Especial

III Mostra de Folclore encanta o público e mobiliza a cidade

Poloneses vivenciaram São Mateus do Sul e aproveitaram a hospitalidade das famílias que os receberam. (Fotos: Fotos: Eduardo Covalesky Dias e Larissa Drabeski / Levante Fotografia)

A III Mostra de Folclore Polonês proporcionou um espetáculo inesquecível para os são-mateuenses. No palco, a dança e as músicas polonesas foram representadas pelo Conjunto de Canto e Dança da Universidade Politécnica de Varsóvia (Zespół Pieśni i Tańca Politechniki Warszawskiej) e pelo grupo de dança e coral do Karolinka.

As apresentações animaram o público de cerca de 700 pessoas que estiveram presentes no Salão Paroquial da Igreja Matriz São Mateus, na agradável noite de sábado (14), a partir das 19h30. Foram mais de duas horas de show em que os grupos apresentaram músicas, trajes, cantos e danças de diversas regiões da Polônia.

Diante de tanto espetáculo, a surpresa ficou por conta da música Telefone Mudo, do Trio Parada Dura, cantada pelo conjunto polonês – uma surpresa aos são-mateuenses que tão bem acolheram os artistas poloneses.

A III Mostra de Folclore foi promovida pelo Grupo Folclórico Polonês Karolinka, com patrocínio da Copel e do Governo do Estado do Paraná e apoio da Prefeitura Municipal de São Mateus do Sul, da Levante Fotografia e Comunicação e da Gazeta Informativa.

Intercâmbio

Além do espetáculo proporcionado na noite de sábado, a presença do ZPiTPW foi a possibilidade de intercâmbio entre os jovens integrantes dos grupos folclóricos. Formado por alunos universitários, o grupo polonês ficou hospedado em casas de famílias da comunidade – o que possibilitou uma troca de culturas e experiências muito rica para os são-mateuenses nos três dias que eles estiveram na cidade.

“Todos ficaram muito encantados com a oportunidade de recebê-los em suas casas. Os jovens do grupo já falaram para a gente que São Mateus do Sul foi onde eles foram mais bem recepcionados, e ficaram surpresos com a hospitalidade da cidade”, conta Iris Janoski, coordenadora do Grupo Karolinka.

A oportunidade de troca de experiências entre os grupos folclóricos também foi destacada. Este ano, o Grupo Karolinka apresentou duas coreografias do grupo adulto e duas do grupo infantil, o que possibilitou um maior acompanhamento dos bastidores e uma atenção maior ao espetáculo do conjunto visitante. “Eles trouxeram trajes diferentes, danças e músicas de outras regiões. Isso tudo, para nós, foi um aprendizado”, afirma Iris.

Comentários

Compartilhe:


MATÉRIAS RELACIONADAS
12 de maio, o Dia da Mulher Policial Militar
Voltando para São Mateus do Sul depois de 67 anos
Seca expõe carcaças de antigas embarcações nos rios Iguaçu e Taquaral