Internet pelo celular popularizou ainda mais as fraudes. (Imagens Ilustrativas)

Ao contrário do que muitos acreditam, normalmente não é uma tarefa simples atacar e fraudar dados em um servidor de uma instituição bancária ou comercial e, por este motivo, golpistas e hackers concentram esforços na exploração da fragilidade dos usuários. Nos dias atuais, com a pandemia, onde o isolamento social é uma necessidade, o uso da internet passou a ser ainda maior e alcançou mais usuários, tendo aqueles que estão iniciando no uso das redes sociais, assim como pessoas com mais de 60 anos, sendo os mais vulneráveis as fraudes por desconhecimento.

Utilizando técnicas de comunicação social, com diferentes meios e discursos, os golpistas na internet procuram enganar e persuadir as potenciais vítimas a fornecerem informações sensíveis ou a realizarem ações, como executar códigos maliciosos e acessar páginas falsas. De posse dos dados das vítimas, os golpistas costumam efetuar transações financeiras, acessar sites, enviar mensagens eletrônicas, abrir empresas fantasmas e criar contas bancárias ilegítimas, entre outras atividades em nome de outrem. Muitos dos golpes aplicados na internet podem ser considerados crimes contra o patrimônio, sendo classificado como estelionato.

A melhor forma de impedir que sua identidade completa seja furtada é evitar que o impostor tenha acesso aos seus dados e às suas contas de usuário. Além disso, para evitar que suas senhas sejam obtidas e indevidamente usadas, é muito importante que se seja cuidadoso, tanto ao usá-las quanto ao elaborá-las.

Fraudes diversas acontecem pela internet.

O empréstimo consignado não solicitado pelo consumidor tem batido recordes no Brasil. Milhares de pessoas estão sendo vítimas desse tipo de fraude bancária. Nesse tipo de empréstimo, o aposentado ou servidor público toma um valor do banco e a devolução é descontada diretamente do seu benefício ou salário. Em tese, a taxa de juros é menor do que nos empréstimos pessoais convencionais, visto que o risco de inadimplência é baixo.

A contratação de um empréstimo consignado não está condicionada à assinatura de um documento físico. É possível contratar por meio de ligação telefônica, caixa eletrônico e até mesmo aplicativos disponibilizados pelas instituições financeiras. Essa praticidade acaba facilitando um golpe de empréstimo consignado não solicitado pelo consumidor.

O volume de reclamações é explicado, em partes, pelo aumento das operações dessa modalidade de crédito. Enquanto em julho de 2019 foram 919.764 novas contratações, em julho de 2020 o número dobrou, chegando a 1.848.621 com volume de operações na casa dos R$63 bilhões. Um dado de destaque é que mais da metade das reclamações sobre são de pessoas com mais de 60 anos. Portanto, consumidores idosos são os mais afetados em golpes por meios eletrônicos.

Principais golpes aplicados pela Internet:

Auxílio emergencial

Antes mesmo do Governo Federal liberar o cadastramento para o auxílio emergencial, criminosos criaram sites falsos que prometiam um “auxílio cidadão” no valor de R$ 200 reais para as vítimas. A plataforma apropriou-se de marcas de canais do governo para enganar os consumidores, incentivando o usuário a clicar em um link ou baixar um arquivo malicioso. Muitos cidadãos fizeram inscrição em sites falsos e tiveram seus benefícios furtados pelos criminosos.

Agências bancárias

Mensagens SMS em nome de instituições financeiras alegando o fechamento de contas, ou afirmando a necessidade de um novo cadastro, solicitando que a vítima abra um link e preencha com informações pessoais. O objetivo é captar essas informações dos consumidores. Outro golpe também aplicado em nome dos bancos é sobre o “novo gerente da conta”, onde o cliente recebe uma mensagem supostamente do banco, informando que houve uma alteração no gerente. O consumidor recebe um contato e o golpista começa a solicitar informações pessoais, alegando que tem novos investimentos e aplicações para indicar ao cliente.

Plataforma de compra e venda

Golpistas visualizam anúncios de produtos usados em plataformas conhecidas de compra e venda livre de mercadorias, clonam essas publicidades e se passam por vendedores. As vítimas acreditam nos anúncios, efetuam o pagamento do produto, porém nunca o recebem. Há relatos de consumidores que caíram nos golpes ao comprar automóveis e motocicletas.

