Histórias de Terra e Céu

Kuczera, o campeão do Trigo

As duas imagens foram extraídas do jornal A República, de Curitiba, de abril de 1930.

As duas imagens foram extraídas do jornal A República, de Curitiba, de abril de 1930.

Quando falamos da produção agrícola de São Mateus do Sul, certamente lembraremos da erva-mate, da batata, do feijão e do fumo. O trigo, que representa menos de 2% da nossa produção (segundo dados do IBGE), dificilmente será citado nesta lista. Mas você sabia que São Mateus já foi vencedora em uma competição de produtores de trigo? Embarque comigo nesta história!

A partir de 1928 o Paraná iniciou a “Cruzada do Trigo”, uma campanha de mobilização de produtores que, em dois anos, elevaria em mais 300% a produção de grãos deste cereal no estado. No ano de 1930 a sede da “União Rural Paranaense” realizou a “Festa do Pão e Exposição do Trigo”, convidando os agricultores de todo o Paraná a apresentarem seus produtos, concorrendo ao prêmio de melhor trigo do estado.

Naquela época São Mateus era apenas o 15º município em produção de trigo, com 559 hectares de área cultivada, produzindo anualmente 660 toneladas. Mesmo assim, o município preparou uma delegação de quase cem produtores para comparecer e concorrer na Exposição. Era um número relevante para o tamanho da cidade, mas muito inferior aos demais municípios. São José dos Pinhais era a localidade que encabeçava a lista com maior número de produtores, e maior quantidade de área cultivada. Guarapuava e Palmas também eram favoritas, pois lideravam o ranking da produtividade (com valores cerca de 40% superiores aos de São Mateus).

Mas quando a comissão julgadora divulgou o resultado do concurso, no começo de abril de 1930, veio a surpresa: o vencedor era o agricultor de São Mateus, José Kuczera. Diferente da maioria das amostras concorrentes, que eram “prejudicadas em sua aparência geral pela grande quantidade de impurezas” e pelo baixo peso específico das sementes, o trigo são-mateuense de Kuczera (da qualidade Marumby) destacava-se por ter como qualidades: “uniformidade em cor, tamanho das sementes, pureza e [elevado]peso específico (um litro continha 883 gramas)”.

A vitória de São Mateus na Exposição do Trigo foi noticiada nos jornais de Curitiba, com direito à foto do produto exposto por José Kuczera. Se a pequena colônia polaca às margens do Iguaçu havia se tornado Capital da Erva-Mate, centro da Navegação a Vapor e já dava passos importantes para se consolidar como Capital do Xisto, por alguns instantes a terra sagrada são-mateuense acabou se convertendo também em “capital do Trigo”, graças ao esmero e ao talento da família Kuczera.

Até a próxima semana e céus limpos para todos nós!

Gerson Cesar Souza
Últimos posts por Gerson Cesar Souza (exibir todos)

Comentários

Compartilhe:


MATÉRIAS RELACIONADAS
Mendoncinha e a lei “inconstitucional” da erva-mate
Ucranianos, Polacos e os Marimbondos de Fogo
Halloween Espacial