Cidade

Gerson Souza é transferido para o Rio de Janeiro

Foto: Gazeta Informativa

No começo de 2003 a Petrobras reunia seus novos administradores, no Rio de Janeiro, para discutir a destinação dos mesmos. Alguns desejavam permanecer na “Cidade Maravilhosa”, outros pretendiam ir para outras capitais, mas todos compartilhavam da mesma angústia: a decisão seria da empresa. Para surpresa de todos, antes que a responsável pelo RH começasse a falar, um dos rapazes levantou uma placa com os dizeres: “EU QUERO A SIX”. Todos caíram na gargalhada, e o administrador gaúcho ganhou o apelido “Gerson da SIX”. Nos meses seguintes, ainda sem ter a certeza se conseguiria ir para a tal Unidade (a qual ele nem conhecia), Gerson e a esposa Márcia mantiveram na parede do apartamento uma foto de São Mateus do Sul, com uma contagem regressiva ao lado, apontando os dias que faltavam para se mudarem para o sul do Paraná.

No começo de junho daquele ano, o casal finalmente desembarcava na nossa Capital do Xisto, cidade que eles escolheram viver. Nos anos seguintes, Gerson mostraria seu talento na empresa, galgando diversos cargos em diferentes áreas da SIX. Mas este talento não ficaria restrito às cercas da Usina do Xisto. Seria espalhado por toda a cidade, nas muitas facetas que o “novo são-mateuense” revelaria.

O Religioso

Após se instalar na comunidade da Vargem Grande, rapidamente a pequena capela de São Sebastião ganharia um novo catequista. O trabalho de evangelização que o gaúcho já realizava há doze anos em Porto Alegre, foi continuado em São Mateus do Sul e, ainda hoje, é possível encontrá-lo nas tardes de sábado, rodeado de crianças e falando sobre a Bíblia. Gerson ainda se tornaria presidente da diretoria da Capela, e apoiaria os padres da Paróquia São Mateus dando palestras de formação de catequistas.

O Astrônomo

Em março de 2005, com os amigos Socrates Fofano, Júlio Skalski, João Carlos Teixeira e Ricardo Almeida, Gerson criava o grupo ArteComCiência, que nos anos seguintes daria palestras de astronomia e educação ambiental nas escolas de São Mateus do Sul. O ArteComCiência rapidamente recebeu a incorporação de dezenas de voluntários, promovendo gincanas astronômicas e o “telescópio na rua”, dia específico no mês em que os integrantes colocavam seus telescópios em algum lugar da cidade, disponibilizando para que qualquer pessoa pudesse observar o céu. Gerson ainda disseminava sua paixão pelas estrelas escrevendo artigos sobre o tema, e apresentando as atividades realizadas em São Mateus em encontros estaduais e nacionais de astronomia.

O Poeta

Outra faceta de Gerson que rapidamente apareceu foi sua veia poética. Suas composições começaram a aparecer em jornais, nas redes sociais, além de obter prêmios em concursos nacionais, colocando o nome de São Mateus do Sul em evidência. Algumas destas composições viraram músicas, como o jingle que identificava o Colégio SEMA e canções usadas em peças teatrais. Em 2012 uma destas composições foi escolhida pela CNBB como Hino da Campanha da Fraternidade de 2013: a composição criada em São Mateus do Sul passaria a ser cantada em todas as igrejas do país. Aqui na cidade, Gerson lançou em 2012 seu segundo livro de poesias: Dons DiVersos, com vários sonetos e trovas falando do seu amor por São Mateus do Sul. Também participou da criação do grupo CulturAção, realizando oficinas de poesias para professores de escolas públicas.

O Dramaturgo

Em 2008 acontecia o centenário de São Mateus do Sul, e o Grupo Teatral Pau&Corda convidou Gerson a escrever o texto da peça que contaria para a população a história da cidade. Assim nascia “Extra-Extra: Essa é a nossa História!”, texto que trouxe aos palcos personagens ilustres que contribuíram para a criação de São Mateus. Na sequência Gerson escreveria os autos de natal: “O Filho Pródigo” (2009), “O Natal de Maria” (2014) e “Em Busca da Luz” (2015). Também faria uma participação como ator na peça “Querogênio 23” (2010), e se encarregaria do texto e direção da Paixão de Cristo “Não tenhais medo” (2014), brilhantemente encenado pelo JUC.

O Historiador

A pesquisa para escrever textos teatrais despertou em Gerson o amor pela história da cidade. Após seis anos de resgate, em 2014 ele lançava seu terceiro livro, A Estrela de Jacó, abordando a imigração polonesa e a vida do padre Jakób Wróbel, responsável pela organização da comunidade da Água Branca. No ano seguinte receberia o convite do Consulado da Polônia para realizar o resgate de outro vulto da imigração: Antônio Bodziak, líder do Batalhão Polaco. Desta pesquisa nasceu o livro “O Imortal Coronel Bodziak”, lançado neste ano. Gerson ainda coordenou o projeto “Dois Minutos de História”, numa parceria com Gideão e Tiago Portes Borges e Hélio Formaggio Jr, contando a história da cidade em pequenos vídeos. Também participou da fundação do Instituto Histórico e Geográfico de São Mateus do Sul.

O São-mateuense

Toda esta interação com a cidade deixava claro o amor que este gaúcho tinha por nossa São Mateus do Sul. No ano de 2014 ele receberia da Câmara de Vereadores o título de “Cidadão Honorário de São Mateus do Sul”.

No começo deste mês de junho, recebemos a notícia de que Gerson estaria sendo transferido para o Rio de Janeiro, para assumir uma importante gerência na sede da Companhia. Em contato com o mesmo, a informação foi confirmada. A Gazeta Informativa deseja sucesso ao amigo, que inclusive foi nosso colunista por muito tempo, tendo a certeza que mesmo longe ele continuará sendo o “Gerson da SIX” e de São Mateus do Sul.

Últimos posts por Thaís Siqueira (exibir todos)

Comentários

Compartilhe:


MATÉRIAS RELACIONADAS
Vapor Pery passa por pintura
Apae de São Mateus do Sul inicia Projeto Hidro Saúde
Festas de carnaval embaladas por marchinhas marcaram gerações de são-mateuenses