João Carlos Piccinin, médico ortopedista e traumatologista explica a conscientização no mês que enfatiza a prevenção de acidentes de trânsito. (Fotos: Cláudia Burdzinski/Gazeta Informativa)

Você deve conhecer alguém que foi vítima de acidente de trânsito, seja de forma fatal ou com sequelas irreversíveis. A atenção e conscientização durante o trajeto são fundamentais para evitar que essa realidade se torne ainda mais presente no cotidiano. É com esse intuito que a Piccinin Clínicas Integradas é uma das apoiadoras da Campanha Maio Amarelo, que intensifica a atenção no trânsito.

Membro da Sociedade Brasileira de Ortopedia e Traumatologia, o médico ortopedista João Carlos Piccinin explica que o Maio Amarelo é um movimento internacional de conscientização para redução de acidentes de trânsito, decretado pela Organização das Nações Unidade (ONU) em maio de 2011. “Os criadores do movimento intensificaram que entre o dia da criação até 2020 seria a década de prevenção, devido o alto índice de acidentes”, enfoca Piccinin.

Segundo a Organização Mundial de Saúde (OMS), existem em torno de 1,3 milhão acidentes ao ano em 178 países diferentes; mais de 50 milhões de pessoas ficam com algumas sequelas. “O acidente de trânsito é a primeira causa de morte na faixa etária entre 15 e 29 anos, e a segunda entre 5 e 14 anos. Se não nos mobilizarmos, a ONU aponta a estimativa que até 2030 o índice passará de 2,4 milhões de mortes ao ano”, aponta o médico.

(Divulgação Campanha)

De acordo com o Ministério da Saúde, no Brasil ocorrem mais de 15 mil mortes por dia recorrente de acidentes de trânsito, além de 600 mil pessoas com alguma sequela. O Paraná registra uma morte no trânsito a cada três horas e meia. Considerando toda a série histórica, as principais vítimas paranaenses desde 1996 são os ocupantes de automóveis (motoristas ou passageiros), com 16.505 mortes (25,3% do total). Em seguida aparecem os pedestres, com 15.946 mortes (24,4%), e os motociclistas, com 11.025 fatalidades (16,9%). “Em torno de 60% das vagas dos hospitais conveniados pelo Sistema Único de Saúde (SUS) são preenchidas por vítimas de acidentes, gerando o custo anual de mais de R$ 50 bilhões”, informa Piccinin.

O médico traumatologista, que possui formação especializada para atender pacientes vítimas de acidentes, acredita que um dos principais problemas da irresponsabilidade no trânsito são as vidas perdidas e as consequências para a família de vítimas fatais e sequeladas.
Precauções

O Detran de São Mateus do Sul realizou uma ação na Avenida Ozy Mendonça de Lima na sexta-feira (17), enfocando o Maio Amarelo.

Piccinin explica que a Sociedade Brasileira de Ortopedia e Traumatologia preconiza os cuidados preventivos que são fundamentais para evitar acidentes. O uso de capacetes afivelados por motociclistas é de extrema importância para evitar lesões graves. “Às vezes o motociclista pensa ‘ah, mas eu vou em um lugar perto, não preciso de capacete’, e acaba sofrendo um acidente nesse percurso. Não é apenas uma questão de hábito, mas sim de sobrevivência”, enfoca.

Uso de cintos de segurança, cadeirinhas para as crianças instaladas e usadas de maneira adequada, uso de celulares durante a direção, respeito a regras de trânsito e evitar o uso de bebidas alcoólicas são alguns dos meios de prevenção. “Maio é apenas o mês de conscientização, mas a atenção deve seguir todos os dias”, afirma Piccinin.

Estudante de Jornalismo que adora escrever e conhecer um pouco sobre a vida e a história de cada pessoa envolvida. Preza pela essência que é repassada na produção de cada matéria, valoriza os pequenos gestos e apoia o ativismo ambiental. E-mail para contato: claudia@gazetainformativa.com.br

Compartilhe:


MATÉRIAS RELACIONADAS
São Mateus do Sul inicia trabalhos para instalação das câmeras de segurança
Posto da Polícia Rodoviária Federal em São Mateus do Sul pode ser fechado
Novo Tenente assume o comando do Corpo de Bombeiros de São Mateus do Sul

Deixe seu comentário

*