Asfalto esburacado no trecho entre São Mateus do Sul e União da Vitória. (Fotos: Assessoria Deputado Emerson Bacil (PSL).

Transitar pela BR 476 no trecho entre Lapa e União da Vitória se tornou sinônimo de apreensão e insegurança. O medo por um pneu estourar por conta dos buracos na pista ou de que algo mais grave aconteça acompanha os condutores de caminhões, veículos de passeio e motos que precisam fazer o trajeto.

“É um perigo. Todo mundo anda trançando os buracos, inclusive caminhões enormes. Tem até um buraco no meio da pista em que a galera colocou um galho dentro e para desviar tinha que sair totalmente para o acostamento”, relata a professora Isabelly Pietrzaki, que teve de trafegar pelo asfalto em mau estado.

A professora é uma das várias pessoas que está descontente com o estado da rodovia. O deputado que representa a região, Emerson Bacil (PSL) publicou na semana passada em suas redes sociais que “junto com os prefeitos da região, encaminhamos um ofício ao Departamento Nacional de Infraestrutura e Transporte (DNIT), para realização de uma audiência que solucione os transtornos causados na BR-476”.

No último dia 25 de janeiro o deputado Bacil esteve com o superintendente do DNIT, José Beluzzi, com o qual abriu diálogo pela melhoria das condições da rodovia.

“Temos uma preocupação até maior por causa deste período de chuvas”, disse Beluzzi, complementando que haverá um trabalho nos próximos 30 e 60 dias para melhorar o tráfego na região, além de “termos um estudo para um projeto de restauração da rodovia e isso também deve acontecer ainda neste ano”.

Municípios mobilizados

A Prefeitura da Lapa divulgou que na sexta-feira (22), o prefeito Diego Ribas (PSD) deu início a um trabalho de mobilização de lideranças regionais para buscar em conjunto uma solução definitiva para a BR 476, também conhecida como Rodovia do Xisto.

No comunicado, a Prefeitura reitera que o trecho entre Lapa e União da Vitória – que passa por São Mateus do Sul – encontra-se com vários pontos críticos, crateras e pavimento deteriorado. Ribas critica as últimas operações que visavam melhorar as condições da via, pois considera que “o que temos presenciado são diversas ações de tapa buraco, feitas por empreiteiras do Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (DNIT) que duram poucos dias”.

Pedidos por melhorias na BR 476 chegam ao DNIT. Asfalto em más condições na região da Lapa.
(Foto: Prefeitura Municipal da Lapa)

De acordo com Bacil, as prefeituras e vereadores de Lapa, Antonio Olinto, São Mateus do Sul, Paulo Frontin, Paula Freitas, União da Vitória e Bituruna agem em conjunto e devem estar presentes na audiência pública a ser realizada junto ao Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (DNIT).

Audiência Pública junto ao DNIT

A Audiência Pública ainda não tem data para acontecer, uma vez que o acionamento do DNIT ocorreu nesta semana. A expectativa é que todo o trâmite para a organização não demore muito.

Bacil espera “que aconteça o quanto antes” e que “este tema possa mobilizar o maior número de pessoas possíveis e que as lideranças estejam focadas em pressionar o Governo Federal e consigamos resolver tudo isso”.

Quando se fala em Audiência Pública, estamos a falar de uma espécie de “reunião” que tem o fim de fortalecer e articular os mecanismos e as instâncias democráticas de abertura de arena diálogo, além da atuação conjunta entre as instituições políticas e a comunidade para promover a participação social por meio de depoimentos de pessoas com experiência, os afetados com o caso e autoridades (como especialistas no assunto), em suas várias vertentes.

A importância da Rodovia do Xisto

A manutenção da Rodovia BR 476 é de responsabilidade do Ministério da Infraestrutura do Governo Federal. Por conta disso, toda reivindicação por reparos ou melhorias deve ser feita em esfera Federal.

A rodovia representa a principal ligação entre as cidades do Sul do Estado, além de importante canal de escoamento da safra agrícola desses e de outros municípios. As condições da Rodovia do Xisto acabam sendo sempre consideradas quando algum dos municípios busca atrair indústrias ou investimentos das mais variadas ordens, que tendem a contribuir para o desenvolvimento econômico de toda a região. A pista em mau estado pode desestimular investimentos e esse é o único modal de transporte em uso por São Mateus do Sul, que não tem porto, aeroporto ou linha férrea.

Melhoria nas estradas do interior também é urgente

Além dos problemas causados pelo mau estado da BR 476, como pneus furados e a apreensão causada nos motoristas que precisam transitar pela via, o município de São Mateus do Sul e outros do entorno sofrem com a condição das estradas do interior. As chuvas constantes neste mês de janeiro fizeram com que não fossem possíveis os trabalhos anuais – em alguns casos – de melhorias.

Deputado Emerson Bacil (PSL) em seu escritório.

“Faz mais de uma semana que as chuvas persistem e o [Rio] Iguaçu, por exemplo, está com nível elevado, estamos passando pela safra de colheita de fumo, e a situação ficou bem delicada, no geral precisa fazer reparo nas estradas e todas rodovias da região”, destaca Bacil.

Questionado pela reportagem, o deputado informa que todas as reivindicações “que chegaram até nosso gabinete, encaminhamos aos órgãos competentes” e que “torcemos para que o tempo melhore, para iniciar o trabalho e amenizar esta situação”.

Comentários

Compartilhe:


MATÉRIAS RELACIONADAS
Sortudo são-mateuense leva para casa R$ 17 mil em sorteio da Quina
Acadêmico constrói protótipo de veículo elétrico autossuficiente em energia
Comer alho, cebola ou feijão dá cólicas no bebê? Conheça esse e outros mitos da amamentação