Educação e Cultura

Jovens são-mateuenses são destaques em festival de dança no Teatro Fernanda Monte Negro em Curitiba

(Fotos: Alexandre Müller/Gazeta Informativa)

O grupo de dança do Centro da Juventude Laurival Kwiatkowski Mayer (CEJU), participou entre os dias 31 de maio e 2 de junho do Jopef Dance Festival, festival de dança de altíssima importância e relevância no cenário nacional. O evento aconteceu na cidade de Curitiba, no teatro Fernanda Montenegro, localizado dentro do Shopping Novo Batel.

O Jopef é um congresso dos profissionais de Educação Física, Nutrição e Fisioterapia que chegou em sua 32ª edição neste ano. Paralelo ao evento inúmeras palestras, cursos e oficinas também foram realizadas.

O Festival é dividido em mostra e competição, nas categorias: baby, infantil, juvenil, adulto e terceira idade. As alunas do CEJU participaram na categoria juvenil, de 12 a 17 anos.

Dentre as participações nas referidas categorias, duas são-mateuenses se destacaram no Jazz solo disputando com outras 10 participantes. Segundo os organizadores, essa é a competição mais acirrada.

Rafaelli Volochen apresentou a coreografia: “Liberte me por favor”, com a música: “You Sony Own Me”, da cantora Grace, e a jovem Marina Siben, a coreografia: “A dor da saudade que sinto de você”, com a música: “Brother”, do grupo Kodaline. Ambas conquistaram o terceiro lugar com as notas, 7,5 e 7,7, respectivamente.

Segundo o coreógrafo Antônio Marcos Buginki Pinto, a competição é definida de acordo com as notas obtidas pelas dançarinas, ou seja, para garantir o primeiro lugar a nota tem de somar mais de 9 pontos, para o segundo lugar mais de 8 pontos e para o terceiro, mais de 7 pontos. “As notas são dadas por um corpo de jurados especialista no assunto. Caso haja mais de uma dançarina com média acima de 9, as melhores classificadas segundo sua pontuação, são premiadas com o primeiro, segundo, e assim por diante.”

Rafaelli conta a equipe da Gazeta Informativa que foi sua primeira competição e está extasiada com o resultado e repercussão. “Como foi a primeira vez que competi fora tive uma sensação incrível, apesar de não lembrar de nada que dancei, movida pela emoção e nervosismo. Assim que conclui minha apresentação, não pensei no resultado e sim em meu desempenho que foi muito vantajoso. Essa é uma experiência que levarei para o resto da minha vida.”

Marina relata que viu nessa competição uma alavanca para sua carreira e para o grupo de uma forma geral. “Esse foi o segundo festival dessa relevância, mas neste momento tive o dobro do desempenho da primeira vez. Realizei muitos treinos para se chegar a esse resultado. Foi uma das experiências mais incríveis da minha vida, pois não há nada mais gratificante que fazer o que você gosta, com quem você gosta e ser reconhecida por isso.”

O grupo de dança do CEJU contou também com a apresentação da jovem Giulia Lara, que participou da categoria solo estilo livre com a coreografia: “Cores do vento”, música: “Colors oficial the Wind”, da cantora Tori Kelly, conquistando o segundo lugar com a pontuação 8,8.

Giulia emocionada relembra a emoção que vem sentindo desde o momento que subiu ao palco. “Já participei de dois outros festivais da mesma importância, mas nesse final de semana a dificuldade e necessidade de superação foi imensa. Uma experiência única, pois recebi a indicação de melhor bailarina do dia de apresentações.”

Na categoria conjunto estilo livre, o grupo de dança junto de suas 11 jovens apresentou a coreografia: “Alegria pois hoje vamos nos divertir”, com a música: “Cheap Threels”. Participaram dessa categoria as bailarinas: Amanda Ferraz, Amanda Ribacz, Jennifer Vidal, Marina Siben, Yasmin Miranda, Maria Júlia Welke, Lívia Fernandes, Giulia Lara, Yani Coimbra, Emilly Fabrin e Rafaelli Volochen. As meninas conquistaram o terceiro lugar e a melhor apresentação da categoria.

“Fomos até lá e apresentamos apenas o que passamos dias e horas ensaiando. Não nos preocupamos com a nota e sim com nossa apresentação. É uma realização inimaginável a qual vivenciamos e hoje contamos para vocês”, dizem as integrantes.

O grupo voltou à São Mateus do Sul empenhado e disposto a melhorar ainda mais, aprimorando suas apresentações. A perspectiva futura é a participação de dois outros concursos: um na cidade de Mallet e outro em Mafra (SC).

Com gostinho de quero mais, as jovens e o professor confessam o sonho de participar do Festival de Dança de Joinville. “Voltar de lá e receber o apoio da comunidade e da imprensa, além de nos motivar, abrirá mais portas para nós. Prometemos nos empenhar e orgulhar nossa cidade”, destaca Marina.

O professor enaltece o apoio da Prefeitura Municipal que colaborou com o transporte e aos pais com o pagamento das inscrições e a confecção dos figurinos. “Foi uma realização incrível como coreógrafo e professor.”

O Centro da Juventude inaugurou em 2012, e desde então existe a oficina de dança. Com essa oportunidade nasceu o grupo específico para empenhar-se nas apresentações e competições. Hoje ela conta com mais de 60 alunos e 24 destes participam do grupo de dança. Segundo o professor, mais de 400 adolescentes já passaram pela oficina.

Redação

Comentários

Compartilhe:


MATÉRIAS RELACIONADAS
Biblioteca móvel estaciona em São Mateus do Sul; conheça o BiblioSesc!
Grupo de Dança Resgate Gaúcho se prepara para o início das aulas em 2020
APAE de São Mateus do Sul comemora 39 anos