O retrato em si não é apenas uma prerrogativa da fotografia. Na pintura ou no desenho, essa forma de expor o corpo humano tornou-se muito utilizada e mantém-se presente, até os dias atuais. “O retrato (ou portrait), é o mais popular dentre todos os gêneros de fotografia, desde os primórdios desta invenção – a tal ponto que a expressão “tirar um retrato” é, ainda hoje, confundida com a expressão “tirar uma fotografia”, de designação bem mais genérica.” *(RETRATOS/BRASILIANA).

Com a democratização do retrato através da fotografia, houve um grande número de pessoas que até então, não tinham acesso aos “status”, que o retrato proporcionava às camadas mais elitizadas das sociedades. De um modo geral, essa prática disseminou-se ao longo do século XX. Mas o que é considerado um retrato? Existe diferença entre retrato e fotografia?

Retratos são fotografias que mostram pelo menos uma pessoa, com o rosto em destaque (ou parte dele). Assim, por exemplo, tanto uma foto em grupo quanto uma foto para documentos podem ser classificadas como retrato. No caso da fotografia, por exemplo, a pessoa não precisa estar posando para a foto ou olhando para a câmera.

No Brasil, com a criação da Carteira de Trabalho e Previdência Social (1932), o uso da fotografia em tamanho 3 cm por 4 cm, a tão conhecida foto 3×4, tornou-se uma parte desse documento, com a função de identificar a pessoa pelas características físicas. As fotos dessa semana foram escolhidas justamente para chamar a atenção destas fotografias tão comuns, que passam muitas vezes despercebidas. Além dos documentos como: Carteira Nacional de Habilitação (CNH), Registro Geral (RG), fichas funcionais de empresas e tantos outros usos, existiu uma época, em que era muito comum as pessoas carregarem consigo, essas pequenas fotos de entes queridos. Outra finalidade também, muito comum do uso da foto 3×4, são as lembrancinhas (convite), para missa de sétimo dia de pessoa falecida. Seus usos para fins de identificação são diversos.

Aqui temos identificadas quatro fotografias que possivelmente foram feitas com finalidade documental. 304 Miguel Furmann, 294 Dario Witcowski, 311 Arlete Witkowski e 293 Antonio Dias. Olhando as fotografias, percebemos que a maioria das fotos nesse tamanho, pertencente ao acervo da Casa da Memória Padre Bauer é, em maior número, de homens. Uma das possíveis causas é que o mercado de trabalho em meados do século passado, possuía mais trabalhadores do sexo masculino.

A palavra retrato não está sendo muito utilizada ultimamente. Outros tempos! (risos) Fiquei pensando na analogia entre o autorretrato nas artes plásticas e a tão conhecida “selfie” que tiramos com a câmera do celular, mas isso é tema para outras discussões. Todo retrato capturado por uma câmera é uma fotografia, mas nem toda fotografia é um retrato. Sabe aquela foto 3×4, que você tirou para algum documento de identificação? Então, ela é o seu retrato.

Referências

Retratos/Brasiliana/Fotográfica. Site http://brasilianafotografica.bn.br/?p=147

Últimos posts por Hilda Jocele Digner (exibir todos)

Comentários

Compartilhe:


MATÉRIAS RELACIONADAS
Tragédia Cigana: o “post-mortem” na fotografia
Fotografias da Rua David de Paula e Silva
Oswaldo Nascimento (1917-1990)