A ação foi para demonstrar a insatisfação com os valores pagos na compra do fumo. (Fotos: Cláudia Burdzinski/Gazeta Informativa)

Por volta das 8h15 na manhã de sexta-feira (29/03), grupos de fumicultores realizaram um bloqueio pacífico da PR-151, próximo ao trevo de acesso ao município de São João do Triunfo. O principal motivo dessa manifestação seria a insatisfação com os valores pagos na classificação do fumo pelas empresas. A ação durou até às 10h40, e o trecho foi liberado para o acesso de caminhões e veículos pequenos. Uma manifestação como essa também estava sendo planejada para acontecer em São Mateus do Sul, porém ela foi cancelada.

Tratores com placas referenciando a manifestação bloquearam o trecho. Pneus e farelos de fumo também foram queimados. De acordo com o fumicultor Adir Stempinhak, um dos organizadores da paralisação, a mobilização é para demonstrar às empresas que os agricultores merecem os seus direitos. “Há três safras que o preço do fumo está sendo rebaixado, e não está pagando o custo da produção”, informa.

Participaram da manifestação cerca de 200 fumicultores, que juntos pediram aos representantes municipais e estaduais, que lutassem também pelos direitos da classe trabalhadora. Os produtores montaram uma comissão que será responsável por especificar ordenadamente as necessidades do grupo. O deputado estadual Emerson Bacil esteve presente, e entrando em contato com o Secretário de Agricultura, Norberto Ortigara, eles realizaram uma reunião na quarta-feira (3), às 11h, juntamente com essa comissão para tratar os pontos elencados como fundamentais para os fumicultores do estado. Segundo a assessoria do deputado, essa foi uma reunião de apresentação. O secretário irá agendar nova reunião com as partes envolvidas em breve.

Cenário

Cerca de 150 mil famílias brasileiras, 30 mil no Paraná – Sul e Centro-Sul – dependem da fumicultura para sobreviver. O cultivo é feito em pequenas propriedades sustentáveis que preservam, em média, 29% de suas áreas; índices muito superiores a qualquer outra lavoura.

Reivindicações dos fumicultores

  • Classificação justa sem rebaixamento de classe de fumo;
  • Reajuste de tabela de preços nunca inferior a inflação acumulada;
  • Suspensão de entrega de produção por 30 dias com o objetivo de uma negociação com as empresas fumageiras;
  • Extinção da multa dos contratos caso não sejam entregues as estimativas de produção.

Comentários

Compartilhe:


MATÉRIAS RELACIONADAS
União da Vitória confirma 1º caso de coronavírus em mulher de 69 anos
Prefeitura de São João do Triunfo abre PSS para contratação de profissionais, confira as vagas
Obras movimentam o município de Antonio Olinto