Local onde Mario foi mordido pela cobra. (Foto: Cláudia Burdzinski/Gazeta Informativa)

No último domingo (12), Mario Buginki da Silva, de 41 anos, foi mordido por uma cobra jararaca na ciclovia do Ginásio Municipal Olívio Wolff do Amaral (Polacão), por volta das 18h30. De acordo com Mario, ele estava caminhando junto de seu filho, de 12 anos. “A hora que ela picou eu a joguei para o alto com o meu chinelo e sai correndo pegar o carro com meu filho”, relata.

Cobra jararaca. (Imagem Ilustrativa)

Quando Mario chegou no Pronto Socorro Municipal, foi prontamente atendido pela equipe de saúde que o medicou para evitar que o veneno se espalhasse. O são-mateuense recebe alta nesta terça-feira (14). “Agradeço toda a equipe pelo rápido atendimento”, diz.

Em suas redes sociais, Mario alertou os moradores da região para tomarem cuidado quando forem realizar as atividades físicas no local. “Nesse período, com temperaturas mais elevadas, é propenso o surgimento delas. Vamos ficar de olho nas crianças, pois sabemos que todo cuidado é pouco.” Entramos em contato com a Prefeitura Municipal sobre o fato, e eles farão a limpeza no local ainda essa semana.

Segundo o Ministério da Saúde, os animais que causam mais acidentes no Brasil são os escorpiões – que representam quase metade dos acidentes –, seguidos pelas cobras, aranhas, lagartas e outros animais.

Quando o acidente é com serpentes do grupo das jararacas há dor e inchaço no local da picada, às vezes com manchas arroxeadas e sangramento no ferimento. Podem ocorrer também sangramentos em gengivas, pele e urina. As complicações mais graves são infecção e necrose na região da picada e insuficiência renal.

Em caso de acidente, a pessoa deve ser encaminhada, o mais rápido possível, para um hospital. Durante o socorro, o membro atingido deve ser colocado numa posição mais elevada em relação ao corpo e lavado apenas com água e sabão. Lembrando que nunca, jamais deve-se amarrar o membro acidentado, nem sugar o ferimento com a boca. Também não é indicada a aplicação de qualquer tipo de substância (pó de café, álcool, urina, chá, querosene entre outros) na lesão.

Vale ressaltar que se qualquer animal peçonhento for visto na região, os moradores devem entrar em contato com o Corpo de Bombeiros via 193.

CHARGE

Cláudia Burdzinski

Cláudia Burdzinski

Estudante de Jornalismo que adora escrever e conhecer um pouco sobre a vida e a história de cada pessoa envolvida. Preza pela essência que é repassada na produção de cada matéria, valoriza os pequenos gestos e apoia o ativismo ambiental. E-mail para contato: claudia@gazetainformativa.com.br
Cláudia Burdzinski

Comentários

Compartilhe:


MATÉRIAS RELACIONADAS
O que mudou na lei que proíbe fogos e artefatos de artifício em São Mateus do Sul
Peça teatral Paixão de Cristo é revitalizada e supera expectativas em São Mateus do Sul
Parada na SIX inicia neste sábado (25) e contrata mais de 90% de mão de obra são-mateuense

Deixe seu comentário

*