Cidade

Ledur faz balanço dos três primeiros anos de governo e fala sobre sua pré-candidatura

Assessoria PMSMS

Assessoria PMSMS

A menos de um ano das próximas eleições municipais, o atual prefeito de São Mateus do Sul, Clovis Ledur, demonstra otimismo em relação à conclusão dos quatro anos de seu primeiro mandato. Em entrevista exclusiva ao jornal Gazeta Informativa, Ledur destaca as principais conquistas de seus três anos de gestão, exalta o caráter participativo da administração que vem conduzindo e revela desafios e objetivos para 2016. Além disso, Ledur comenta sobre sua pré-candidatura. Confira:

Gazeta Informativa: Qual o principal objetivo da prefeitura para 2016?
Prefeito Clovis Ledur: Nosso principal objetivo é continuar cuidando do cidadão são-mateuense. Ou seja, continuar mantendo os bons serviços, aperfeiçoamento investimentos e trazendo ainda mais eficiência para o serviço público. A gente quer manter a boa escola, investindo na educação pública, em atividades no contraturno (no Portal do Saber, na Vila Bom Jesus, por exemplo); queremos continuar possibilitando à nossa população uma saúde pública de qualidade e manter nosso trabalho de prevenção e atenção social junto a nossa população.

Gazeta: Qual sua avaliação sobre a atual situação do município? O que você acha que ainda pode ser melhorado e realizado em São Mateus do Sul?
Ledur: Não podemos nos esquecer de como estava nossa cidade antes da nossa gestão, e como ela está agora. Já no primeiro ano, pavimentamos mais de cem quadras nas vilas Prohmann e Pinheirinho e na região central. As ruas na região central eram totalmente irregulares e nós fizemos um trabalho completo de recape, com massa asfáltica e mais de 32 quadras de asfaltamentos novos. Isso sem contar nas reformas que foram feitas nos primeiros anos da gestão. Reformamos e ampliamos nove unidades de saúde na área urbana e no campo, e quatro escolas foram totalmente reformadas, além das sedes de serviços da rede socioassistencial, como o Programa de Erradicação do Trabalho Infantil (Peti). Isso é investimento no cuidado com as pessoas.

Temos a consciência de que estamos devendo mais alguns investimentos em obras. Agora no último ano, vamos fazer mais pavimentações que são esperadas e levarmos mais tranquilidade e conforto para a nossa população no que for possível, por que é isso que queremos.

Gazeta: Na sua avaliação, quais foram os principais investimentos da sua gestão até o momento?
Ledur: Os principais investimentos feitos foram em serviços. Melhorias na saúde pública, por exemplo, onde dobramos o investimento que era feito nas gestões anteriores. Na educação, nós verdadeiramente valorizamos as professoras e professores, que viram aumento salarial e seu trabalho valorizado de verdade. Melhoramos o pagamento dos servidores públicos, que conquistaram um plano de carreiras importantíssimo. Isso sem falar nas melhorias e ampliações nos serviços de assistência social, onde também dobramos os investimentos para a área. E ainda destaco nossa melhoria no trato ao cidadão, com a criação da Ouvidoria, sistemas online para atendimento ao público e também pessoalmente o contato com a população foi muito mais constante e direto, diferente do que era feito anteriormente. Nosso comércio e nossos microempreendedores também foram muito bem atendidos com a criação da Secretaria de Indústria e Comércio e com a instalação das câmeras de segurança na área urbana do município.

Gazeta: Como você avalia sua própria atuação enquanto prefeito?
Ledur: Estamos fazendo uma gestão extraordinária. Nenhum prefeito anterior pensava no futuro da cidade. Todos pensavam apenas em si, em permanecer no poder. Nós temos a consciência de que estamos aqui de passagem e que o município tem um futuro brilhante, mas para que isso seja possível, mudanças precisam acontecer e estão acontecendo. A atual administração não tem medo de enfrentar nenhum problema do município. É por isso que estamos sempre de portas abertas para dialogar com quem quiser na prefeitura e para resolver os problemas da população.

Gazeta: Como você avalia a educação e a saúde, assuntos importantíssimos, no nosso município?
Ledur: Temos a convicção de que Saúde e Educação pública de qualidade precisam de investimento. Estamos investindo. Dobramos o investimento em saúde se compararmos com as gestões anteriores. Isso significa que as pessoas têm muito mais acesso à saúde publica de qualidade. Por falta de repasses do Estado e da União, nós assumimos responsabilidades que extrapolam o que constitucionalmente é da alçada do município. Fazemos isso porque não vamos deixar o cidadão na mão por falta de repasse. Não vamos deixar nosso cidadão em dificuldade.

Já na educação, nós estamos cumprindo o que a lei determina. Melhoramos e ampliamos muito o transporte escolar. Melhoramos em grande quantidade e qualidade a merenda escolar das nossas crianças, e melhoramos o reconhecimento do trabalho das professoras e professores. Estabelecemos as eleições diretas dos diretores e diretoras das escolas, o que tira os favorecimentos políticos dentro das escolas; e ainda: nossos CMEIs estão fazendo um trabalho extraordinário.

Gazeta: Assim como outros candidatos, você também deve ter feito várias promessas ao povo. Você acredita que já cumpriu boa parte dos seus projetos? Quais as principais dificuldades que às vezes impossibilitam que algumas promessas sejam cumpridas?
Ledur: Sem dúvida, cumprimos e fomos além em muitos projetos. Prova disso são algumas conquistas que ganharam repercussão estadual e nacional. Nossa gestão fiscal foi reconhecida entre as 15 melhores do Estado do Paraná pela Federação das Indústrias do Estado do Rio de Janeiro (IFGF – Firjan), e ainda nossos avanços sociais colocaram o município entre as 20 melhores cidades de pequeno porte para se viver num ranking nacional publicado pela revista Istoé em um estudo da Austin Ratings.

