No mesmo ano em que o Karolinka fez a sua primeira turnê pela Polônia, a coordenadora e dançarina do grupo participou da formação para coreógrafos da América Latina. (Fotos: Arquivo Karolinka)

O ano já começou com tudo para o Grupo Folclórico Polonês Karolinka. O primeiro fim de semana do ano não teve descanso para os dançarinos, que já retomaram os ensaios para participar do 12º Encontro de Grupos de Danças Folclóricas, no dia 18 de janeiro, dentro da programação da 37ª Festa Pomerana, em Pomerode-SC.

Começar o ano com intensa preparação é uma continuidade do trabalho desenvolvido em 2019, ano em que o Karolinka representou São Mateus do Sul no Festival de Folclore de Rzeszów, na Polônia. Essa foi a primeira turnê do grupo pela Polônia, vivenciando de perto a cultura que representam por meio de danças e cantos.

Já em dezembro, o grupo esteve representado no curso para coreógrafo de folclore. Dançarinos brasileiros e argentinos realizaram na Polônia um curso para coreógrafo de danças folclóricas polonesas. A coordenadora e instrutora do Grupo Karolinka, Iris Janoski, integrou a turma que contou com 16 pessoas. O curso teve como objetivo capacitar instrutores para grupos poloneses na América Latina, a fim de promover a continuidade dos grupos e a fidelidade na execução das danças.

“Fiquei muito feliz pela aprovação no curso. Foi uma oportunidade incrível de imersão ao folclore. Foi tudo mágico. Os ensaios foram acompanhados com piano, em salas ricamente preparadas para a dança, com professores super atenciosos e pró ativos”, conta Iris.

Do mesmo curso participou Sandra Panek, representando o Grupo Folclórico Kraków, e também Diovana Pasczuk, representante do grupo Mazury. O curso foi financiado pela Stowarzyszenie “Wspólnota Polska” e contou com toda a estrutura do Zespół Pieśni i Tańca “Śląsk”, um dos grandes grupos nacionais de folclore na Polônia.

Grupo Karolinka esteve representado no curso para coreógrafos na Polônia.

Ações para 2020

A participação no curso, assim como o trabalho de ampliação das atividades do grupo, que vem sendo realizado nos últimos anos, fazem com que o Karolinka alcance cada vez mais reconhecimento pelo trabalho desenvolvido. Para 2020, outras iniciativas podem ser aguardadas pelo público de São Mateus do Sul, por meio de parcerias cada vez mais estreitas entre o grupo folclórico e instituições polonesas.

Nova edição da Mostra de Folclore Polonês está entre as ações previstas para 2020.

Há a previsão de atuação direta do grupo Karolinka em grandes eventos promovidos pela Polônia aqui na América Latina, como o II Congresso da Juventude Polônica – evento que reúne representantes de diversos países. Além da realização da IV Mostra de Folclore Polonês, em São Mateus do Sul.

Para as crianças, a partir dos 4 anos, há também as atividades do grupo de dança infantil, que retoma os ensaios em fevereiro. Informações pelas redes sociais ou com Irio Janoski.

Língua polonesa

Além da dança, no último mês três professores do idioma polonês também integrantes das atividades do Karolinka participaram de cursos de aprimoramento das metodologias de ensino.

Ludmila Pawlowski e Magda Tosetto estiveram no curso oferecido para os professores do idioma na Polônia pela associação Wspólnota Polska, já Evaldo Drabeski integrou a turma do curso de metodologia no ensino do polonês oferecido pelo consulado em Curitiba.

Visita especial

O nome de Urszula Sajda – ou Ula como é carinhosamente chamada – ficou marcado na memória dos jovens que iniciaram o Grupo Karolinka, em 1992. Primeira coreógrafa do grupo, a professora conquistou o carinho e a admiração de muitos são-mateuenses. Atualmente, a coreógrafa reside em Nova York.

No último domingo, 5, Ula retornou a São Mateus do Sul com sua família para uma breve visita, oportunidade na qual pode rever os amigos que trabalharam junto com ela no início do Karolinka, Evaldo e Ozilda Drabeski, e também conhecer um pouco mais das atividades desenvolvidas hoje pelo grupo.

Na ocasião, ela recebeu em mãos o exemplar do livro “Os Caminhos da Tradição”, que conta a história dos primeiros 25 anos do Grupo Karolinka e com cuja construção a coreógrafa contribuiu.

Urszula Sajda, primeira coreógrafa do Karolinka, visitou a cidade no início de janeiro.

Evaldo e Ozilda Drabeski com a amiga Urszula Sajda.

Exposição que retrata cotidiano de descendentes de poloneses está na Casa da Memória

A Casa da Memória Padre Bauer recebe a exposição fotoenográfica “Migawki: a Polônia que Vive no Brasil”. A exposição é parte dos resultados da dissertação da jornalista Larissa Drabeski, defendida no Programa de Pós-Graduação em Comunicação da Universidade Federal do Paraná (PPGCOM-UFPR). Por meio das imagens, é retratado o cotidiano de duas famílias de origem polonesa da cidade: as famílias Przybyszewski e Przyvitowski.

A exposição é realizada em parceria com o Grupo Karolinka, com patrocínio da associação Wspólnota Polska.

A Casa da Memória funciona de segunda a sexta-feira, das 8h às 12h e das 13h às 17h.

Fonte: Assessoria de Comunicação Karolinka

Comentários

Compartilhe:


MATÉRIAS RELACIONADAS
Gerson Cesar Souza será condecorado com a Ordem do Mérito Cultural da República da Polônia
Estudante são-mateuense vence concurso de educação ambiental; prêmio vai favorecer a escola em que estuda
Programa Educacional de Resistência às Drogas e à Violência (PROERD) pode retornar às atividades em São Mateus do Sul

Deixe seu comentário

*