Cidade

II Congresso da Erva-Mate é realizado em São Mateus do Sul e reúne mais de 600 membros da cadeia produtiva regional

“O congresso foi um sucesso!”, afirmam os organizadores do evento. (Fotos: Alexandre Müller/Gazeta Informativa)

O segundo Congresso da Erva-Mate do Vale do Iguaçu foi sediado pelo município de São Mateus do Sul na sexta-feira (23/03). O evento trouxe à tona o tema: “Desenvolvimento Sustentável do complexo Vale do Iguaçu”, e lotou o Clube Ideal Sãomateuense (CIS), de membros da cadeia produtiva da cultura. Produtores rurais, tarefeiros, ervateiros, viveiristas, membros de entidades representativas do setor ervateiro, autoridades municipais e regionais, além de técnicos, estudantes e a comunidade em geral participaram do congresso.

Iniciando no período da manhã, as mais de 600 pessoas participaram de várias palestras com temas que visavam contribuir com o desenvolvimento do setor. Os assuntos abordados eram: A Importância Econômica, Social e Ambiental da Cadeia Produtiva da Erva-mate no Paraná; o Gerenciamento do Processo de Industrialização e Boas Práticas Agrícolas (BPA); Boas Práticas de Fabricação (BPF) na Erva-Mate; Melhoramento Genético e Clonagem; a Câmara Setorial e Mercados da Erva-mate; e a Conquista da Indicação Geográfica (IG).

Para o Gerente Regional do Instituto Paranaense de Assistência Técnica e Extensão Rural (EMATER) de União da Vitória, Cleacir Júnior Dall Agnol, “o evento mostrou acima de tudo a força do complexo ervateiro do Vale do Iguaçu e o destaque a São Mateus do Sul, que leva o título de Terra da Erva-Mate. O congresso proporcionou uma visibilidade extraordinária perante o Governo do Paraná, tanto que o governador Beto Richa e o secretário da Casa Civil, Valdir Rossoni, se comprometeram e nos cobraram propostas para o estado apoiar o setor.”

O Secretário de Agricultura e Meio Ambiente, Hélio Toshio Sakurai, destacou que o evento foi um sucesso. “Um evento desta natureza não realizamos sozinhos. Fizemos um trabalho conjunto com a EMATER, IG-Mathe, Prefeituras, SINDIMATE e Ervateiras que participaram na construção deste evento. Temos que trabalhar bastante para estruturarmos a cadeia produtiva da erva-mate. O caminho é longo mas sabemos como chegar lá”, comenta Hélio.

O secretário também destaca que todos precisam entender que para alavancar o preço do produto temos que ter qualidade na matéria prima. “Devemos investir em conhecimento e tecnologia, criando políticas de industrialização de novos produtos aqui na região. Trabalhando desta forma poderemos desenvolver, e muito, o nosso município e região do Vale do Iguaçu” destacou Hélio.

O prefeito da cidade de Bituruna e presidente da Associação dos Municípios Sul Paranaense (Amsulpar), Claudinei de Paula Castilho, enfatizou a importância da realização dos congressos correlacionados à erva-mate nas cidades envolvidas com a cadeia produtiva.

Claudinei enalteceu que o primeiro encontro foi realizado em seu município e o próximo será na cidade de Cruz Machado. “Estou muito feliz em também poder fazer parte desse grande evento através da Amsulpar. Quero parabenizar a todos os envolvidos na organização, pois os dois congressos já realizados nos dão conta de que foram os maiores já realizados no país. Isso demonstra a grande importância que a erva-mate possui no território do Vale do Iguaçu”, diz.

Desde a chegada dos participantes ao congresso, o dia foi regado à base da erva-mate: seja nas palestras assistidas atenciosamente e seguidas por debates e questionamentos, como também no cardápio do chá break, oferecido com vários produtos como pães, pães-de-queijo, bolos e cupcakes elaborados com erva-mate. “Prova de como a comunidade são-mateuense entrou de cabeça no projeto da erva-mate com a obtenção do Selo de IG, vivendo essa cultura e a trazendo para nosso dia a dia”, ressalta Haroldo Mildemberg Ferreira, assessor de imprensa da Associação dos Amigos da Erva-mate (IG-Mathe), e membro da organização do evento.

Os participantes também puderam apreciar um resgate culinário que fomentou excelentes elogios. Na hora do almoço, os presentes serviram-se com um delicioso charque à vapor, prato típico são-mateuense que foi criado pelos responsáveis em articular o transporte da erva-mate pelo Rio Iguaçu no início do desenvolvimento da região, e provendo assim o alavanque da economia do setor. O gerente regional da EMATER encerrou o evento afirmando que o III Congresso da Erva-Mate acontecerá em 2019, e será sediado pela cidade de Cruz Machado.

Comentários

Compartilhe:


MATÉRIAS RELACIONADAS
Rio Canoas é destaque em mais uma Oficina do Plano Diretor de São Mateus do Sul
Arqueólogo descobre sítio com vestígios de ocupação humana que devem datar de quase 4 mil anos em São Mateus do Sul
Sala do Empreendedor oferece auxílio para autônomos e pequenos empresários