Geral

Greve dos caminhoneiros chega ao 4º dia em São Mateus do Sul e participantes intensificam as ações

Fotos: Alexandre Müller/Gazeta Informativa

O 4º dia de manifestações dos caminhoneiros em São Mateus do Sul, marcado nesta sexta-feira (25) e o 5º dia, em todo o território nacional, iniciou com o fortalecimento das ações dos protestantes após o anúncio do acordo firmado entre o Governo Federal e os representantes sindicais da categoria, divulgado na noite de ontem, quinta-feira (24).

Segundo os manifestantes, o acordo foi acatado por sindicatos que não os representam e o protesto persistirá até as demandas serem atendidas. Os bloqueios continuaram sendo realizados, e durante a manhã, agricultores e alguns manifestantes circularam pela cidade com seus veículos e tratores, novamente objetivando chamar a atenção da comunidade.

Já no início da tarde, o Presidente da República, Michel Temer, anunciou seu Plano de Segurança, destacando que convocou as Forças Federais de Segurança para restabelecer a ordem e cessar os bloqueios que vem intervindo no cotidiano da nação e prejudicando o abastecimento nas mais diversas áreas, como combustíveis, alimentos e medicamentos. Temer solicitou apoio dos governadores na tomada de medidas que colaborem com a ação.

“Quem bloqueia estradas está prejudicando a população e será responsabilizado. Vamos garantir a livre circulação e o abastecimento. O acordo está assinado e cumpri-lo, naturalmente, será a melhor alternativa”, enfatizou o Presidente em seu pronunciamento, amplamente divulgado pela mídia nacional.

Temer enfocou que cerca de 12 reivindicações foram atendidas e o compromisso foi firmado de forma conjunta entre governo e os representantes das manifestações, tais como: a redução de 10% do preço final do diesel, a estabilidade do preço do seu valor a cada 30 dias e a eliminação da Contribuição de Intervenção no Domínio Econômico (Cide).

O Presidente, categoricamente indagou que as manifestações chegam a um limite e os caminhoneiros que persistem em não cumprir o estabelecido, só prejudicaram o país como um todo. “O governo espera e confia que cada caminhoneiro cumpra seu papel.”

Em São Mateus do Sul, durante a tarde, agricultores da comunidade da Divisa interditaram a PR-151 que liga o município ao estado de Santa Catarina com seus maquinários agrícolas e impediram o tráfego de veículos, agregando ainda mais força e participação nas ações reivindicatórias.

Chamou a atenção de boa parte da comunidade são-mateuense, as manifestações em prol a Intervenção Militar, onde caminhoneiros e apoiadores do protesto trocaram suas placas com frases de apoio à greve e às substituíram pela solicitação explicita da interferência militar no Estado. Vários condutores que passaram pelos bloqueios também foram convidados à alocar a frase em seus veículos.

No sábado (26), os organizadores do protesto planejam a realização de uma cavalgada junto aos agricultores e demais apoiadores, partindo do Trevo do Posto Triângulo e percorrendo as principais ruas da cidade. O desfecho desta ação se dará no mesmo ponto de partida, onde às 11 horas, será celebrada uma missa pelo Padre João Francisco, pároco da Igreja Matriz Nossa Senhora Aparecida, da Vila Nepomuceno.

Comentários

Compartilhe:


MATÉRIAS RELACIONADAS
Bingo beneficente ajudará são-mateuense com câncer de mama
Grupo Karolinka faz prestação de contas da III Mostra do Folclore Polonês
Conta de luz receberá alta de mais de 15% a partir de domingo