Grande número de manifestantes na Rua do Mathe. (Fotos: Hugo Lopes Júnior/Gazeta Informativa)

As Manifestações da Independência ocorreram por diversas cidades do Brasil, acontecendo também em São Mateus do Sul no dia 7 de Setembro, em duas etapas. Iniciando com a concentração de caminhoneiros e tratores junto ao Trevo do Posto Triângulo pela manhã e, na segunda etapa, com a carreata que iniciou junto a antiga Rota 151 na Colônia Taquaral, que começou a percorrer o caminho programado por volta das 14h30.

Segundo os organizadores, a manifestação atraiu muito mais pessoas do que imaginavam inicialmente e as pessoas participaram de maneira espontânea, sabendo onde era o ponto de encontro e comparecendo com carros enfeitados em verde e amarelo, muitos com seus familiares, já que era uma festa cívica para a família.

Pela manhã, junto ao Posto Triângulo, os caminhoneiros e agricultores com tratores ganhavam apoio dos carros e outros caminhões que passavam pelo local, sempre com buzinas tocando. Na oportunidade, o deputado Emerson Bacil falou “temos a liberdade para lutarmos e relembrar os políticos e partidos de maneira democrática, que precisam ouvir o que a população deseja e espera dos seus representantes. Eu sempre ouvi”.

O empresário Wilceu Kotrich comentou que este se trata de um movimento pela liberdade do Brasil: “aqui existem várias etnias por causa da liberdade, os povos vieram e vão preservar a nossa liberdade de ir e vir”. Ainda sobre a liberdade desejada: “não é como estão tentando fazer, impondo os seus valores para você e achando que você está certo, é preciso lembrar que todos têm direito até que comecem os meus”.

“Aqui judeus e palestinos fazem negócios sem problemas, os afrodescendentes são iguais perante qualquer um e as leis, sentam à mesma mesa com quem quiser. Temos que preservar tudo isso, toda essa liberdade”, completou Kotrich.

Ainda os presentes comentaram que essa é a maior mobilização ocorrida em São Mateus do Sul para demonstrar o desejo da população. Afirmaram que a história do mundo já demonstrou o que o autoritarismo faz e não podemos perder a liberdade que foi conquistada. Lembraram que este movimento quer o respeito à Constituição, quer cobrar a urna auditável para que as eleições não tenham nenhuma sombra de dúvidas.

É o senso comum entre os manifestantes que o Supremo Tribunal Federal – STF está com os valores invertidos e foi dado como exemplo uma cena que passou na televisão, onde os noticiários deram ênfase a um traficante morto sendo carregado num carrinho de mão descendo um morro carioca, depois de uma ação da Polícia Militar, mas dos dois policiais executados na ação não foi citado nada. Em seguida, o SDTF proíbe ações da PM nos morros cariocas, com parte da grande mídia distorcendo as ações da polícia, inclusive distorcendo valores familiares. Segundo os manifestantes, se chega à conclusão de que o crime é organizado e o povo não, mas que com essa manifestação demonstra-se que isso pode mudar.

A carreata teve o trajeto previsto, saindo da antiga Rota 151 e seguindo até a Rua Dona Estefânia, indo até o Trevo da Petrobras, Trevo do Posto Triângulo e seguindo pela Rua Ulisses Farias até a Ozy Mendonça de lima chegando até a Rua do Mathe Padre Silvano Surmacz. Escoltados pela Polícia Militar, os cavaleiros puxaram a fila, seguidos pelos agricultores e seus tratores, as motocicletas, carros, depois os caminhões e por último os ônibus. Eram centenas de veículos e enquanto os cavaleiros já entravam pela Rua Ozy Mendonça de Lima, ainda haviam carros entrando na Rua Dona Estefânia.

Um grande público ficou na Rua do Mathe para ouvir uma palavra dos líderes do movimento. Iniciou-se com a oração do Pai Nosso, feita por todos os presentes. Emocionado, o empresário e agricultor Esaú Paul falou da vibração dos caminhoneiros, cavaleiros, agricultores e seus tratores. Agradeceu aos funcionários públicos e da iniciativa privada, além dos demais que participaram dessa grande manifestação e, em seguida, deixou os microfones para quem quisesse falar.

Diversas pessoas falaram e a tônica foi a governabilidade e saneamento do STF. Também o apoio ao presidente Jair Bolsonaro que: “está trazendo o amor à Pátria e despertou sobre a possibilidade de estarmos perdendo a liberdade”. Foi citada a necessidade do voto impresso e auditável, mas também: “que reconheçam o nosso presidente e o permitam governar”. Também foi declarado que nesse movimento ninguém “passa a mão em corrupto” e que se provarem alguma corrupção, eles serão os primeiros a exigir a prisão.

O movimento todo foi bastante ordeiro, tranquilo e com caráter bem familiar com a presença de famílias inteiras, incluindo crianças, nas diversas etapas do movimento que encerrou por volta das 17h30.

Comentários

Compartilhe:


MATÉRIAS RELACIONADAS
Secretaria de Assistência Social realiza ações voltadas ao atendimento dos profissionais que atuam na coleta de lixo reciclável
Empresários de São Mateus do Sul conhecem aplicações do Varejo 4.0
Horário de atendimento da Sanepar tem mudança após aumento na disseminação do coronavírus