Educação e Cultura

II Feira de Saberes e Cultura e comemoração do Dia Nacional da Consciência Negra é sucesso em Antonio Olinto

Alunas do Colégio Estadual do Campo Duque de Caxias

Parceria: com essa palavra é possível definir o grande sucesso da II Feira de Saberes e Cultura e Comemoração do Dia Nacional da Consciência Negra, evento realizado dia 24 de novembro, na quadra municipal de esportes de Antonio Olinto.

Alunas do Colégio Estadual do Campo Cecilia Meireles (Apresentação de projeto sobre Extração do DNA de frutas)

Alunas do Colégio Estadual do Campo Cecilia Meireles (Apresentação de projeto sobre Extração do DNA de frutas)

Coordenado pelas Professoras Priscila Pereira, Kamilla Borille e Rosana W. de Lara, de física, química e biologia respectivamente. O evento teve uma pitada de “ousadia educacional”. Foram três instituições envolvidas nas apresentações e exposições: o Colégio Estadual do Campo Duque de Caxias, a Escola de Educação Especial Raio de Sol (APAE) e Colégio Estadual do Campo Cecília Meireles, da Comunidade do Butiá.

Durante os três turnos, as instituições se revezaram nas apresentações referentes ao Dia Nacional da Consciência Negra, além de exposições de projetos científicos e de pesquisa desenvolvidos pelos alunos do Ensino Médio das instituições citadas.

Alunos do Colégio Estadual do Campo Duque de Caxias (Braço hidráulico)

Alunos do Colégio Estadual do Campo Duque de Caxias (Braço hidráulico)

Segundo a aluna Jaqueline Stavasc, do terceiro do Colégio Duque de Caxias, a Feira foi “um momento de troca de conhecimentos, onde eu posso aprender pesquisando e preparando uma exposição e, ao mesmo tempo, aprendo com os projetos dos outros alunos, de outras turmas”.

Já para a aluna Leidieli Aparecida Wolff Ferreira “a Feira foi um momento muito produtivo, onde consegui aprender muitas coisas novas, onde o maior desafio foi aprender, além do conteúdo relacionado ao projeto apresentado, muitas palavras novas, na medida que o público perguntava sobre a exposição”. Segundo Leidieli , também do terceiro ano, é de grande importância a parceria com as outras escolas, pois se torna, além de um momento de aperfeiçoar o conhecimento com as trocas de experiências, ajudam no entrosamento entre as instituições.

Aproximadamente 1.800 pessoas passaram pelo local durante todo o dia, sendo alunos e familiares, autoridades locais além de professores e alunos da Escola Estadual Ernestina W. da Silveira, Escola Municipal Monteiro Lobato, ambas de Antonio Olinto e do Lar São Mateus, do município vizinho.
Para as Professoras Kamilla, Priscila e Rosana, foi um momento incrivelmente mágico, onde se pôde ver de perto o resultado de todo o esforço no processo ensino/aprendizagem desencadeado em sala de aula durante todo o ano letivo. “Quando vemos nossos alunos falando de algo que eles pesquisaram e desenvolveram, com o mínimo de interferência nossa, percebemos que vale a pena todo o nosso esforço”, conclui emocionada.

A Professora Priscila (Pity) como é conhecida entre seus alunos e colegas de trabalho ressalta “observar os trabalhos desenvolvidos por eles é como se a gente olhasse para um filho, que se desenvolveu e está praticamente pronto para o mundo”.

Os organizadores agradecem a todos(as) que direta ou indiretamente contribuíram para o sucesso do evento, especialmente aos estudantes de Antonio Olinto que, muito engrandecem quando expressam, de forma espetacular o conhecimento produzido.

Comentários

Compartilhe:


MATÉRIAS RELACIONADAS
Chá Literário resgata a poesia são-mateuense
Mostra de Inovação e Marketing Empresarial da Uniuv leva centenas de pessoas para conhecer a instituição em São Mateus do Sul
Baile Polonês marca a abertura da 25ª Tradycje Polskie