Com muita felicidade, a Gazeta Informativa assoprou as velinhas em comemoração aos cinco anos de atividades na última quinta-feira (5). A primeira edição impressa do jornal circulou em São Mateus do Sul e região, no dia 5 de março de 2015 e desde então, o jornal vem conquistando o carinho e admiração de muitos leitores e parceiros. (Foto: Thaís Siqueira/Gazeta Informativa)

A Gazeta Informativa completou cinco anos na última quinta-feira (5). A primeira edição impressa nº 1, circulou em São Mateus do Sul e região, no dia 5 de março de 2015. O jornal que chega às mãos do leitor são-mateuense e de municípios vizinhos, semanalmente, leva o apanhado das principais informações da semana e também matérias inéditas e exclusivas, assim ajuda a contar e registrar a história da sociedade.

“Eu afirmei, no dia em que a Gazeta Informativa (GI) fez a entrega do seu primeiro arquivo para a Casa da Memória, uma coisa que ouvi na minha graduação em História e nunca mais esqueci: não existe história sem papel”, conta o professor e historiador Mário Deina. Ele explica que por mais que hoje tenhamos meios eletrônicos de informação, sempre há chance de se perder o arquivo, o que não acontece com o papel que, se bem cuidado, permanece para as próximas gerações.

Deina ressalta que é pelas páginas do GI que toda semana se atualiza sobre os principais acontecimentos da sociedade desde o primeiro ano do jornal. A visão do professor de História e pesquisador vai além da informação cotidiana. Ele elenca que “quando se coloca em circulação uma edição não está exclusivamente transmitindo notícias, pois aquilo vai ficar arquivado e daqui a 50 anos, por exemplo, será fonte de pesquisa histórica”.

Dos primeiros passos à firmação como jornal de credibilidade

Em 2015, com seus 24 anos de idade, Thaís Siqueira se lançou em um desafio: fundar e dirigir um jornal impresso em São Mateus do Sul. A busca por empreender e fazer a diferença na vida das pessoas foi o que moveu a jornalista pós-graduada em Produção e Avaliação de Conteúdo para Mídias Digitais. “Eu sempre achei que São Mateus do Sul merecia e necessitava de um jornal mais jovem, com diagramação diferenciada, novos pensamentos e visões diferentes”, conta.

A primeira sede do jornal foi na casa de Thaís, que nos primeiros passos do jornal era quem executava todas as etapas de produção, “sempre com um sorriso no rosto e muita força de vontade”, como descreve. “Eu era a secretária, telefonista, redatora, fotógrafa, diagramadora, responsável pelo comercial, financeiro e administração, empacotava e entregava os jornais nas casas dos assinantes com a ajuda do meu marido, que era o meu motorista”, lembra. A jornalista afirma que abrir o jornal foi uma das melhores decisões de sua vida e que além de levar informação aos leitores, gera a “oportunidade de empregar e desenvolver pessoas, fazendo a diferença na vida delas também”.

No início de grandes projetos, as coisas costumam ser difíceis e se necessita apoio e perseverança para seguir em frente. Foi o que aconteceu com Thaís, que relata a gratidão aos amigos e familiares que muito a apoiaram. “Mãe e pai, vocês são tudo para mim, eu devo tudo a vocês. O meu marido Rafael também faz parte da história do jornal e é uma pessoa que sempre me ajudou em tudo que precisei, por isso agradeço de coração pela colaboração”.

O desafio do jornal impresso

Uma das características do jornal impresso é a informação precisa e o senso crítico do jornalista para selecionar os assuntos mais importantes e que precisam ser reportados ao leitor. Após escrito, não há como ser editado, vira arquivo histórico. Thaís Siqueira descreve a produção do jornal como de “muita responsabilidade e compromisso, pois todo conteúdo que é publicado pode alcançar um número grande de pessoas, e a imprensa tem o poder de persuadir e formar a opinião dos leitores, por isso a Gazeta Informativa trabalha com muita ética e atenção quanto a isso”.

Deina, que além de se informar utiliza o jornal impresso como material didático e de pesquisa, considera que “não há democracia sem imprensa livre”. É contra a censura que alguns grupos clamam, e diz que “se você não gosta do que a imprensa escreveu, não faça nada errado que não será alvo da imprensa”.

A confiança do leitor e dos anunciantes

Uma das coisas mais difíceis em qualquer empreitada é ganhar a confiança das pessoas. Ainda mais trabalhoso é conseguir que as pessoas não apenas confiem no trabalho, mas invistam nele. No caso de uma empresa jornalística, isso requer muita seriedade, responsabilidade ao tratar os acontecimentos e sempre manter viva a busca por entregar o mais qualificado conteúdo ao leitor.

