O grupo de amigos se reúne todo sábado para partidas de futebol. Parte da equipe do Inimigos da Bola Futebol Clube, fundado oficialmente em 2014. (Foto: Acervo do time)

Dentro do campo sempre existiu uma rivalidade em partidas de futebol, trazendo à tona o espírito competitivo. Mas e se o oponente principal não fosse a equipe adversária e sim a própria bola de futebol? Nessa semana conheceremos o grupo dos amigos que se reúnem todo sábado para serem “Inimigos da Bola”.

Toda essa irreverência começou em 2013, quando os estudantes da Universidade do Contestado (UNC), viajavam todos os dias para a cidade de Canoinhas – Santa Catarina. Realizando o trajeto de segunda à sexta na parte da noite, e também aos sábados durante a tarde, surgiu a ideia de criar um time de futebol para fugir da rotina universitária. “A ideia principal era juntar os amigos no fim de semana para descontrair um pouco, 80% do time era universitário, e às vezes faltavam pessoas para jogar”, explica Guilherme Serpe Muniz, fundador do Inimigos da Bola Futebol Clube, nome que faz referência a falta de domínio dos jogadores com a bola durante as partidas. Para ajudar a convidar mais pessoas para o time, Guilherme contou com a ajuda de Everton Nowak, que convocou mais amigos para compor a equipe.

De início, os jogos aconteciam sempre às 18h por conta dos estudos. Após a formação dos são-mateuenses na graduação, os jogos passaram a acontecer todo sábado às 17h, firmando uma parceria fixa com os proprietários do campo society do Fillus. “Para fazer parte do time, tendo o consentimento do grupo, está dentro”, enfatiza Guilherme, que comenta que são realizados dois eventos anuais: um encontro para assistir a final da Europa Champions League e o churrasco de fim de ano. “Estamos com a ideia de todo mês fazer uma janta após o jogo, pagando a conta os aniversariantes do mês”, comenta. Os fundadores do time enfatizam que sempre nesses eventos de fim de ano, o meio-campo Marcos Guerra precisa pedir permissão da esposa para comparecer, e claro, sempre com hora para voltar para casa.

Mais de meia década de história

Em todos esses anos de convivência, o forte vínculo de amizade e companheirismo foi se comprovando jogo a jogo. Durante uma partida em 2014, o atacante Marcos Vinícius Mosconi Ewerling rompeu o ligamento de seu joelho, deixando toda a equipe preocupada. Pela lesão o jogador precisou ficar afastado dos campos. “Eu lembro que íamos para a faculdade no ônibus e os piás sempre conversavam de fazer uma camisa para o time e tudo mais, porém eu sempre me retirava da conversa, até por estar há algum tempo sem jogar com eles e por sentir falta de praticar o esporte que eu sempre gostei com os meus amigos. Um dia eles decidiram que iriam comprar as camisas, já tinham definido o modelo, e perguntaram se eu iria comprar uma, porém eu estava sem perspectiva nenhuma de fazer a cirurgia e sem fazer a operação eu não conseguia mais jogar, por isso eu acabei falando que não iria querer comprar a camisa”, relembra Marcos.

Percebendo o desânimo do colega de campo, toda a equipe se mobilizou para comprar uma camisa do time de presente para ele. A entrega aconteceu no ônibus indo para a faculdade. “Foi algo que eu não esperava, nem passou pela minha cabeça que fariam algo assim. Eu fiquei muito feliz e emocionado por receber a camisa, vi que realmente ainda me consideravam parte do time, e que além de colegas de equipe éramos todos amigos, onde um se importava com o outro”, afirma. Após essa atitude de companheirismo, o jogador decidiu procurar um médico e marcar a sua cirurgia, e em 2016, voltou a jogar com o time. “Obrigado por tudo meus amigos, foi um baita presente! Nunca vou me esquecer!”

O adversário amigo

Com o passar dos anos, a equipe conheceu outros times que também se reuniam semanalmente para uma partida de futebol, dentre eles o pessoal do Futsábado, que passou a ser o adversário fixo dos jogadores. “Inimigos da Bola, o que falar de um time com esse nome… Brincadeira… Esses caras não são inimigos de ninguém (risos). Nos tornamos adversários dentro da quadra e amigos fora dela”, afirma Marinaldo Ramos dos Santos, fundador e atleta do time Perebudos Futebol Clube e jogador do Futsábado.

Segundo Marinaldo, o time se reúne desde 2014 para as partidas de futebol, sempre com muita disputa, sem deixar de lado o respeito e lealdade. “Hoje me arrisco a dizer que o nosso time Futsábado talvez não estivesse ainda na ativa se não tivéssemos os Inimigos da Bola como adversários. Como eu sempre digo, não é só futebol, é sempre algo mais… Parabéns Inimigos da Bola pelo time, pelo grupo, pela amizade de vocês, e que a gente se encontre muito ainda dentro e fora das quadras”, reverência.

O time

Wellington Silva, engenheiro eletricista na Petrobras; Túllio Siqueira Pinto, advogado, empresário; Rafael Ribacz Ramos, arquiteto, empresário; Guilherme Serpe Muniz, engenheiro eletricista, trabalha no Sicoob; César Wilian Gonçalves Ferreira, engenheiro civil e técnico administrativo na Copel; Ricardo Serpe de Lima, engenheiro eletricista e fiscal de obras na Copel; Marcos Guerra, engenheiro eletricista e trabalha na Sanepar; Marcos Vinícius Mosconi Ewerling, Ms. Engenharia Elétrica, cursando doutorado na Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC) e empresário; Everton Nowak, engenheiro eletricista e empresário; Leonardo Martins Lemos, engenheiro eletricista e administrativo de fazendas; Andrey Chaves Wactavski, engenheiro de produção e servidor público; Isaías Pietrzaki Pereira, engenheiro civil, investidor; Elio Ribeiro Faria Junior, engenheiro de software, cursando mestrado na Pontifícia Universidade Católica do Paraná (PUC-PR), professor; Thiago dos Santos de Lima, biólogo, cursando mestrado na Universidade Federal do Paraná (UFPR), professor; Cezar Augusto Budzinski, engenheiro eletricista e empresário; Adriano Teodoro Kuczera, educador físico, professor; Douglas Rodrigues Pinto, educador físico, empresário; Fernando Dalla Vechia, arquiteto, empresário; André Mendes Felizardo, músico e policial; Alex Ariel Filus, engenheiro civil e empresário e Renan Voigt, engenheiro eletricista e investidor.

Cláudia Burdzinski

Cláudia Burdzinski

Estudante de Jornalismo que adora escrever e conhecer um pouco sobre a vida e a história de cada pessoa envolvida. Preza pela essência que é repassada na produção de cada matéria, valoriza os pequenos gestos e apoia o ativismo ambiental. E-mail para contato: claudia@gazetainformativa.com.br
Cláudia Burdzinski

Comentários

Compartilhe:


MATÉRIAS RELACIONADAS
Grupo de Airsoft são-mateuense participa de evento referência no esporte em General Carneiro
São-mateuenses participam da Corrida Rústica do Trabalhador
Jovens são-mateuenses se destacam no 65º Jogos Escolares do Paraná

Deixe seu comentário

*