Contador José Marcio Zelinski da Vivum Contabilidade de São Mateus do Sul. (Foto: Vivum Contabilidade/Acervo)

“Apesar da prorrogação de prazo, o qual foi estendido para 30/06/2020, não devemos deixar para a última hora a entrega da declaração”, é o alerta do contador José Marcio Zelinski, da Vivum Contabilidade de São Mateus do Sul. Ele esclarece alguns pontos relativos à declaração anual, passível de multa se perder o prazo. Sempre na prerrogativa de que é muito melhor, tendo dúvidas, procurar um profissional para esclarecer.

“Ainda muitas pessoas não efetuaram a entrega, e apesar do prazo dilatado em função da pandemia Covid-19, sabemos que quem puder fique em casa, mas as obrigações vencem e geram multas”, observa o contador. “Então aconselhamos tentar buscar os documentos de forma on-line”, acrescenta. Assim se protegendo e evitando se colocar em risco de contaminação com o Coronavírus.

“Caso não possa sair, ou estiver num grupo de risco, pode pedir para algum familiar fazer este trabalho”, orienta José Marcio Zelinski. “Mas não deixe para a última hora”, repete. Infelizmente é uma prática bem brasileira postegar prazos e, quando está sendo finalizado o período para algo, existe o corre-corre e eleva o grau de preocupação, podendo, inclusive, incorrer em dificuldades ou erros.

“A declaração, em alguns casos, exige uma grande análise e tempo para a sua confecção. Logo para um trabalho bem feito se exige um tempo maior”, explica o contador. Em todo este contexto, o escritório carece de que o profissional se debruce sobre documentos, dados, extratos e comprovantes. A partir destes compõe a declaração do Imposto de Renda Pessoa Física (IRPF).

Os números de declarações seguem baixos. “O governo divulgou a dias que apenas metade das declarações foram entregues, o que poderá ocasionar congestionamentos em caso de entregas nos últimos dias do prazo”, salienta José Marcio Zelinski. “Inclusive pessoas que já enviaram as declarações até 30/04/2020 já começaram a receber suas restituições”.

A dica mais evidente, quando da realização e preenchimento de uma declaração do IRPF, é bem simples. “Procure o contador de sua confiança e tire suas dúvidas.” Essa atitude pode evitar diversos problemas, desde uma simples declaração errada que pode resultar em necessidade de correção ou até penalização. Ou ainda, ter de retificar e encaminhar novamente os dados para a Receita Federal.

Atrasos e regras

“Em caso de não entrega estará sujeito a uma multa de no mínimo R$ 165,74 e no máximo de 20% do imposto devido”, afirma José Marcio Zelinski. Por conta disso, é primordial a atenção ao calendário da Receita Federal que define o dia 30 de junho como limite final para declarar. Quanto às regras, existem diversas que, mais uma vez, seguindo a orientação de um profissional evita inconformidades.

De acordo com a Receita Federal deve declarar o Imposto de Renda contribuintes que obtiveram rendimentos tributáveis (como salários e aluguéis), acima de R$ 28.559,70. Também que teve rendimentos isentos, não tributáveis ou tributados exclusivamente na fonte (por exemplo: indenizações trabalhistas, caderneta de poupança ou doações) em valor superior a R$ 40 mil.

Pessoas que tiveram, em qualquer mês, ganhos na venda de bens ou direitos sujeitos à incidência de Imposto de Renda, como imóveis vendidos com lucro. Realizaram operações em bolsas de valores, de mercadorias, de futuros e assemelhadas (investimentos). Obtiveram, em 2019, receita bruta em valor superior a R$ 142.798,50 em atividade rural, ou seja, agricultores com este movimento financeiro.

Para produtores rurais com posse ou a propriedade de bens ou direitos, em 31 de dezembro de 2019, no valor total acima de R$ 300 mil também é obrigatório declarar o IRPF. Ainda, pessoas que passaram à condição de residentes no Brasil em qualquer mês e, nessa condição, se encontravam em 31 de dezembro de 2019. Para todas estas situações é fundamental ter orientação de um contador para fazer corretamente.

No caso de qualquer dúvida, ou informações complementares, se repete a dica: procurar um contador. A Vivum Contabilidade presta este serviço e orienta seus clientes, fazendo declarações do IRPF e demais serviços do campo contábil. “Qualquer situação, que estiver ao nosso alcance, prestamos o serviço por meio do nosso escritório para que seja solucionada de forma eficiente”, complementa José Marcio Zelinski.

Sidnei Muran

Comentários

Compartilhe:


MATÉRIAS RELACIONADAS
Prefeitos parabenizam São Mateus do Sul pelo 109º aniversário
Antônio Carlos Franco falece aos 79 anos
Obra do Hospital Dr. Paulo Fortes segue cronograma. Ala para Covid-19 é preparada