amor pela cultura polonesa. De acordo com Sandro Simny Vitonski, presidente do núcleo da Braspol em São Mateus do Sul, houveram grupos de excursão vindos de Prudentópolis pelo Circuito Eslavo e também um grupo de Campo Largo organizado por uma antiga moradora da Água Branca.

Sandro conta que a tradição pela cultura polonesa é algo que faz parte da realidade são-mateuense desde o início da imigração. “Podemos ver que a tradição nos bailes e a religiosidade tão admirada pela Santa polonesa é uma das identidades de nossa cultura”, expressa. As festividades que acontecem durante o mês polones vêm para reforçar esse amor pela Polônia e seus descendentes.

Após a celebração, os fiéis e admiradores da cultura polonesa seguiram para a festa organizada no pavilhão da comunidade. Lá eles puderam experimentar as comidas típicas polonesas e um delicioso almoço com risoto, maionese, farofa e carne de diversos tipos. As mulheres responsáveis pela cozinha comentam que a preparação para a festividade iniciou com a confecção das massas de pastéis no dia 6 de agosto. Nos dias 15 e 16, os pierogis foram feitos para suprir a forte procura pelo prato típico polonês. “Sem a ajuda de todas as nossas voluntárias nada disso seria possível”, afirma Eva Buaski.

Ivo Oleinik, Elizeu Stansk e Osmair Brudnik, responsáveis pelo conselho comunitário, admiram o forte apoio recebido com doações de produtos para a cozinha, brindes para os bingos e também a participação de toda a comunidade durante a festa, que contou com a animação do grupo Coração Nativo. “Faltam palavras para agradecer todos que direta ou indiretamente ajudaram em mais uma edição da festa, que foi um sucesso.”

Melhores momentos da festa na Água Branca…

Comentários

Compartilhe:


MATÉRIAS RELACIONADAS
Ordenação de novo bispo de União da Vitória acontece em Minas Gerais
Vibração Jovem 2018 reúne mais de mil jovens em momento de evangelização em São Mateus do Sul
Carnaval Cristão é cancelado