Cidade

Greve dos bancários fecha agências de São Mateus do Sul a partir de quinta-feira por tempo indeterminado

greve bancosA partir desta terça-feira (6), bancários de instituições públicas e privadas em quase todo o país entraram em greve por tempo indeterminado. As agências bancárias de São Mateus do Sul estarão fechadas a partir de quinta-feira (8). Porém, os serviços de autoatendimento para pagamento de contas, saques, depósitos e outros, poderão ser utilizados normalmente pelos clientes.

A categoria rejeitou a proposta da Fenaban (Federação Nacional dos Bancos) de reajuste de 6,5%  sobre os salários, a PLR e os auxílios refeição, alimentação, creche, e abono de R$ 3 mil. Os sindicatos alegam que a oferta ficou abaixo da inflação projetada em 9,57% para agosto deste ano e representa perdas de 2,8% para o bolso de cada bancário.

Os bancários querem reposição da inflação do período mais 5% de aumento real, valorização do piso salarial, no valor do salário mínimo calculado pelo Dieese (R$ 3.940,24 em junho), PLR de três salários mais R$ 8.317,90, além de outras reivindicações, como melhores condições de trabalho.

Conforme a Federação Nacional dos Bancos (Fenaban, o braço sindical dos bancos), a proposta representa um aumento, na remuneração, de 15% para os empregados com salário de R$ 2,7 mil, por exemplo. Para quem ganha R$ 4 mil, o aumento de remuneração será de 12,3%; e, para salários de R$ 5 mil, equivale a 11,1%. O piso salarial para a função de caixa, com o reajuste, passaria a R$ 2.842,96, por jornada de 6 horas/dia.

A última paralisação dos bancários ocorreu em outubro do ano passado e teve duração de 21 dias, com agências de bancos públicos e privados fechadas em 24 estados e do Distrito Federal. Na ocasião, a Fenaban propôs reajuste de 10%, em resposta à reivindicação de 16% da categoria.

Comentários

Compartilhe:


MATÉRIAS RELACIONADAS
Nova diretoria da ACIASMS toma posse
Atitude dos Correios faz com que a solidariedade transforme o Natal de muitas crianças
Comitiva da Apae participa de reunião no Ministério da Saúde