Administração e Negócios

Finanças em dia nas épocas de crise

Imagem Ilustrativa

Imagem Ilustrativa

Em um dos meus artigos fiz uma rápida abordagem sobre algumas premissas que contribuíram para o desencadeamento da crise econômica. O que vale ressaltar é que, mesmo tendo um cenário econômico inclinado à uma negativa, os efeitos da crise afetam de maneira diferente cada indivíduo da sociedade.

É claro que existem casos delicados, como inúmeras pessoas perdendo o emprego devido ao processo de retração no cenário, e, por conseguinte são muito prejudicadas, visto que não dispõem dos mesmos ordenados.

Mas também existem casos de pessoas que ainda dispondo de renda fixa mensal, sentiriam apenas a inflação no momento do desembolso. Entretanto, pelo próprio desconhecimento financeiro e por influencias inconvenientes, elas acabam acreditando que estão no fundo do poço, mesmo não estando.

Acontece que quando se conhece as finanças, ou seja, sabe quanto dinheiro ganha e quanto gasta, é possível reduzir os efeitos da crise. Bom, apenas conhecer as finanças não resolve, mas é o primeiro passo e o mais importante.

Na maioria dos casos acontece que as pessoas ou empresas passam a ter suas receitas reduzidas, e é preciso um pouco de esforço para que os gastos também sejam reduzidos.

Reduzir gastos muitas vezes é difícil, pois é preciso mudar hábitos. E aqui vai uma regra fundamental: Não adianta apenas uma pessoa da empresa ou da família ter essa iniciativa. É preciso a cooperação de todos os envolvidos. Por exemplo, na empresa não adianta apenas um sócio ter essa visão, enquanto outros continuam com retiradas que não condizem com a realidade. Não adianta o líder familiar poupar enquanto os demais continuam a esbanjar.

O diálogo é sempre um meio para se chegar a um consenso e despertar a prática coletiva de hábitos flexíveis para com as finanças.

Para as empresas, é sempre bom ter mais opções de fornecedores de modo a obter descontos, e também monitorar o histórico de vendas e sua tendência para comprar apenas o necessário para o giro do negócio, e não acabar com muito estoque parado, o que além de travar o giro, prejudica a capacidade de gerar receitas.

Vale a pena dar uma olhada nas despesas gerais da empresa e avaliar se todas são necessárias no momento, com o objetivo de eliminar as desnecessárias.

Para as famílias, no supermercado pode-se optar por opções de marca que trazem menores preços. Nos fins de semana, uma boa opção é fazer passeios a pé ou de bicicleta, além de economizar em combustível, estará trazendo benefícios para a saúde. Reduzir o tempo no banho e aproveitar o máximo da claridade solar durante o dia também se torna interessante.

A vantagem de conhecer quanto se ganha, é saber quanto se pode gastar. Todos temos necessidades básicas que precisam ser supridas, e para tanto, a regra geral não é não gastar, mas sim, adequar os gastos de acordo com o que se ganha, e pequenos ajustes podem trazer grandes resultados.

Nos encontramos na próxima edição! Bons Negócios.

Últimos posts por Eleandro Soares (exibir todos)

Comentários

Compartilhe:


MATÉRIAS RELACIONADAS
Empreendedorismo, uma ideia bem sucedida
Gestão sustentável nas empresas
Diagrama de pareto, ou simplesmente curva ABC