Comunicado da Receita Federal

E-mail falso informa recebimento de intimação/comunicação da Receita Federal de inquérito ou notificação. Sempre acompanhado de anexo para atrair o clique do usuário no documento. Além de roubar os dados da vítima, pode causar vários danos e infectar o computador com vírus.

Quitação de dívida

O golpista cria páginas e anúncios em nome de grandes bancos de empréstimo, chamando a atenção para descontos em quitação de dívidas. A vítima clica no link e informa todos os dados pessoais. Logo após, o golpista envia o boleto falso para pagamento.

Antecipação de recursos

A fraude de antecipação de recursos possui diversas variações que se assemelham pela forma como são aplicadas e pelos danos causados. Algumas destas variações são:

  • Loteria internacional: o usuário recebe um e-mail informando que foi sorteado em uma loteria internacional, mas que para receber o prêmio precisa fornecer seus dados pessoais e informações sobre a sua conta bancária.
  • Crédito fácil: o usuário recebe um e-mail contendo uma oferta de empréstimo ou financiamento com taxas de juros muito inferiores às praticadas no mercado. Após o seu crédito ser supostamente aprovado, é informado que necessita efetuar um depósito bancário para o ressarcimento das despesas.
  • Doação de animais: o usuário deseja adquirir um animal de uma raça bastante cara e, ao pesquisar por possíveis vendedores, descobre que há sites oferecendo estes animais para doação. Após entrar em contato, é solicitado que envie dinheiro para despesas de transporte.
  • Oferta de emprego: o usuário recebe uma mensagem em seu celular contendo uma proposta tentadora de emprego. Para efetivar a contratação, no entanto, é necessário que informe detalhes de sua conta bancária.
  • Noiva russa: alguém deixa um recado na rede social da vítima contendo insinuações sobre um possível relacionamento amoroso. Esta pessoa mora em outro país, geralmente a Rússia, e após alguns contatos iniciais sugere que vocês se encontrem pessoalmente, mas necessita de ajuda financeira para as despesas de viagem.
  • Páginas falsas de comércio eletrônico ou Internet Banking: o usuário recebe um e-mail em nome de um site de comércio eletrônico ou de uma instituição financeira que tenta induzi-lo a clicar em um link. Ao fazer isto, é direcionado para uma página Web falsa, semelhante ao site que o usuário realmente deseja acessar, onde são solicitados os dados pessoais e financeiros que são utilizados para diversas situações, inclusive acessar contas. Ou o usuário realiza compra nesse site, mas não recebe a mercadoria.
Idosos e pessoas com pouca prática com redes sociais são alvos fáceis.

Como se prevenir?

A melhor forma de se prevenir é identificar as mensagens contendo tentativas de golpes. Uma mensagem deste tipo, geralmente, possui características como:

  • Oferece quantias altas de dinheiro;
  • Solicita sigilo nas transações;
  • Pede que você a responda rapidamente;
  • Apresenta palavras como “urgente” e “confidencial” no campo de assunto;
  • Possui erros gramaticais e de ortografia (muitas mensagens são escritas por meio do uso de programas tradutores e podem apresentar erros de tradução e de concordância).

É necessário também que fique atento a alguns indícios que podem demonstrar que sua identidade está sendo indevidamente usada por golpistas, tais como:

  • Você começa a ter problemas com órgãos de proteção de crédito;
  • Você recebe o retorno de e-mails que não foram enviados por você;
  • Você verifica nas notificações de acesso que a sua conta de e-mail ou seu perfil na rede social foi acessado em horários ou locais em que você próprio não estava acessando;
  • Ao analisar o extrato da sua conta bancária ou do seu cartão de crédito você percebe transações que não foram realizadas por você;
  • Você recebe ligações telefônicas, correspondências e e-mails se referindo a assuntos sobre os quais você não sabe nada a respeito, como uma conta bancária que não lhe pertence e uma compra não realizada por você.

Comentários

Compartilhe:


MATÉRIAS RELACIONADAS
Psicóloga de São Mateus do Sul participa de missão humanitária na África
A partir de 2019, São Mateus do Sul terá a Semana Municipal do Idoso
Lídia Truchinski Gralak deixa legado cultural para São Mateus do Sul