Cidade

II Congresso da Erva-Mate é realizado em São Mateus do Sul e reúne mais de 600 membros da cadeia produtiva regional

“O congresso foi um sucesso!”, afirmam os organizadores do evento. (Fotos: Alexandre Müller/Gazeta Informativa)

O segundo Congresso da Erva-Mate do Vale do Iguaçu foi sediado pelo município de São Mateus do Sul na sexta-feira (23/03). O evento trouxe à tona o tema: “Desenvolvimento Sustentável do complexo Vale do Iguaçu”, e lotou o Clube Ideal Sãomateuense (CIS), de membros da cadeia produtiva da cultura. Produtores rurais, tarefeiros, ervateiros, viveiristas, membros de entidades representativas do setor ervateiro, autoridades municipais e regionais, além de técnicos, estudantes e a comunidade em geral participaram do congresso.

Iniciando no período da manhã, as mais de 600 pessoas participaram de várias palestras com temas que visavam contribuir com o desenvolvimento do setor. Os assuntos abordados eram: A Importância Econômica, Social e Ambiental da Cadeia Produtiva da Erva-mate no Paraná; o Gerenciamento do Processo de Industrialização e Boas Práticas Agrícolas (BPA); Boas Práticas de Fabricação (BPF) na Erva-Mate; Melhoramento Genético e Clonagem; a Câmara Setorial e Mercados da Erva-mate; e a Conquista da Indicação Geográfica (IG).

Para o Gerente Regional do Instituto Paranaense de Assistência Técnica e Extensão Rural (EMATER) de União da Vitória, Cleacir Júnior Dall Agnol, “o evento mostrou acima de tudo a força do complexo ervateiro do Vale do Iguaçu e o destaque a São Mateus do Sul, que leva o título de Terra da Erva-Mate. O congresso proporcionou uma visibilidade extraordinária perante o Governo do Paraná, tanto que o governador Beto Richa e o secretário da Casa Civil, Valdir Rossoni, se comprometeram e nos cobraram propostas para o estado apoiar o setor.”

O Secretário de Agricultura e Meio Ambiente, Hélio Toshio Sakurai, destacou que o evento foi um sucesso. “Um evento desta natureza não realizamos sozinhos. Fizemos um trabalho conjunto com a EMATER, IG-Mathe, Prefeituras, SINDIMATE e Ervateiras que participaram na construção deste evento. Temos que trabalhar bastante para estruturarmos a cadeia produtiva da erva-mate. O caminho é longo mas sabemos como chegar lá”, comenta Hélio.

O secretário também destaca que todos precisam entender que para alavancar o preço do produto temos que ter qualidade na matéria prima. “Devemos investir em conhecimento e tecnologia, criando políticas de industrialização de novos produtos aqui na região. Trabalhando desta forma poderemos desenvolver, e muito, o nosso município e região do Vale do Iguaçu” destacou Hélio.

O prefeito da cidade de Bituruna e presidente da Associação dos Municípios Sul Paranaense (Amsulpar), Claudinei de Paula Castilho, enfatizou a importância da realização dos congressos correlacionados à erva-mate nas cidades envolvidas com a cadeia produtiva.

Claudinei enalteceu que o primeiro encontro foi realizado em seu município e o próximo será na cidade de Cruz Machado. “Estou muito feliz em também poder fazer parte desse grande evento através da Amsulpar. Quero parabenizar a todos os envolvidos na organização, pois os dois congressos já realizados nos dão conta de que foram os maiores já realizados no país. Isso demonstra a grande importância que a erva-mate possui no território do Vale do Iguaçu”, diz.

Desde a chegada dos participantes ao congresso, o dia foi regado à base da erva-mate: seja nas palestras assistidas atenciosamente e seguidas por debates e questionamentos, como também no cardápio do chá break, oferecido com vários produtos como pães, pães-de-queijo, bolos e cupcakes elaborados com erva-mate. “Prova de como a comunidade são-mateuense entrou de cabeça no projeto da erva-mate com a obtenção do Selo de IG, vivendo essa cultura e a trazendo para nosso dia a dia”, ressalta Haroldo Mildemberg Ferreira, assessor de imprensa da Associação dos Amigos da Erva-mate (IG-Mathe), e membro da organização do evento.

Os participantes também puderam apreciar um resgate culinário que fomentou excelentes elogios. Na hora do almoço, os presentes serviram-se com um delicioso charque à vapor, prato típico são-mateuense que foi criado pelos responsáveis em articular o transporte da erva-mate pelo Rio Iguaçu no início do desenvolvimento da região, e provendo assim o alavanque da economia do setor. O gerente regional da EMATER encerrou o evento afirmando que o III Congresso da Erva-Mate acontecerá em 2019, e será sediado pela cidade de Cruz Machado.

Comentários

Compartilhe:


MATÉRIAS RELACIONADAS
1ª Festa da Colheita do Mate acontece em maio
Caminhões saem de São Mateus do Sul escoltados para abastecimento da Defesa Civil
Instituto Histórico comemora dois anos com posse das primeiras cadeiras