É evidente que as dificuldades existem e elas de fato podem ser decisivas em alguns planos. Nos últimos oitenta anos, os únicos dois anos em que o PIB do país foi decrescente coincidiram com o tempo em que nós estamos à frente da prefeitura. E isso compromete os repasses. Ou seja: em vez de investimentos, temos desinvestimento, diminuição do repasse aos municípios e isso não é uma especificidade de São Mateus do Sul. Todos os municípios passam por essa dificuldade.

Lamento, por exemplo, de não termos conseguido cumprir promessas como a construção de novas escolas. Isso aconteceu por causa da crise do petróleo, que afeta diretamente os investimentos do Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE) em construção de escolas. Lamento também que nosso planejamento do novo hospital tenha sido combatido severamente por lideranças políticas locais que não querem o desenvolvimento do município. Esse tipo de coisa também acaba interferindo e é extremamente ruim para o município.

Gazeta: Ledur, você pretende ser candidato à reeleição?
Ledur: Sim, sou pré-candiato. Fizemos um planejamento para São Mateus do Sul que nunca nenhum prefeito fez na história do nosso município. Temos um Plano Municipal de Educação, temos um estudo social completo do nosso município, temos um Plano de Saneamento Básico, temos um Plano de Arborização Urbana em andamento, trabalhamos na reformulação do Plano Diretor, trocamos toda a tecnologia de informação da prefeitura, que estava arcaica, criamos o Plano de Carreiras dos servidores… Esse planejamento precisa ser executado por quem tem a mesma linha de pensamento de quem o criou. Corremos o risco de que essas conquistas sejam abandonas por eventuais próximos gestores – e São Mateus do Sul não merece isso. Queremos trabalhar ainda mais para que essas conquistas tragam benefícios a mais pessoas.

Gazeta: Como você lida com as críticas negativas ao seu governo?
Ledur: Divido as críticas negativas pela origem de onde elas vêm:
As pessoas bem intencionadas: elas vêm reclamar diretamente comigo ou com o vice ou com nossos secretários, utilizam nossa ouvidoria, nossas redes sociais e contribuem para que possamos melhorar o serviço publico em São Mateus. Essas pessoas sempre são respondidas e acabam sempre retornando e reconhecendo nossa abertura, nosso dialogo e nosso trabalho. Essas críticas são sempre construtivas e ajudam a melhorar nosso município.

As pessoas más intencionadas: essas pessoas más intencionadas utilizam principalmente a internet para apenas denegrir a minha imagem enquanto gestor público e não contribuem em nada. Não buscam atendimento, não querem saber de respostas e não estão dispostas e conversar sobre os problemas.

As críticas negativas por motivação política: essas querem afetar politicamente nossa gestão denegrindo nossa imagem porque querem retornar ao comando da prefeitura. Essas críticas muitas vezes são criminosas e nós podemos apenas lamentar essas críticas. É interessante reparar que elas sempre vêm das mesmas pessoas, dos mesmos grupos, que não querem diálogo e não querem resolver os problemas da cidade. É muito fácil perceber quanto a intenção da crítica é claramente política.

Gazeta: E que você leva disso tudo? O que você aprende com essa situação e com a experiência de ser prefeito de uma cidade?
Ledur: As pessoas que são boas e querem ver o município se desenvolver precisam ser valorizadas. E isso dá certo. Percebemos que isso dá realmente certo. Já as de má índole, sempre provam dia a dia o seu mau caráter. E elas existem em nossa sociedade, felizmente em minoria, mas existem. E isso é lastimável. Enquanto gestor público, eu prezo e vou continuar estando sempre aberto ao diálogo. Sempre recebendo todas as organizações e sociedade civil organizada do município. Temos uma gestão participativa e temos a coragem de continuar sem medo de enfrentar qualquer adversidade e, com o apoio da nossa população, realizar as mudanças que São Mateus do Sul merece.


PERFIL

Quem é Clovis ledur?

Nascido em Boa Vista de Buricá, no Rio Grande do Sul, em 1973, Clovis Genésio Ledur veio para o Paraná aos 15 anos. Em 1994, iniciou o curso de Medicina em Santa Cruz de la Sierra, na Universidad Cristiana de Bolívia (Ucebol), onde se formou médico.  Em 2002, voltou para o Brasil e, entre 2003 e 2009, fez cursos de especialização e pós-graduação em módulos de ultrassom, cardiologia básica e avançada e geriatria em diversas universidades brasileiras. Atuou como médico na rede pública de saúde de São Mateus do Sul entre 2005 e 2011. Em 2012, disponibilizou seu nome para representar a população frente à prefeitura, conseguindo ser eleito prefeito com mais de 65% dos votos e quase 10 mil votos de vantagem contra o outro candidato. 

Últimos posts por Thaís Siqueira (exibir todos)

Comentários

Compartilhe:


MATÉRIAS RELACIONADAS
São Mateus do Sul está entre os 104 município que receberão verbas no programa Paraná Mais Cidades
Revisão do Plano Diretor do município acontecerá esse ano; primeira reunião foi realizada
Prefeitura altera sentido de ruas e inclui rotatórias em São Mateus do Sul; veja o que muda