Informe Publicitário

Há 35 anos, família Giazzon se empenha no cultivo da uva e seus derivados

Família faz da safra uma geração de renda. Na foto, da direita para a esquerda: Walter Giazzon e seu filho Ivan, que recepcionaram a equipe da Gazeta Informativa na entrevista para a produção desta reportagem. (Fotos: Alexandre Müller e Thaís Siqueira/Gazeta Informativa)

Walter Giazzon, rio-grandense de origem e são-mateuense de coração, chegou ao município no início da década de 1970, quando ingressou na Unidade de Industrialização do Xisto (SIX) na Petrobras em São Mateus do Sul. Vindo de família que já conhecia os segredos do cultivo dos mais variados tipos de uva, viu em sua aposentadoria a oportunidade ideal para entrar de cabeça no ramo.

Proprietário de seis hectares na comunidade da Colônia Taquaral, destina metade da sua propriedade ao cultivo da “fruta dos deuses”, como mencionam inúmeros estudiosos da gastronomia. São cerca de 6 mil pés às margens do Rio Taquaral, onde 3 mil parreiras estão em plena produção.

Giazzon cultiva videiras americanas ou não viníferas, ou seja, aquelas destinadas ao consumo in natura, para o feitio de sucos e doces, além dos tradicionais e populares vinhos de garrafão. As uvas viníferas são aquelas que produzem o chamado vinho fino e que não são o foco da cultura. Dentre os tipos de uvas, Giazzon destaca a efetividade da produção da Niágara Branca e Rosada, além da Bordô e a Isabel, que são destinadas especificamente ao vinho.

A safra 2017/2018 que iniciou pouco antes do Natal, já está a todo vapor e deixa a família muito animada quanto a produtividade e arrecadação, tendo em vista que os dois últimos anos a produção teve uma queda desproporcional. Estimasse que a colheita possa chegar à 25 toneladas já que o clima, fator crucial da produtividade e qualidade dos frutos foi benéfico. “O fator para a melhor produção é o equilíbrio entre chuvas e sol, e a colheita neste ano adiantou”, garante Ivan Giazzon, que acompanha o pai no dia a dia do parreiral.

“Já tivemos produção de mais de 20 mil litros de vinho nos bons tempos”, enfoca Walter que nos explica que a cada 1,5 kg de uva, se produz um litro de vinho colonial, o qual ele mesmo fabrica artesanalmente na propriedade e consome diariamente uma garrafa para controlar a qualidade da produção.

O clima são-mateuense apesar de bastante frio, colabora para a produção, conforme afirma o produtor, “a geada vindo no tempo certo é benéfica. O pior é quando vem atrasada e pega os pés brotando”, ocasionando assim o prejuízo na produção.

Ainda segundo Ivan, apesar da colheita ser de encher os olhos neste período, o ano todo precisam se empenhar na lavoura, seja para arrumar os palanques, fazer as roçadas ou a poda que é a época onde mais se envolvem no trabalho.

Além das uvas, a família Giazzon também produz kiwi e caqui, que são culturas que iniciam logo após o término da colheita da uva. Somam-se a renda da família, a produção de 200 pés de kiwi e cerca de 500 pés de caqui.

Após colhidas as uvas e demais frutas, são destinadas parte para a produção dos vinhos, outra para venda in natura na tradicional Casa da Uva, onde a família reside no centro de São Mateus do Sul e abre suas portas anualmente para atender a comunidade. A última parte é destinada para a confecção de doces, geleias e sucos coloniais, havendo assim a participação de todos os membros da família, logo que a produção alimentícia é exclusiva das mulheres, afirma Janete Giazzon, nora de Walter e esposa de Ivan, que está à frente das panelas sobre a supervisão atenta da sogra, Leni Giazzon.

A Casa da Uva é aberta anualmente na residência da família e está localizada na rua Ulisses Faria, número 470, próxima à estação rodoviária em São Mateus do Sul. O quilo das uvas é R$ 5,00. Faça uma visita e leve para a casa “a fruta dos deuses”. O telefone para contato é: (42) 3532-1723.

Serviço

A Casa da Uva é aberta anualmente na residência da família e está localizada na rua Ulisses Faria, número 470, próxima à estação rodoviária, em São Mateus do Sul. Atende até o final da colheita que inicia em meados de dezembro e vai até final de fevereiro, e hoje vem cobrando R$ 5,00 o quilo das uvas. O telefone para contato é: (42) 3532-1723.

Colaborador

Compartilhe:


MATÉRIAS RELACIONADAS
Salão Vita reinaugura em novo espaço
Comédia teatral ‘Quase Cinquenta Tons de Cinza’ é atração para o fim de semana em São Mateus do Sul
Loja Suri apresenta coleção outono/inverno 2017 em desfile

Os comentários estão fechados