Alexandre Godoy é um dos são-mateuenses que confia na Gazeta Informativa. “Você não vai fazer um anúncio ou ser assinante ou cooperar com um jornal que não tenha credibilidade”, afirma o leitor assíduo Alexandre Godoy.

O assinante Alexandre Godoy vê nas páginas da Gazeta a credibilidade necessária para um jornal. (Foto: Alexandre Douvan/Gazeta Informativa)

Ciente da necessidade de criar laços de confiança com os leitores e anunciantes, Thaís Siqueira conta que isso se deu aos poucos. “A gente sabe que não se constrói confiança da noite para o dia, é preciso muita dedicação, responsabilidade, amor, paciência e, principalmente, muito esforço para estabelecer uma relação de confiança com alguém”, descreve.

“Nós, das Lojas Leonardo, somos parceiros desde o início desse importante veículo de comunicação de nossa região, e temos muito orgulho de fazer parte dessa história”, declara um dos sócios das Lojas Leonardo e anunciante do jornal, Gilberto Staniszewski. Ele aponta que o jornal “vem crescendo a cada ano e nós acompanhamos essa evolução, as informações e notícias trazidas sempre de forma competente e em primeira mão aos são-mateuenses, tanto no impresso como no digital”.

Assim como Staniszewski não apenas anuncia como também acompanha as notícias e matérias especiais publicadas no GI, Godoy também tem no jornal o acesso às informações pertinentes da vida pública da região e acredita ser importante que o jornalismo local se fortaleça e procure cada vez mais alcançar os ideais do jornalismo. “É necessário que mostre as coisas ruins e as coisas boas pois o jornal precisa ser apartidário”, salienta Godoy.

Tal como Mário Deina, Alexandre Godoy vê o jornal como um meio de preservar a memória de um povo a médio e longo prazos. Lembra o caso da famosa enchente de 1983 e das fotos que haviam sido publicadas em jornais e hoje compõe o acervo da história da região.

O presidente da Associação Comercial, Industrial e Agropecuária de São Mateus do Sul (ACIASMS) também parabeniza o GI e ressalta que o jornal tem se mostrado isento, sem nunca tomar partido político, “sempre dando liberdade e espaço para todos”, ressalta Castilho. Ele lembra que a isenção que se busca em um jornal e é encontrada na Gazeta Informativa também é uma marca que se busca na Associação Comercial de São Mateus do Sul, pois se deve trabalhar pelo conjunto da sociedade.

O presidente da Associação Comercial, Industrial e Agropecuária de São Mateus do Sul (ACIASMS) Luciano Castilho relata que não costuma ter tempo de ler o jornal na sexta-feira, dia que ele chega, mas no sábado lê da primeira até a última página, e também afirma que prefere o jornal impresso do que o digital e ressalta que espera que o jornal sempre cresça e informe cada dia mais. (Foto: Ana Alice Santos/Gazeta Informativa)

“É um bom negócio anunciar no jornal pois somos uma entidade que precisa estar cada vez mais presente na sociedade”, declara Castilho, que também conta que por meio do anúncio no jornal a Associação Comercial consegue alcançar os leitores e divulgar cada vez mais suas ações. Além de anunciar no jornal, Luciano Castilho também é um dos leitores. Como não costuma ter tempo de ler o jornal na sexta-feira, é no sábado que ele lê da primeira até a última página do GI, e também afirma que prefere o jornal impresso do que o digital e ressalta que espera “que o jornal sempre cresça e nos informe cada dia mais”.

“Ter um jornal de qualidade como a Gazeta Informativa em São Mateus do Sul é gratificante. Com ele, além de podermos anunciar a nossa empresa, ficamos por dentro de todas as informações da nossa cidade e região. Valorizamos esse meio de comunicação, o qual confiamos nas produções de reportagens, visto que nos dias atuais os fake news nos outros meios de comunicação tem um índice muito alto! É um grande prazer fazer parte dos 5 anos do jornal, nosso grande parceiro”, diz Priscila Szymanski, gerente financeiro da empresa parceira do jornal Revecar Automóveis.

Para Priscila Szymanski, gerente financeiro da empresa Revecar Automóveis, “ter um jornal de qualidade como a Gazeta Informativa em São Mateus do Sul é gratificante. É um grande prazer fazer parte dos 5 anos do jornal, nosso grande parceiro”, diz. (Foto: Acervo Pessoal)

Comentários

Compartilhe:


MATÉRIAS RELACIONADAS
Grupo resgata a integridade do idoso em São Mateus do Sul
A amizade e ações voluntárias presentes nos grupos carnavalescos de São Mateus do Sul
A Gazeta Informativa foi a primeira Web TV local