Jornal de São Mateus do Sul (PR) e região

Fóssil de mesossauro é encontrado em rio de Três Barras após a estiagem

Mesossauros viveram por esta região a aproximadamente 280 milhões de anos atrás. (Fotos: Reprodução JMAis)

A seca do rio Negro, em Três Barras, revelou uma imagem impressionante. O internauta Marlon Erhardt enviou fotos feitas por Valdenilson Woitechen ao JMais, que mostram os fósseis de um mesossauro. As imagens reforçam a presença de vida por estas paragens há milhares de anos. As fotos foram feitas nos fundos do Clube do Bolinha.

Os mesossauros, explica o biólogo e paleontólogo do Cenpáleo, de Mafra, Everton Wilner, viveram há cerca de 280 milhões de anos atrás, bem antes de os dinossauros passarem por aqui há 65 milhões de anos. “Pra se ter uma ideia, o Brasil com a América do Sul ainda estavam unidos à África quando esses animais habitavam por aqui. Por isso hoje, milhares de anos depois de as placas tectônicas se desprenderem, é possível encontrar esses fósseis aqui e lá na África”, diz.

Os mesossauros eram uma espécie de lagartos aquáticos que possuem nomes científicos variados de acordo com a espécie a que pertencem:  Mesosaurus tenuidens, Mesosaurus brasiliensis e  Brazilosaurus sanpauloensis. Para o professor, os fósseis encontrados em Três Barras devem pertencer a uma dessas espécies, “mas para se ter certeza de qual apenas avaliando de perto.”

Wilner conta que os mesossauros são bem conhecidos pela paleontologia nas rochas que pertencem à Formação Irati e que na região se concentram em Três Barras e São Mateus do Sul. Essas rochas são extraídas pela Petrobrás para queimar e extrair o óleo pesado de xisto

O professor lembra que é comum encontrar esses fósseis na região, tanto que há várias amostras no Cenpáleo, que estuda esse tipo de material. Ele acrescenta que o fóssil é mais comum em leitos de rios porque os rios são os escavadores naturais do nosso relevo. “Quando a água abaixa, os fósseis aparecem”, argumenta.

Fonte: JMais

Compartilhe esta reportagem...Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on LinkedInShare on Google+Print this page


Comentários: